Atenção: O texto possui spoilers

Em uma rápida definição, podemos dizer que super-heróis são personagens fictícios dotados de poderes mágicos com o objetivo de ajudar a sociedade ou os desprotegidos. Apesar de existirem outros exemplos que fogem desse conceito no cinema e televisão, a série ‘The Boys’ o deixa totalmente de lado em busca de uma humanização dos personagens.

Mesmo adotando clichês consecutivos no roteiro, o seriado consegue utilizar a proposta sobre heróis politicamente incorretos para criar uma produção original e revigorante aos espectadores presos à Marvel, nos cinemas, e à DC, nos seriados.

Essa originalidade não surgiu ao acaso: ‘The Boys’ é uma adaptação de uma HQ homônima. Os quadrinhos, inclusive, exageram bem mais na violência que a série televisiva. A regulação entre cenas chocantes e momentos para o público se envolver na história é o grande trunfo do seriado.

The Boys é grupo iniciado pelos protagonistas Butcher (Karl Urban) e Hughie (Jack Quaid). Os dois se unem em uma tentativa de desmascarar e deter os super-heróis do grupo Os Sete, cujas ações irresponsáveis causaram mortes de entes queridos de Butcher e Hughie.

Apesar da violência explícita ser o grande destaque da produção, ‘The Boys’ apresenta um bom desenvolvimento dos heróis, que são deixados em uma posição próxima ao público, com erros e desejos humanos. Para além disso, a série apresenta heróis atuais, tanto por suas tramas políticas e sociais, quanto pela importância da opinião pública para a aceitação de seu trabalho.

O líder d’Os Sete, Homelander (Antony Starr), é responsável por participar ativamente das ações de divulgação do grupo e protagonista das escolhas mais inescrupulosas. Seus atos se justificam em relação à construção como herói e pessoa e, assim, é o personagem mais complexo da trama. Além dele, Butcher e Hughie também são destaques positivos do roteiro, ajudando a equilibrar a opinião sobre os dois grupos inimigos.

Poderia ser melhor

Apesar de desenvolver vários aspectos da vida dos protagonistas, a série negligencia muito outros personagens, seja pela ausência destes na maior parte da trama ou por uma construção de personagem ruim mesmo. Deep (Chace Crawford), por exemplo, aparece pela primeira vez como assediador de Starlight (Erin Moriarty), apesar de servir como alívio cômico pela maior parte da série.

A cena, inclusive, ilustra o quanto as personagens femininas são negligenciadas na obra: além de serem minoria na série, também apresentam um nível baixíssimo de complexidade se comparadas aos protagonistas Homelander e Butcher.

A aceitação de ‘The Boys’ pelo público é a plena demonstração que a série conseguiu atingir seu objetivo: mostrar uma nova e realista visão sobre super-heróis. Sim, ainda existem elementos para serem melhorados e, felizmente, uma segunda temporada já anunciada deve lidar com esses problemas. Espero eu.

No mais, ‘The Boys’ é, definitivamente, um destaque positivo de 2019. Afinal, o que poderia dar errado em uma produção com referências a Spice Girls e Breaking Bad?

‘Better Call Saul’ 6×05: Black and Blue

Dois aspectos de Better Call Saul ficaram claros ao longo da série são: os produtores e roteiristas não têm pressa em construir as situações; e nada acontece de acordo com o esperado. Em relação ao primeiro aspecto, sempre se percebeu o ritmo deliberado da série –...

‘Better Call Saul’ 6×04: Hit and Run

Rhea Seehorn é a revelação de Better Call Saul, uma atriz que se mostrou forte e dona da sua personagem desde sua primeira cena na série, e graças a ela e aos roteiristas e diretores do seriado, a Kim se tornou uma das figuras mais marcantes do universo criado por...

‘Better Call Saul’ 6×03: Rock and Hard Place

AVISO DE SPOILERS: Recomenda-se ler só após assistir ao episódio. Uma das grandes diversões para se acompanhar durante toda a série Better Call Saul era ver personagens inteligentes armando golpes criativos – e engraçados – para enganar alguém. A expectativa para nós,...

‘Ruptura’: o nosso purgatório corporativo de cada dia

“Ruptura” chega até nós causando um bafafá que a compara a “Black Mirror” e “The Office”, mas essas não são as únicas referências que permeiam o trabalho. A temporada, dirigida por Ben Stiller e Aoife McArdle, passa boa parte da primeira metade à procura de um tom...

‘Better Call Saul’ – Episódios 6×01 e 6×02: caminhos sempre inesperados

Aqui estamos, caro leitor: é o retorno da cobertura semanal da sexta e última temporada de Better Call Saul. Faz dois anos desde a quinta temporada, uma longa espera. Nesse meio tempo, a pandemia atrasou as gravações e o lançamento desta última fornada de episódios, e...

‘Anatomia de um Escândalo’: a novela britânica da Netflix

Quando criou Big Little Lies para a TV, David E. Kelley escreveu sobre a vida de três mulheres distintas que viviam em Monterrey, Califórnia. Entre traições, violência doméstica e disputas de ego, ficou claro que contar a crise dentro da classe alta norte-americana...

‘Only Murders In the Building’: a imaginação e sua capacidade de unir gerações

Steve Martin e Martin Short são duas lendas do teatro, televisão e cinema de Hollywood. Mestres da comédia, durante anos emendaram sucesso atrás de sucesso nestas diversas áreas sempre muito celebrados com crítica, público, prêmios e dinheiro. Mas, no showbusiness...

‘Pam & Tommy’: acerto em uma onda de revisionismo

Era apenas questão de tempo que Hollywood resolvesse contar a história de um de seus maiores ícones recentes, símbolo da década de 1990 e vítima do primeiro viral de uma internet que ainda era novidade até mesmo para quem poderia pagar para tê-la com facilidade...

‘Pacificador’: James Gunn mostra a chave do sucesso para a DC

Às vezes, a sensação que Pacificador desperta é de ver alguém brincando com bonecos – ou melhor, action figures, como eles são conhecidos hoje. Esse alguém é o criador, produtor-executivo e diretor de quase todos os episódios, James Gunn. E ele brinca enquanto ouve...

‘The Beatles: Get Back’: entre o fascinante e o interminável

Em janeiro de 1969, os Beatles se reuniram para gravar uma apresentação que seria televisionada e também para trabalhar em músicas para esse show que virariam um novo álbum. Todo esse processo foi acompanhado pelas câmeras do cineasta Michael Lindsay-Hogg, com...