Atenção: O texto possui spoilers

Em uma rápida definição, podemos dizer que super-heróis são personagens fictícios dotados de poderes mágicos com o objetivo de ajudar a sociedade ou os desprotegidos. Apesar de existirem outros exemplos que fogem desse conceito no cinema e televisão, a série ‘The Boys’ o deixa totalmente de lado em busca de uma humanização dos personagens.

Mesmo adotando clichês consecutivos no roteiro, o seriado consegue utilizar a proposta sobre heróis politicamente incorretos para criar uma produção original e revigorante aos espectadores presos à Marvel, nos cinemas, e à DC, nos seriados.

Essa originalidade não surgiu ao acaso: ‘The Boys’ é uma adaptação de uma HQ homônima. Os quadrinhos, inclusive, exageram bem mais na violência que a série televisiva. A regulação entre cenas chocantes e momentos para o público se envolver na história é o grande trunfo do seriado.

The Boys é grupo iniciado pelos protagonistas Butcher (Karl Urban) e Hughie (Jack Quaid). Os dois se unem em uma tentativa de desmascarar e deter os super-heróis do grupo Os Sete, cujas ações irresponsáveis causaram mortes de entes queridos de Butcher e Hughie.

Apesar da violência explícita ser o grande destaque da produção, ‘The Boys’ apresenta um bom desenvolvimento dos heróis, que são deixados em uma posição próxima ao público, com erros e desejos humanos. Para além disso, a série apresenta heróis atuais, tanto por suas tramas políticas e sociais, quanto pela importância da opinião pública para a aceitação de seu trabalho.

O líder d’Os Sete, Homelander (Antony Starr), é responsável por participar ativamente das ações de divulgação do grupo e protagonista das escolhas mais inescrupulosas. Seus atos se justificam em relação à construção como herói e pessoa e, assim, é o personagem mais complexo da trama. Além dele, Butcher e Hughie também são destaques positivos do roteiro, ajudando a equilibrar a opinião sobre os dois grupos inimigos.

Poderia ser melhor

Apesar de desenvolver vários aspectos da vida dos protagonistas, a série negligencia muito outros personagens, seja pela ausência destes na maior parte da trama ou por uma construção de personagem ruim mesmo. Deep (Chace Crawford), por exemplo, aparece pela primeira vez como assediador de Starlight (Erin Moriarty), apesar de servir como alívio cômico pela maior parte da série.

A cena, inclusive, ilustra o quanto as personagens femininas são negligenciadas na obra: além de serem minoria na série, também apresentam um nível baixíssimo de complexidade se comparadas aos protagonistas Homelander e Butcher.

A aceitação de ‘The Boys’ pelo público é a plena demonstração que a série conseguiu atingir seu objetivo: mostrar uma nova e realista visão sobre super-heróis. Sim, ainda existem elementos para serem melhorados e, felizmente, uma segunda temporada já anunciada deve lidar com esses problemas. Espero eu.

No mais, ‘The Boys’ é, definitivamente, um destaque positivo de 2019. Afinal, o que poderia dar errado em uma produção com referências a Spice Girls e Breaking Bad?

‘Round 6’: novo e divertido sucesso made in Coreia do Sul

Depois de ‘Parasita’ ganhar o público e o Oscar de melhor filme em 2020, o mundo passou a olhar com mais atenção para as produções sul-coreanas no cinema. Atenta às tendências do mercado audiovisual, a Netflix anunciou um investimento de US$ 500 milhões na produção de...

‘Cenas de um Casamento’: releitura atualiza discussões e preserva caráter episódico do original

"Vou colecionar mais um sonetoOutro retrato em branco e pretoA maltratar meu coração"  É difícil pensar em escrever qualquer análise-ou-crítica-ou-chame-do-que-quiser de "Cenas de um Casamento" (HBO, 2021) e não ter os pensamentos invadidos pela obra original - e...

‘Modern Love’ 2ª temporada: olhar amadurecido sobre as formas de amar

Recomenda-se que esse texto seja lido com a trilha sonora de John Carney. Quando você relembra seus relacionamentos marcantes, que memórias lhe vem à mente? Que músicas e sensações atingem seus sentidos a ponto de soltar um sorriso imperceptível ou o coração apertar...

‘As Filhas de Eva’: a sedutora serpente chamada liberdade

Quem foi Eva? Segundo os escritos da Bíblia, foi a primeira mulher do Planeta Terra, nascida da costela de Adão, o primeiro homem. Enganada e seduzida pela serpente, come o fruto proibido e, como castigo para ambos, Deus enviou o caos à Terra. Esta é uma breve síntese...

‘Loki’: boa, porém desperdiçada, introdução ao multiverso Marvel

Após a excêntrica e divertida "Wandavision", a política e reflexiva "Falcão e o Soldado Invernal", a nova série da Marvel focada no Deus da Trapaça é uma ótima introdução para o que está por vir no Universo Cinematográfico Marvel (MCU). Entretanto, por conta do...

‘Elize Matsunaga – Era Uma Vez Um Crime’: misoginia brasileira escancarada

Duas coisas se destacam na minissérie “Elize Matsunaga: Era Uma Vez Um Crime”: o domínio patriarcal no Brasil e o estudo de personagem feito pela diretora Eliza Capai. A documentarista é responsável por produções que buscam investigar personagens femininas sem...

‘Dom’: história de amor paterno no meio do caos das drogas

Dom (2021), nova aposta da Amazon Prime, é uma série que desperta as mais diversas emoções. Livremente inspirado no romance homônimo escrito pelo titã Tony Belotto e também em O Beijo da Bruxa (2010), de Luiz Victor Lomba (pai do Pedro), a produção narra a história...

‘Solos’: minissérie joga fora todos seus promissores potenciais

A minissérie do Prime Video "Solos" busca se distanciar de comparações ao streaming concorrente. Para tanto, traz elementos de ficção científica e a relação da tecnologia com (e eventualmente versus) a humanidade em um futuro distópico. Nesse sentido, há uma...

‘Manhãs de Setembro’: Lineker encanta em busca pela independência

“Manhãs de Setembro” é uma série recém-lançada pelo Prime Vídeo e traz a cantora Liniker no papel da protagonista Cassandra, uma mulher trans que divide seu tempo como motogirl de um aplicativo de entrega e seu trabalho como cantora. Somos apresentados à personagem em...

‘Mare of Easttown’: Kate Winslet domina brilhante estudo de personagem

Mare Sheehan não encara um bom momento em sua vida. Ela é uma policial na faixa dos 40 anos na cidadezinha de Easttown, no estado americano da Pensilvânia, um daqueles locais onde todo mundo conhece todo mundo. Há cerca de um ano uma jovem desapareceu por lá, e Mare e...