“O risco de um novo incêndio é real”. 

Esta frase aparece no segundo parágrafo, quarta linha do manifesto dos trabalhadores da Cinemateca Brasileira divulgado no dia 12 de abril de 2021 – leia abaixo.  

Naquele momento, a instituição com o maior acervo audiovisual da América Latina e registros fundamentais da nossa História jazia abandonada há nove meses após o Governo Bolsonaro tomar o controle do órgão da Associação Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp) 

O incêndio ocorrido na quinta-feira, 29 de julho, no galpão da Cinemateca pode ser encarado como algo além de uma tragédia anunciada. É possível dizer com todas as letras que se trata de uma tragédia planejada. 

DESTRUIÇÃO LENTA E GRADUAL 

Como aponta João Cezar Castro da Rocha, professor da Universidade Federal Fluminense e autor do livro “Guerra Cultural e a Retórica do Ódio: crônicas do Brasil”, a partir de uma lógica de inimigos internos e do discurso de revanche, revisionista dos militares, o governo Bolsonaro promove uma destruição em massa das instituições do país.  

Nisso, a Fundação Palmares se vê comandada por um sujeito completamente oposto à proposta da entidade, temos um ex-ministro da Educação sem a menor educação e um ex-ministro do Meio Ambiente inimigo da floresta. Se perguntar ao presidente e seu fiel séquito o que se pretende construir, sobrarão xingamentos para a falta de respostas.

Considerado foco de comunistas (palavrinha doce na boca da seita) e de oposição a pensamentos autoritários por natureza, o setor cultural, entretanto, ganhou especial dedicação neste projeto. Diferente da forma atabalhoada de destruição de políticas públicas históricas em outros setores – toda a crise da vacinação contra a Covid-19 jogou fora a imagem do país do Zé Gotinha e de campanhas de imunização bem-sucedidas, por exemplo –, a cultura foi “privilegiada” com uma estratégia mais discreta de asfixia. Afinal, para que acabar com tudo de imediato se você pode exterminar o setor lenta e gradualmente?  

Desta forma, Bolsonaro não apenas garante a paralisia de toda uma cadeia produtiva incômoda a ele e ao governo sem chegar a acabar com nada como ainda permite o prolongamento das justas reinvindicações e protestos do setor, fomentando a guerra cultural defendida pelo mentor da ala ideológica, Olavo de Carvalho, executada pelo capacho Mário Frias e alimentada pela seita/milícia virtual orquestrada por Carlos ‘Carluxo’ Bolsonaro. O processo vem sendo registrado pelo Cine Set como você pode acompanhar na série ‘Ataques do Governo Bolsonaro ao Cinema Brasileiro’ (2019 e 2020) e diariamente em nossas postagens nas redes sociais. 

AVISOS POR TODOS OS LADOS 

O roteiro da destruição das instituições se encaminha para o clímax em 2022 com a tentativa de descredibilizar o sistema eleitoral e aplicar um autogolpe para que Bolsonaro permaneça no poder com apoio das Forças Armadas e, se tudo der certo, com o fechamento do Supremo Tribunal Federal. Em bom português, um Golpe de Estado.  

Igual ocorrera com a Cinemateca, os avisos estão por todos os lados. Porém, a arrogância dos canalhas e a complacência daqueles que não se importam fazem o barco seguir rumo à tempestade como se nada estivesse acontecendo.  

Pagam para ver e, depois da barbárie, ou 1) adotam a postura cara de pau de quem nada tem a ver com isso (Frias chegou a dizer que suspeita de incêndio criminoso na Cinemateca – seria uma confissão?) ou 2) postam hashtags, fazem vídeos nas redes demonstrando espanto com aquilo que estava evidente – mas, seguem com seus temores de delírios comunistas, claro.  

A coincidência do horário do incêndio na Cinemateca destruindo parte do nosso passado com a patética live do presidente em que provou não ter provas contra a urna eletrônica não é à toa.

Soa como um prenúncio para o pior. 

Curtas-metragens sobre questões reprodutivas no Olhar de Cinema 2024

Parte da identidade do Olhar de cinema, as sessões de curta-metragens frequentemente são marcadas por uma junção temática dos filmes. Em vez do balaio de filmes separados em “brasileiros” e “estrangeiros” ou “ficção” ou “documentário”; é sempre interessante perceber...

Por que ‘Segundas Intenções’ é o filme do meu coração?

É quase uma unanimidade que gostos são subjetivos. Se formos parar para pensar, a imposição social nos coloca nesse lugar do que realmente gostamos de fato ou se são apenas imposições sociais. Ok, isso é papo para outro momento. Vamos focar nos “Filmes do Coração”....

Cine Set no Festival de Cannes | O Veredicto sobre ‘Motel Destino’

Direto do Festival de Cannes 2024, Camila Henriques fala sobre "Motel Destino", o candidato brasileiro à Palma de Ouro. https://www.youtube.com/watch?v=nG5mxu_1hSM

Cine Set no Festival de Cannes | ‘Anora’, ‘O Aprendiz’ e Duas Grandes Atuações

Direto do Festival de Cannes 2024, Camila Henriques analisa os elogiados "Anora", de Sean Baker, e "O Aprendiz", de Ali Abbasi sobre Donald Trump. https://youtu.be/n9Qx1mIjKyU

Cine Set no Festival de Cannes | Lula e ‘A Queda do Céu’ destacam o Brasil

Camila Henriques analisa os lançamentos de "Lula", de Rob Wilson e Oliver Stone, e do documentário "A Queda do Céu", de Eryk Rocha e Gabriela Carneiro da Cunha. https://youtu.be/R0y7mRXIMBY

Cine Set no Festival de Cannes 2024 | O Pior Filme Até Agora

Direto do Festival de Cannes 2024, Camila Henriques analisa "Oh Canada", do Paul Schrader com Jacob Elordi, Richard Gere e Uma Thurman, e "Rumours", protagonizado pela Cate Blanchett. https://www.youtube.com/watch?v=3dzmkI731bY

Cine Set no Festival de Cannes | Surgiu o Ganhador da Palma de Ouro?

Camila Henriques analisa "Tipos de Gentileza", novo filme do Yorgos Lanthimos com Emma Stone, e "Bird", de Andrea Arnold com Barry Keoghan no Festival de Cannes 2024. https://www.youtube.com/watch?v=ci-Df_e9kTU  

Cine Set no Festival de Cannes | Furiosa e Megalópolis são INCRÍVEIS

Camila Henriques comenta sobre os aguardados "Furiosa", de George Miller, e "Megalópolis", de Francis Ford Coppola, além do dinamarquês "The Girl With the Needle" no Festival de Cannes 2024. https://youtu.be/FYn7_oQHxxY

Cine Set no Festival de Cannes | Meryl Streep emociona em bela homenagem

Camila Henriques traz todos os detalhes dos dois primeiros dias do Festival de Cannes representando o Cine Set. Tem a homenagem a Meryl Streep, a exibição do clássico "Os Sete Samurais", de Akira Kurosawa, e "The Second Act", sátira francesa de abertura do festival....

Festival de Cannes 2024 | Os 22 Candidatos à Palma de Ouro: Parte II

De "Megalópolis", de Francis Ford Coppola, a "Motel Destino", de Karim Ainouz, Caio Pimenta apresenta a segunda parte dos candidatos à Palma de Ouro no Festival de Cannes 2024. https://youtu.be/EY7R3XsBiyc IRÃ, CHINA E ÍNDIA Para turma que não gosta de ver política...