O quão longe você iria para ter o amor de alguém? Existem escrúpulos na busca pela vida perfeita com quem se ama? Esses são alguns questionamentos levantados pela minissérie da Netflix ‘Por trás de seus olhos’. Baseada no romance homônimo de Sarah Pinborough, a produção utiliza o casamento desgastado de David (Tom Bateman) e Adele (Eve Hewson) para tornar tais indagações mais palpáveis e dar uma guinada em sua trama. Sendo um thriller psicológico inicialmente, a produção lentamente se encaminha a um drama sobrenatural, lidando muito bem com os dois gêneros mesmo quando certas incongruências no roteiro saltam à vista. 

Apesar da trama começar a partir do casal David e Adele, ‘Por trás de seus olhos’ tem como fio condutor a visão de Louise (Simona Brown), uma mãe solteira que se esforça para criar o filho Adam (Tyler Howitt). Por acaso, ela conhece David, um psiquiatra novo na região, se envolvendo romanticamente com ele. Com uma coincidência anormal, Louise se torna amiga de Adele, vivendo uma vida dupla ao conhecer os dois lados do casamento e, também, dos segredos envolvendo o casal. 

Uma série completa 

Além de lidar bem com o suspense e plots twists, é possível perceber que “Por Trás de Seus Olhos” volta cada aspecto seu a desenvolver bem o mistério sobre Adele e David. Desde a forma como a história é contada até os posicionamentos de câmera e, principalmente, a montagem da série ajudam muito a contar a história desejada pelo criador Steve Lightfoot, conhecido por trabalhar como produtor executivo em ‘Hannibal’ e ‘O Justiceiro’. 

Começando pela base, o roteiro da série lida habilmente com poucos episódios para contar uma trama com linhas temporais diversas, a qual busca dar densidade à história dos personagens principais. Sim, existem furos no roteiro no decorrer da série e alguns difíceis de não serem notados, porém, mesmo com defeitos, o roteiro consegue desempenhar a habilidade de conduzir a trama de forma não óbvia e, ao mesmo tempo, ser inteligível e uma ótima história a ser acompanhada. 

Toda atmosfera de suspense também está presente no visual da série, principalmente na direção de fotografia que opta por cenas majoritariamente escuras. Nesse aspecto, os ângulos de câmera são muito importantes para a principal reviravolta da série (só por esses pequenos detalhes vale a pena reassistir a produção para notar essas escolhas). Da mesma forma, a montagem é primordial para que o público consiga acolher a transição de uma trama mais cética para algo fantasioso e sobrenatural. Já nos últimos três episódios onde o personagem Rob (Robert Aramayo) é aprofundado, existe um constante aparecimento de Adele logo após as cenas do rapaz, deixando claro a ligação entre ambos. 

Entre o real e o imaginário  

Como qualquer thriller psicológico, a série começa focando nos traumas de Adele e em seu casamento com David, o que se estende para a vida de Louise e seu problema de sonambulismo. Assim, a primeira metade da temporada é toda baseada em conceitos da psicologia, mostrando inclusive métodos para Louise superar seu problema. Tanto o passado quanto o presente de Adele a consideram mentalmente instável devido ao trauma que passou, dando espaço para as cenas de administração de remédio e o próprio estudo de caso de Adele por David. 

Já na segunda parte da trama, o elemento sobrenatural toma conta do desfecho e é inserido de forma muito bem elaborada por Steve Lightfoot. Em diversas produções, quando é necessário mostrar visualmente algum evento sobrenatural é provável que isso leve a trama totalmente para o gênero de terror ou, do contrário, pareça amador ou tosco. Por isso, existe uma grande responsabilidade e êxito da série em adaptar tais momentos de forma que mantenha o suspense estabelecido e consiga representar a experiência descrita pelos personagens. 

Essa habilidade em lidar com diferentes gêneros é um bom diferencial para o seriado, pois consegue manter o interesse do público, mesmo não sendo fiel a proposta da sinopse – aquilo que atrai o espectador. Além de tudo isso, ‘Por trás de seus olhos’ tem uma ótima disposição de episódios e acaba se tornando o tradicional caso da produção a qual queremos acabar logo para descobrir o final, mas, ao mesmo tempo, não gostaríamos que terminasse tão cedo. 

‘Obi-Wan Kenobi’ – Episódio 6: série teria sido um grande filme

E Obi-Wan Kenobi chega ao fim com esta Parte 6 (da série? Ou da temporada? Até o momento, nada foi confirmado). Bem, é um fim. E agora, vendo a coisa toda em retrospecto, algo fica claro: teria funcionado melhor como filme. E de fato, pesquisando um pouco sobre as...

‘A Escada’: direção criativa acerta ao contar narrativa repetida

Em 2018, a Netflix colocou em seu streaming a produção documental “The Staircase”, dirigida por Jean-Xavier de Lestrade (vencedor do Oscar de melhor documentário por “Assassinato numa manhã de domingo”). A série true-crime acompanha o escritor Michael Peterson,...

‘Em Casa com os Gil’: palco de afeto e musicalidade

“Em Casa com os Gil”, nova aposta da Amazon Prime, é um convite para adentrar a casa de um dos maiores artistas da história da música e cultura brasileira, Gilberto Gil. Ali, naquele casarão em Araras (RJ), com o seu clã todo reunido, Gil abre a suas portas e...

‘Obi-Wan Kenobi’ – Episódio 5: oportunidades perdidas

Quem está acompanhando as críticas de Obi-Wan Kenobi aqui no Cine Set deve ter notado que tenho considerado a personagem Reva problemática. Por quatro episódios, ela parecia malvada demais, exageradamente determinada em encontrar o herói da trama sem que houvesse uma...

‘Maldivas’: diversão inofensiva made in Netflix

Nada como uma boa diversão inofensiva, né? Tem dias que pedem (se bem que, sendo brasileira, isso é a todo momento). Foi com isso na cabeça que comecei a assistir a “Maldivas”, nova série nacional da Netflix. No caso dessa produção, é difícil desassociar-se da...

‘Obi-Wan Kenobi’ – Episódio 4: série avança ao resgatar essência de ‘Star Wars

“Star Wars” nunca deve ser enfadonho. É uma das lições que a trilogia original ainda lega aos cineastas que seguem seus passos e continuam explorando o universo que George Lucas criou, seja no cinema e, agora, no streaming. Às vezes, o roteiro ou a história em si...

‘Iluminadas’: Wagner Moura brilha em série sobre misoginia nos anos 1990

Se remakes e a onda de nostalgia tem sido alguns dos propulsores da cultura pop, “Iluminadas” consegue homenagear os filmes de suspense e serial killer populares nos anos 1990. Baseada no livro homônimo de Lauren Beukes, a produção original da Apple TV+ conta com um...

‘Obi-Wan Kenobi’ – Episódio 3: o retorno de Darth Vader

Bem... Sabíamos que ele iria aparecer, certo? A Disney já tinha divulgado uma foto dele antes da estreia de Obi-Wan Kenobi e a cena final da Parte 2 da minissérie praticamente garantia que veríamos ninguém menos que Darth Vader. Agora, neste novo episódio, o lorde...

‘Stranger Things 4’ – Volume 1: força do elenco move temporada

Quando “Lost” começou a ruir definitivamente, os resilientes fãs permaneceram acompanhando a série muito mais pelo apego a Jack, Kate, Sawyer, Sayid, Desmond do que pela vã esperança de que os mistérios teriam uma resolução diga. Da mesma forma ainda que (bem) longe...

‘Obi-Wan Kenobi’ – Episódios 1 e 2

Antes de tudo, uma confissão, leitor, em nome da honestidade: eu me desliguei de Star Wars desde o final de 2019, quando fui ao cinema testemunhar o desastre A Ascensão Skywalker. Sério, o filme do J. J. Abrams conseguiu realizar a façanha de pegar meu entusiasmo pela...