Baseado em memórias de infância da diretora e roteirista Issis Valenzuela, “Receita de Caranguejo”, selecionado para a mostra competitiva de curtas-metragens nacionais do Festival de Gramado 2020, aposta em simbolismos e metáforas com a vida marinha para abordar o difícil processo de luto na adolescência após a morte de uma pessoa querida. Apesar de passar do ponto em suas analogias chegando a causar certo cansaço em determinados momentos, toda a construção do elo entre mãe e filha faz do filme uma obra admirável. 

“Receita de Caranguejo” inicia com Lari (Thais Melo) e a mãe se preparando para a primeira viagem à casa de praia depois da morte do pai da família. O silêncio da garota impera com o seu celular sempre à mão ou assistindo documentários sobre os animais dos oceanos, enquanto a matriarca busca pequenas formas de se aproximar da filha. A identificação de Lari com os seres aquáticos, especialmente, o caranguejo, entretanto, contribui para um processo de reaproximação e entendimento dos seus sentimentos. 

Como mostra este breve resumo da história, o curta não se foca em grandes ações ou eventos para fazer a história avançar. Durante aquelas pouco mais de 24 horas compiladas em 20 minutos, “Receita de Caranguejo” destaca o turbulento e silencioso processo de aceitação de uma perda dentro da mente de uma adolescente. Para tanto, Issis Valenzuela encontra dispositivos interessantes para transformar em imagem algo tão indefinido com imensa habilidade. Através de pequenas ressignificações vindas de um simples chinelo ou óculos escuros até ampliar para aspectos mais internos relativos à proteção contra a dor e a solidão, o curta mergulha na alma de Lari, ainda que o tom abstrato por vezes se estenda mais do que o necessário como na fervura dos caranguejos, uma sequência tensa, mas, que soa repetitiva dentro da dinâmica proposta. 

Tamanho foco nestes simbolismos faz o curta deixar, muitas vezes, em segundo plano, aquilo que possui de mais forte: a comunicação incompleta entre mãe e filha. Percebe-se, sem dúvida, o afeto entre as duas, mas, a barreira ali presente surgida pela dificuldade em entender toda uma cadeia de sentimentos e como agir em relação a eles, provoca a sensação angustiante dentro e fora da tela. Por isso, há de se aplaudir a dupla de protagonistas vividas por Thais Melo (Lari) e, principalmente, Preta Ferreira, as quais interpretam personagens difíceis de se trabalhar por este aspecto mais contido, mas, que conseguem transbordar empatia nos breves e deliciosos diálogos. 

Com um trabalho de som impecável, “Receita de Caranguejo” merece créditos pelo desafio proposto por Issis Valenzuela ao conseguir dar ao público uma visão intimista e extremamente imagética de dores tão difusas e incertas, além de ser uma obra dirigida, produzida, roteirizada e protagonizada por mulheres pretas. Uma conquista ainda longe de ser rotina no cinema brasileiro. 

‘Rose: A Love Story’: terror claustrofóbico ainda que previsível

Um casal que vive no meio do nada coloca seu amor à prova da maneira mais brutal neste horror psicológico britânico. Apesar de suas deficiências narrativas, "Rose: A Love Story" - que teve sua estreia mundial no Festival de Cinema de Londres deste ano - é um...

‘Sibéria’: viagem fascinante pelo nosso abismo interior

Há muitos lugares onde é possível se perder, mas talvez o mais profundo e remoto deles seja dentro de si mesmo. "Sibéria", novo filme de Abel Ferrara que estreou na Berlinale e foi exibido no Festival de Londres deste ano, é uma viagem lisérgica que pede muito do...

‘Os Sete de Chicago’: drama de tribunal eficiente com elenco fabuloso

“Isso é um julgamento político”. Essa afirmação feita por Abbie Hoffman (Sacha Baran Cohen), e notoriamente ignorada por seus companheiros de defesa nos fornece o tom de “Os Sete de Chicago”, filme de Aaron Sorkin disponível na Netflix. A produção se baseia em um dos...

‘Sertânia’: cinema como luta e resistência às agruras do sertão

Que a idade não é impeditiva para grandes diretores seguirem fazendo trabalhos excelentes a cada ano não é novidade – Manoel de Oliveira e Martin Scorsese, talvez, sejam os casos mais exemplares nos anos 2010. Porém, aos 81 anos, Geraldo Sarno, figura fundamental para...

‘Black Box’: ficção científica lembra episódio esticado de série

Entender como funciona o nosso subconsciente parece ser um daqueles mistérios que nunca acabará, nem mesmo se um dia forem criadas máquinas que leiam o pensamento humano. A arte, de forma geral, tenta ofertar soluções que sanem a nossa curiosidade. No cinema, por...

‘O Reflexo do Lago’: documentário fica pela metade em muitos caminhos

Primeiro filme paraense a ser exibido no Festival de Berlim, “O Reflexo do Lago” tateia por diversos caminhos da Amazônia e do documentário ora acertando em cheio pela força das suas imagens ora tropeçando nas próprias pernas pelas pretensões colocadas para si. Nada...

‘Mães de Verdade’: os tabus da honra e da adoção em belo filme

Destaque da programação da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo 2020, “Mães de Verdade” é o novo filme da prolífica diretora japonesa Naomi Kawase (“Esplendor”, “O Sabor da Vida”). A produção bebe da fonte do melodrama para contar uma história de honra e...

‘Cabeça de Nêgo’: candidato forte a filme do ano do cinema brasileiro

Inspirado no movimento de ocupação de escolas ocorrido em São Paulo no ano de 2015, “Cabeça de Nêgo” é um manifesto de rebeldia ao racismo, anti-sistema e contra a precariedade da educação pública brasileira. Faz isso aliando um discurso social engajado, altamente...

‘The Boys in the Band’: leveza para abordar assuntos sérios

Dirigido por Joe Mantello (“Entre Amigos”), “The Boys in the Band”, disponível na Netflix, é mais um daqueles filmes que segue a linha verborrágica. Baseada na peça da Broadway de mesmo nome, a produção conta com um elenco estelar e assumidamente gay para narrar uma...

‘Cavalo’: resistência negra em potente obra alagoana

Para quem vive em Estados periféricos relegados constantemente ao segundo plano no contexto nacional, certas conquistas abrem portas consideradas impossíveis em um passado não tão distante. Em relação ao cinema nacional, a política de regionalização do nosso cinema...