Recebi a notícia da morte de Rubens Ewald Filho no meio da arrumação para o lançamento do livro do Cine Set pela Camila Henriques.

A correria e a preocupação em tudo dar certo impediram que o impacto da notícia fosse devidamente processada.

Passado todo o lançamento, a ficha começa a cair: o crítico de cinema mais popular e conhecido do Brasil nos deixou.

O cara dos guias de cinema repleto de dicas e informações preciosas sobre filmes.

O cara com uma memória invejável, sempre sabendo do nome das obras, dos atores, diretores, membros da equipe técnica.

O cara que vi na televisão quando criança, de manhã cedo, falando sobre cinema na Bandeirantes e eu ficava vendo sem entender ainda o motivo daquilo me interessar.

E, claro, o cara do Oscar desde 1985 na televisão brasileira.

Há quem torcesse o nariz para Rubens Ewald Filho por diversos motivos.

Alguns deles justos como, por exemplo, comentários inconvenientes, fora de qualquer análise cinematográfica, e implicâncias bastante pessoais.

Em um deles, ao falar sobre Daniela Vega, atriz de “Uma Mulher Fantástica”, custou a Ewald Filho a presença ao vivo no Oscar.

Esses deslizes, entretanto, não apagam a importância dele.

Rubens Ewald Filho conseguiu levar a crítica de cinema para um público além do cinéfilo.

O modo de explicar as técnicas do cinema e as qualidades de um filme era simples sem ser simplista.

Mesmo falando com um público amplo, Rubens Ewald Filho conseguia manter a acidez e o rigor crítico.

Muito menos tratava o espectador como um bobão, praga da TV atual para falar sobre qualquer assunto, inclusive, o cinema.

Apaixonado pelo cinema, foi muito além da crítica: foi curador dos Festivais de Gramado e Paulínea, além de ter trabalhado como ator e roteirista.

Em 2004, esteve em Manaus para o lançamento e sessão de autógrafos de “O Guia do DVD” durante o Amazonas Film Festival.

Integrante do Cine Set, Ivanildo Pereira conseguiu o exemplar e lembra da simpatia do crítico.

Rubens Ewald Filho deixa um legado fundamental para a crítica cinematográfica no Brasil e caminhos abertos para novas gerações falarem sobre cinema de modo acessível com inteligência e personalidade.

Cine Set no Festival de Berlim 2021: a história do cinema brasileiro no evento

Ver essa foto no Instagram   Uma publicação compartilhada por Cine Set (@cineset) Se tem um evento que gosta do cinema brasileiro, este é a Berlinale. A primeira vez que o Brasil participou da Berlinale em 1953 com dois filmes na mostra competitiva de...

Cine Set no Festival de Berlim 2021: conheça os detalhes do evento alemão

Direto do sofá da minha casa, eu, Lucas Pistilli, correspondente internacional do Cine Set aqui na Europa, irei cobrir o Festival de Berlim 2021. A Berlinale é um dos maiores eventos cinematográficos do mundo e o primeiro da grande tríade - composta por ele, Cannes e...

Quando o mau jornalismo presta desserviço aos artistas e à cultura do Amazonas

Faz duas semanas da morte precoce de Zezinho Corrêa, uma das 10 mil vítimas fatais na capital mundial da COVID-19. Naquele momento, a grandeza de um dos maiores artistas surgidos por estas bandas uniu todos os amazonenses em um luto coletivo e cessou por breves...

Asfixiada, a distópica Manaus sucumbiu; qual realidade será construída agora?

Para retornar a falar de cinema aqui no Cine Set, antes preciso falar de Manaus. O Cine Set sempre teve orgulho de ser um site de cinema independente produzido aqui na capital amazonense e, diante da maior tragédia da história da cidade, não dá para seguir adiante sem...

Os 10 Maiores Ataques do Governo Bolsonaro contra o Cinema do Brasil em 2020

Segundo ano de Jair Bolsonaro na presidência da República e segundo ano da lista dos maiores erros cometidos pela gestão dele em relação ao audiovisual brasileiro aqui no Cine Set (leia a lista de 2019).   Em um 2020 marcado pela tragédia da morte de mais de 190 mil...

Sean Connery, o astro mais perigoso do cinema

O cinema perdeu Sean Connery. No último 31 de outubro de 2020, foi anunciada pela família a morte do ator, que se foi tranquilamente durante o sono. Até o momento de escrita deste texto, a causa da morte não foi informada. Micheline Roquebrune, a viúva do astro,...

Olhar de Cinema e o ano que vivemos em quarentena

No Brasil de 2020, a leitura de mundo e a leitura de obras audiovisuais por parte de quem as consome encontra uma forte tensão: o país descobriu, não tão de repente, que a realidade objetiva só é palpável na medida em que é mensurada por nossos sentidos, sejam os...

Brasil na Covid-19 X Filmes de Fim de Mundo: Realidade mais irracional que a Ficção

A realidade é, muitas vezes, mais estranha que a ficção. E a realidade brasileira, então, nem se fala. Neste artigo vou comentar um pouco sobre como o Brasil do Covid-19 se compara com alguns elementos e clichês de filmes de catástrofes e fim do mundo que Hollywood e...

30 Anos de ‘Lua de Cristal’: documentário celebra sucesso estrelado por Xuxa

Em 1990, Xuxa Meneghel estava no auge de sua carreira. A loira mais famosa do Brasil já era recordista em vendagem de discos e seu programa “Xou da Xuxa”, exibido nas manhãs pela TV Globo, rompia barreiras e começava a ganhar repercussão internacional. Se tal fenômeno...

Bond, Cannes, Mercado Brasileiro: o Impacto do Coronavírus no Cinema

O surto de COVID-19, conhecido popularmente como coronavírus, tem deixado o mundo em pânico nestes últimos meses. O alto número de pessoas diagnosticadas com o vírus e o crescente número de mortes só tem alarmado mais ainda a situação. O surto teve início na cidade de...