Caio Pimenta analisa a vitória de “1917” no Sindicato dos Diretores e dos Diretores de Fotografia, a conquista de Greta Gerwig com “Adoráveis Mulheres” no USC Script Awards e “Klaus” no Annie Awards.

Confirmando o favoritismo, Sam Mendes venceu o prêmio do Sindicato dos Diretores dos EUA. Com isso, “1917” acumula três vitórias importantíssimas nesta temporada de premiações: ganhou o Globo de Ouro dramático e também direção, faturou o PGA, o prêmio do Sindicato dos Produtores, e, agora, o DGA. O filme ainda grande chance de vencer o Bafta, no domingo, 2 de fevereiro, até porque é uma premiação britânica, chegando até a ter mais relação com a história do que os americanos teriam. 

O retrospecto histórico também está a favor de “1917”: desde a criação do evento, em 1949, em 89% das vezes, o ganhador do DGA coincidiu com o vencedor de Melhor Direção do Oscar. Já em Melhor Filme, a margem cai para ótimos 76%. Por outro lado, nos últimos anos, os resultados vêm sendo divergentes, incluindo, Alfonso Cuáron, duas vezes ganhador do DGA por “Roma” e “Gravidade”, mas, que perdeu o Oscar com os dois filmes, Damien Chazelle, de “La La Land”, e o Alejandro González Iñarritu, de “O Regresso”.  

Muito dessa divergência nos últimos anos se deve à mudança pelo sistema preferencial na votação de Melhor Filme. 

Como se ainda não bastasse o DGA, “1917” ainda venceu o prêmio do Sindicato dos Diretores de Fotografia com o Roger Deakins. Essa é a quinta vez que ele fatura o filme: as vezes anteriores foram com “Um Sonho de Liberdade”, “O Homem que não Estava Lá” e “Skyfall”, Blade Runner 2049”. O único Oscar da carreira veio com a sequência da ficção científica dirigida pelo Denis Villeneuve. 

De fato, a dianteira está com “1917”. Esta série de conquistas se encontra paralelo recente de domínio com “La La Land” em 2017, porém, não vejo o filme do Sam Mendes com o amplo favoritismo do Damien Chazelle 

Muito disso, se deve ao nível alto dos concorrentes como “Era uma vez em Hollywood”, a produção que pode dar o primeiro Oscar de Melhor Filme ao Tarantino, o queridissímo “Parasita” e também “Jojo Rabbit”, filme capaz de agradar um público variado. 

Talvez, hoje, o maior risco é chegar muito unânime como o filme para vencer o Oscar porque isso coloca como alvo parecido com o que houve com “La La Land”. As expectativas vão lá para cima, o filme começa a ser destrinchado e os seus problemas expostos em praça pública, no caso, as redes sociais e as conversas de bastidores em Hollywood. E olha que “1917” não é um dos filmes mais maravilhosas não. 

Na hora da votação, eu acho que “1917” vai atingir boas colocações junto a diretores, diretores de fotografia, montadores, diretores de arte, galera do som, produtores porque é um filme com uma técnica soberba e um planejamento logístico para fazer aquilo funcionar impressionante. Por outro lado, os roteiristas, os atores, que tem um grande número de votantes na Academia, e o corpo internacional, talvez, não se envolvam tanto assim com o filme. Essa divisão em um sistema preferencial não é uma coisa muito boa não. 

GRETA E KLAUS SE DESTACAM 

Neste fim de semana, também foi entregue o USC Script Awards, prêmio organizado pela Universidade do Sul da Califórnia, voltado para premiar os melhores roteiros adaptados. E nele quem venceu foi a Greta Gerwig, por “Adoráveis Mulheres”, filme baseado no clássico escrita pelo Louisa May Alcott. O corpo votante do USC é pequeno, são cerca de 50 pessoas, porém, apesar do número, dos últimos 10 anos, oito vezes coincidiu com ganhador do Oscar da categoria. 

E eu acho que isso tem boas chances de se repetir no Oscar: depois da esnobada no SAG, o “Adoráveis Mulheres” cresceu muito, tanto que conseguiu as seis indicações. Além disso, pode ser uma forma de compensar a Greta de não ter sido indicada em Direção, uma das maiores críticas desta temporada de premiações.  

Vale lembrar o quanto os prêmios de Roteiro no Oscar acabam sendo uma espécie de recompensa para grandes nomes que não vão ter chance nas categorias principais: isso vai desde o Woody Allen passando pelo Tarantino até chegar recentemente no Spike Jonze e também no Jordan Peele. 

Agora, se isso acontecer mesmo, mostra como “O Irlandês” está desprestigiado, afinal, se imaginava-se que, pelo menos, em Roteiro Adaptado, ele venceria e, agora, nem isso. 

Já o Annie Awards, principal prêmio do setor da animação nos EUA, consagrou “Klaus”, animação de Natal da Netflix. Já “Toy Story 4” saiu sem nada, não foi premiado em nenhuma categoria. Esse é o segundo grande golpe na temporada de premiações na Disney e na Pixar. Eles já tinham perdido o Globo de Ouro para o então desconhecido “Link Perdido”.  

Desde que Melhor Animação foi instituída no Oscar, os vencedores foram diferentes apenas cinco vezes. Isso, para mim, mostra o quanto esta categoria está aberta: afinal, o “Toy Story” não se firma como o favorito e, com isso, abre espaço para uma primeira vitória de “Como Treinar Seu Dragão” ou a Netflix conseguir uma vitória inédita com “Klaus” e até mesmo “Link Perdido” fazer uma baita surpresa.   

Oscar: TOP 10 Maiores Momentos da Década 2000

De Heath Ledger a "Cidade de Deus", Caio Pimenta apresenta uma lista com os 10 momentos mais marcantes do Oscar na década de 2000. https://www.youtube.com/watch?v=DYL7D-nopTI 10. JORGE DREXLER  https://www.youtube.com/watch?v=7hR8RIbC-Y0 Para começar a lista, vamos no...

Oscar 2021: De Chloé Zhao ao Final Confuso – O Melhor e Pior da Cerimônia

Caio Pimenta analisa quais foram os melhores e piores momentos da cerimônia de premiação do Oscar 2021. https://www.youtube.com/watch?v=eslh3vmQzcM O MELHOR Vamos começar justamente pelo começo: o início da cerimônia com ares de “Onze Homens e um Segredo” da Regina...

Oscar 2021: Conheça o Resultado do Bolão do Cine Set

Descubra quem foi o grande ganhador do bolão do Cine Set do Oscar 2021. https://www.youtube.com/watch?v=pgSNTbfJJCs Primeiro, quero agradecer a todos vocês que acompanharam a cobertura aqui no YouTube, no site, Instagram e Twitter também. O canal chegou a 5000...

Oscar 2021: Anthony Hopkins supera Boseman e vence em Melhor Ator

Para quem esperava Chadwick Boseman, uma grande decepção: Anthony Hopkins é o ganhador do Oscar 2021 de Melhor Ator por “Meu Pai”. Essa é a segunda estatueta do britânico: a primeira, claro, é pelo excepcional trabalho como Hannibal Lecter em “O Silêncio dos...

Oscar 2021: Frances McDormand vence Melhor Atriz e chega à terceira estatueta

Falou em Oscar de Melhor Atriz, falou em Frances McDormand. Pela terceira vez, ela conquista o prêmio. As duas anteriores foram por “Fargo” e “Três Anúncios Para um Crime”. Agora, é a vez de “Nomadland”. https://www.youtube.com/watch?v=08Tl0ivGf_w Com esse resultado,...

Oscar 2021: ‘Nomadland’ é consagrado como Melhor Filme

A jornada de “Nomadland” na temporada de premiações termina consagradora. A produção da Searchlight Pictures recebe o Oscar de Melhor Filme após conquistar o Leão de Ouro em Veneza, o Globo de Ouro, Critics Choice, Bafta, PGA e DGA....

Oscar 2021: ‘Soul’ confirma favoritismo e vence em Trilha Sonora

O domínio completo de “Soul” em trilha sonora se confirmou no Oscar 2021: a produção levou o prêmio da categoria. Esta é a segunda estatueta da dupla Atticus Ross e Trent Reznor e a primeira de Jon Batiste. Esta é a primeira vez, desde “O Último Imperador”, que uma...

Oscar 2021: ‘O Som do Silêncio” supera ‘Chicago’ para vencer Montagem

Para quem esperava ganhar apenas Melhor Som, “O Som do Silêncio” surpreende para levar a sempre importante categoria de Melhor Montagem. https://www.youtube.com/watch?v=QSs5XQlbetA Esta é a primeira indicação da carreira do Mikkel E.G Nielsen no Oscar. Segundo...

Oscar 2021: ‘Mank” garante vitória em Melhor Direção de Fotografia

Ganhador do prêmio do sindicato dos diretores de fotografia dos EUA, o Erik Messerschmidt repete a dose e confirma a vitória no Oscar da categoria por "Mank". https://www.youtube.com/watch?v=zQ-aTYmYppM Essa é a primeira dele na categoria e marca a segunda vitória em...

Oscar 2021: ‘Mank’ confirma favoritismo e ganha Design de Produção

O favoritismo de “Mank” se confirma: a produção da Netflix venceu o Oscar de Melhor Design de Produção. Esta é a primeira estatueta da carreira da Jan Pascale e a segunda do Donald Graham Burt: ele venceu anteriormente em “O Curioso Caso de Benjamin Button”, parceria...