Se não há filme brasileiro na competição oficial da Palma de Ouro, o Festival de Cannes terá o país entre os jurados: diretor de “O Som ao Redor”, “Aquarius” e “Bacurau”, Kleber Mendonça Filho estará no júri presidido por Spike Lee (“Infiltrado na Klan”). O evento será realizado entre os dias 6 a 17 de julho e marca o retorno do evento após não ter sido realizado em 2020 por conta da pandemia da Covid-19. 

Ao lado de Kleber e Spike, estarão no júri os atores sul-coreano Song Kang-ho (“Parasita”) e francês Tahar Rahim (“The Mauritanian”), as atrizes Maggie Gyllenhaal (“Donnie Darko”) e Mélanie Laurent (“Bastardos Inglórios”), a cantora francesa Mylène Farmer, e as cineastas sul-africana Mati Diop (“Atlantique”) e a austríaca Jessica Hausner (“Little Joe”). 

As Atrações de Cannes 

Na seleção pela disputa da Palma de Ouro do Festival de Cannes, Sean Penn vai competir com Flag Day; Nanni Moretti, com Tre Piani e Kirill Serebrennikov, com Petrov’s flu. François Ozon vai levar Tout s’est Bien Passé e Asghar Farhadi, A Hero.  

Mia Hansen-Love concorre à Palma de Ouro com Bergamn Island, filme produzido pela RT Features, do brasileiro Rodrigo Teixeira. Benedetta, de Paul Verhoeven, o retrato de uma freira homossexual ambientado no século 15 e baseado em fatos reais, e “A Crônica Francesa”, de Wes Anderson, filmado no sudoeste da França e estrelado por Bill Murray, Tilda Swinton, Timothée Chalamet e Adrien Brody, já haviam sido anunciados na seleção oficial. 

O festival será aberto com “Annette”, do francês Leos Carax e estrelado por Adam Driver e Marion Cotillard, que interpretam um casal glamouroso de estrelas cuja vida muda com a chegada de sua primeira filha. A atriz e diretora norte-americana Jodie Foster receberá a Palma de Ouro honorária do Festival de Cannes, 45 anos depois de ser convidada pela primeira vez ao evento como uma das integrantes do elenco de “Taxi Driver”. 

Michel Guerrero e as memórias da infância no Cine Carmen Miranda

Michel Guerrero possui uma longa carreira no teatro manauara, incluindo sua personagem mais famosa, Lady Park. Agora, ele revive sua paixão de infância pelo cinema para produzir seu primeiro curta-metragem como diretor, “Cine Carmen Miranda”. Partindo de uma narrativa...

Cláudio Bitencourt e Diego Lopes: “o talento do Marco Ricca elevou ainda mais ‘Lamento’”

Glamourosos e com uma diversidade de gente de todos os tipos entre hóspedes e clientes, hotéis sempre foram locais adorados por roteiristas e diretores para ambientarem suas produções. De Edmund Goulding em "O Grande Hotel" (1932) ao clássico "O Iluminado", de Stanley...

Daniel Nolasco: ‘A História brasileira ressignificou ‘Vento Seco’’

"Vento Seco" estreia no circuito comercial dos cinemas brasileiros em um mundo bem diferente de quando foi formulado inicialmente lá no longuíquo 2013. A chegada de um governo de extrema-direita ao poder e todo o preconceito contra minorias trazido por ele coloca...

Ignacio Rogers: ‘’O Diabo Branco’ mostra como as feridas da colonização seguem abertas’

 Com uma trajetória na carreira de ator iniciada em 2005, o argentino Ignacio Rogers resolveu se aventurar na direção de longas-metragens neste ano com “O Diabo Branco”. A produção em cartaz nos cinemas brasileiros toca em pontos sensíveis da colonização...

Heitor Dhalia: ““Anna” foi um filme desafiado pelo seu tempo”

Um nome importante do meio artístico utilizando seu prestígio para promover um ambiente tóxico de trabalho ao promover abusos morais e até sexuais a seus subordinados. Não, ainda não se trata da cinebiografia de Harvey Weinstein e sim do mote principal de “Anna”, novo...

Lucas Salles: “filmes como ‘Missão Cupido’ trazem a esperança de um final feliz”

Vindo de uma geração marcada pela transformação tecnológica, Lucas Salles é um bom exemplo de artista multiplataforma. Já foi repórter do 'CQC' e do 'Pânico na Band', realiza stand-up comedy no teatro, foi apresentador da "A Fazenda Online" e também investe na...

Lírio Ferreira: “‘Acqua Movie’ é uma extensão espiritual de ‘Árido Movie’”

A Retomada do Cinema Brasileiro viu surgir uma nova geração de diretores pernambucanos com impacto de influenciar e referenciar a produção nacional fora do eixo Rio-São Paulo. Lírio Ferreira abriu as portas em 1997 com o já clássico “Baile Perfumado”. Ao som do mangue...

Ricardo Calil: ‘Cine Marrocos’ simboliza os desencontros do Brasil com a cultura e os sem-tetos’

Ricardo Calil ficou conhecido como documentarista de grandes filmes sobre a música e a cultura brasileira. São dele produções como “Uma Noite em 67” sobre o célebre Festival da Record com estrelas como Roberto Carlos, Chico Buarque, Os Mutantes e Gilberto Gil; “Eu Sou...

Gustavo Pizzi: “‘Gilda’ representa a luta contra a imposição externa sobre a própria vida”

No Brasil 2021 de Jair Bolsonaro, uma mulher livre, dona do próprio corpo e contrária a opressão masculina incomoda muita gente. “Os Últimos Dias de Gilda”, série disponível na Globoplay, mostra muito bem isso.  A produção exibida na Berlinale Series neste ano estreou...

Júlia Rezende: “’Depois a Louca Sou Eu’” pode ser uma ponte de diálogo sobre a ansiedade’

“Meu Passado me Condena 1 e 2”, “Ponte Aérea” e “Uma Namorado para a Minha Mulher”. Todos os estes filmes são sucessos recentes da comédia romântica brasileira dirigidas pela Júlia Rezende. E ela está chegando nos cinemas com “Depois a Louca Sou Eu” com a Débora...