Candidato da Paraíba na mostra competitiva de curtas-metragens nacionais do Festival de Gramado 2020, “Remoinho” é um filme que se insinua grande em diversos momentos, dá indícios de um potencial enorme. Ao término dele, porém, o sentimento que fica é da frustração pelas possibilidades múltiplas não terem sido exploradas ao máximo. 

Dirigido e roteirizado por Tiago Neves, “Remoinho” acompanha o retorno de uma mulher, ao lado do filho, para a casa da mãe no interior da Paraíba. Silenciosa e de olhar distante, passa os dias entre a solidão e escutando outros conversarem com ela sem esboçar maiores reações. 

A sensação de angústia predomina em “Remoinho” graças à habilidosa construção do roteiro. Tiago Neves não dá respostas claras sobre o que pode ter acontecido com a vida de sua protagonista. Podemos supor uma violência familiar pela forma como se livra do chip do celular após a ligação do marido logo na primeira cena ou a frustração com a vida artística e os sonhos que não deram certo ou não se sentir apta em ser mãe ou simplesmente não estar feliz com a vida que leva.  

Este caráter indecifrável e impenetrável da protagonista, defendida de forma comovente por Cely Farias, alimenta a teia de possibilidades para o espectador preencher com interpretações diversas, sendo a única certeza o sofrimento enorme ali dentro. O contraponto fica por conta da mãe vivida por Zezita Matos (também muito bem): cabe a ela fazer as quebras no silêncio e fornecer pistas sobre o que ocorreu, além de dar uma dimensão social das transformações sociais do povo nordestino e da figura feminina e seus sonhos.  

Com uma direção de fotografia das mais belas dos filmes do Festival de Gramado (apesar de um ligeira desfocada na sequência da chegada da família), “Remoinho” derrapa justo na reta final. Não que fosse necessário respostas fáceis ou didática à la Hollywood, porém, a maneira como tudo se conclui, quase abruptamente, deixa uma sensação de incompletude, de que faltaram peças, elementos para concluir aquele painel tão rico demonstrado até ali.  

Um bom e intrigante filme com um final decepcionante. 

‘O Peso do Talento’: comédia não faz jus ao talento de Nicolas Cage

Escute esta premissa: Nicolas Cage, ator atribulado de meia-idade, teme que sua estrela esteja se apagando; o telefone já não toca mais, as propostas se tornaram escassas e o outrora astro procura uma última chance de voltar aos holofotes com tudo. Vida real, você...

‘O Soldado que não Existiu’: fake news para vencer a guerra

Em 1995, Colin Firth interpretou o senhor Darcy na série da BBC que adaptou “Orgulho e Preconceito”, de Jane Austen. Dez anos depois, Matthew Macfadyen eternizou o personagem no filme de Joe Wright, tornando-se o crush de muitas jovens e adolescentes. John Madden...

‘@ArthurRambo: Ódio nas Redes’: drama sintetiza a cultura do cancelamento

A cultura do cancelamento permeia a internet às claras. Para o público com acesso  frequente, é impossível nunca ter ouvido falar sobre o termo. Vivemos o auge da exposição virtual e como opera a massificação para que os tais alvos percam - merecidamente - ou não -...

‘Águas Selvagens’: suspense sofrível em quase todos aspectos

Certos filmes envolvem o espectador com tramas bem desenvolvidas, deixando-nos mais e mais ansiosos a cada virada da história; outros, apresentam personagens tão cativantes e genuínos que é impossível que não nos afeiçoemos por eles. Mas existe também uma categoria...

‘Ambulância – Um Dia de Crime’: suco do cinema de ação dos anos 2000

Vou começar com uma analogia, se me permitem. Hoje em dia, o ritmo e consumo de coisas estão rápidas e frenéticas. Com o Tik Tok e plataformas similares, esse consumo está ainda mais dinâmico (e isso não é um elogio) e a demanda atende às exigências do mercado. A...

‘Eduardo e Mônica’: para deixar Renato Russo orgulhoso

Se há algo que é difícil de ser respeitado no mundo cinematográfico atual é a memória e o legado do artista. Por isso, ver o legado de Renato Russo e da Legião Urbana sendo absorvido pelo cinema com um grau de respeito e seriedade acaba por fazer a situação inusitada,...

‘Doutor Estranho no Multiverso da Loucura’: barreiras da Marvel travam Sam Raimi

“Doutor Estranho no Multiverso da Loucura” apresenta uma das suas passagens mais interessantes quando o protagonista (Benedict Cumberbatch) e America Chavez (Xochitl Gomez) cruzam uma série de mundos em poucos segundos. De universos mais sombrios aos realistas até...

‘Cidade Perdida’: um estranho no ninho dos blockbusters

É mesmo surpreendente uma atriz como Sandra Bullock ainda não ter protagonizado um filme de super-herói. A atriz de 57 anos, conhecida pela filmografia repleta de comédias e até mesmo filmes de ação, afirmou que chegou perto de estrelar um longa produzido por Kevin...

‘Pureza’: história impressionante vira filme raso e óbvio

Inspirado em uma história real, “Pureza” retrata a história de uma mulher homônima, interpretada por Dira Paes, na incessante busca por encontrar e libertar o filho. O jovem Abel (Matheus Abreu) saiu de casa na esperança de conseguir trabalho no garimpo, mas some sem...

‘The Humans’: um jantar de Ação de Graças sobre ausências

“The Humans” é a adaptação da peça de teatro homônima de Stephen Karam, premiada com o Tony de melhor peça em 2016. A história serve de début para o dramaturgo como diretor de filmes. Nela acompanhamos o jantar de Ação de Graças de uma família no novo apartamento da...