SINOPSE

Uma reflexão poética sobre a natureza, a arte e o feminino por meio do registro do processo de pesquisa, desenvolvimento e produção do novo espetáculo de um grupo de teatro que resiste e insiste em fazer arte na geografia verde e incendiada pela estupidez, a Amazônia.

TRAILER

O Diretor

Natural de Ariquemes, no interior de Rondônia, Édier William é produtor cultural, ator, escritor e diretor de curtas-metragens. Formado em Letras, realizou, em 2017, o curta “Ana”, único projeto do Estado aprovado no Edital de Apoio à Produção de Curta-Metragem de 2017, da Secretaria do Audiovisual – Ministério da Cultura. Dois anos depois, Édier foi o produtor do Madeira Festival de Teatro de Rondônia, um dos maiores eventos do setor com peças provenientes de Porto Velho, Ji-Paraná e Vilhena.

DESTAQUES

O IMAGINÁRIO

Tradicional grupo teatral rondoniense, “O Imaginário” está no centro do foco do curta-metragem. Criado em 2005, o grupo atua na produção, pesquisa e promoção de diversas linguagens teatrais, tendo projetos já aprovados pelo Itaú Cultural e realizado o Festival Amazônia em Cena.

DRIBLE NA FALTA DE RECURSOS

Édier William fazia a residência artística no grupo ‘O Imaginário’ e, ao acompanhar o processo de criação do espetáculo “A Borracheira”, ficou encantado com o projeto e decidiu fazer um documentário. Sem qualquer tipo de recursos de editais para o filme, o diretor utilizou a tecnologia disponível, no caso, um smartphone. 

FICHA TÉCNICA

Argumento, Direção, Fotografia, Câmera, Montagem: Édier William 

Produtor, Ass. De direção e Som direto: Chicão Santos 

Entrevistadxs: Maria Francisca, Babaya Morais, Bira Lourenço, Chicão Santos, Taiane Sales, Flávia Diniz, Daniel Graziani, Zaine Diniz, Edmar Leite. 

“O Medo das Árvores” conduz o espectador por um documentário inventivo partindo de uma estética tradicional que se banha em poesia textual e visual, para um lugar de reflexão e contemplação. Este é um filme regional com abordagem universal, pois, parte de reflexões do nosso contexto amazônico para falar de questões que perpassam a geografia e o tempo. É uma obra que te convida para refletir.

Édier William

Diretor de "O Medo das Árvores"

Festival Olhar do Norte 2024 bate recorde de filmes inscritos

Principal festival de cinema realizado em Manaus, o Olhar do Norte atingiu uma marca histórica na edição deste ano. O evento registrou 527 filmes inscritos nas três categorias competitivas, maior número até então - o recorde anterior era de 365 curtas.  Os Estados da...

Festival Olhar do Norte abre inscrições para edição 2024

O pontapé inicial para o 6º Festival de Cinema da Amazônia – Olhar do Norte está dado: as inscrições para a edição 2024 estão abertas de 15 de abril a 17 de maio através do site oficial do evento (clique aqui). Podem se inscrever filmes com duração máxima de até 25...

‘Prazer, Ana’: o terror de uma noite qualquer

Uma noite qualquer para dezenas de pessoas em uma mesa de bar. Mais uma cerveja, mais uma cadeira, mais alguém chegando, mais vozes ao redor, mais conversa para jogar fora, mais uma marchinha de carnaval na caixa de som. O mais banal dos cenários para a mais comum das...

‘O Desentupidor’: um olhar anárquico sobre a invisibilidade social

Jimmy Christian é um dos mais prolíficos realizadores da cena amazônica. Semelhante aos Gremlins do filme homônimo de Joe Dante da década de 80 que se reproduziam em abundância no primeiro contato com a água, Jimmy produz roteiros e curtas sempre que uma nova ideia...

Olhar do Norte 2023 consagra ‘Ela Mora Logo Ali’ com quatro prêmios

Pela primeira vez, Rondônia leva o prêmio máximo do Festival de Cinema da Amazônia - Olhar do Norte 2023. “Ela Mora Logo Ali” ganhou Melhor Filme do Júri Oficial da Mostra Amazônia, a principal do evento realizado no Teatro Amazonas entre os dias 22 e 25 de agosto. A...

‘Mãri-Hi: A Árvore do Sonho’: poética do fenômeno onírico e do cinema

O curta roraimense Mãri-Hi: A Árvore do Sonho, do diretor Morzaniel Ɨramari, nos introduz em um aspecto interessante da cultura do povo Yanomami, ao apresentar o conhecimento deles sobre sonhos. No filme, vemos a câmera passeando por dentro da floresta amazônica até...

‘Bebé’: carregando o peso do mundo em 3m12

Falar em um curta metragem de pouco mais de três minutos sobre solidão feminina e a sobrecarga que mulheres historicamente são submetidas pode parecer arriscado, no sentido de ser um tema que se direciona para múltiplos caminhos. Essa ousadia foi encarada pela...

‘Ao Lado da Estrada’: acasos felizes em um filme de estrada

Ela espera à beira da estrada após o trabalho. Ele chega em uma Kombi caindo aos pedaços. Oferece uma carona. Os dois já se conhecem, os sorrisos não mentem. Dentro do carro, rola um clima ou a indicação de que deveria haver um clima. Ele coloca umas canções no rádio....

‘Meus pais, Meus atores preferidos’: o pessoal pode ser coletivo

O curta Meus pais, meus atores preferidos, de Gabriel Bravo de Lima, é o segundo trabalho do diretor - o primeiro foi “No Dia Seguinte Ninguém Morreu”, vencedor do prêmio de Melhor Roteiro no Olhar do Norte 2020. O ponto de partida foi realizar uma série de...

‘Ana Rúbia’: permita que eu fale, não as minhas cicatrizes

A narrativa construída em cima do cinema de temática queer, que abarque experiências de corpos travestis quase sempre perpassa pelo caminho da dor. Até porque, o Brasil é o país que mais mata pessoas trans e travestis no mundo. Então, é de se esperar que o cinema como...