Caio Pimenta analisa quais são as cinco categorias mais indefinidas da disputa pelo Oscar 2021 e as possibilidades dos indicados. 

CANÇÃO ORIGINAL 

A categoria traz “Speak Now”, de “Uma Noite em Miami”, “Fight for You”, de “Judas e o Messias Negro”, “Io Si”, de “Rosa e Momo”, “Hear my Voice”, de “Os Sete de Chicago”, e “Husavik”, de “Eurovision” entre os indicados.

Desta turma toda, acredito que “Eurovision” e “Os Sete de Chicago” não tem a menor chance. Já “Judas e o Messias Negro” tem pequenas chances devido ao grande momento da H.E.R que se destacou no último Grammy ao levar Melhor Canção do Ano por “I Can´t Breath”, uma homenagem ao George Floyd. 

Porém, a disputa está entre “Speak Now” e “Io Si”. Para o filme da Amazon, pesa o fato de que é aqui a grande chance de sair premiado no Oscar, além de que reconheceria o Leslie Odom Jr, indicado em Ator Coadjuvante e vivendo uma fase de reconhecimento pela indústria do cinema com o sucesso de “Hamilton” no streaming.  

Já “Io Si” é o representante internacional na disputa com uma intérprete bastante conhecida mundialmente como a Laura Pausini e, claro, tem o fator Diane Warren: a compositora concorre pela 12a vez ao Oscar e há uma sensação de que pode ter chegado a hora dela. A vitória no Globo de Ouro deu um empurrãozinho. 

MONTAGEM 

Nomadland”, “O Som do Silêncio”, “Meu Pai”, “Bela Vingança” e “Os Sete de Chicago” são os indicados em Melhor Montagem. 

Levando em conta que, nos últimos 10 anos, o vitorioso do Oscar de Melhor Montagem saiu cinco vezes dos indicados ao Eddie Awards, o prêmio dos profissionais da categoria, a situação se complica para “Meu Pai”. O longa com o Anthony Hopkins não foi nomeado ao evento. 

Também não vejo tanta força assim para “Os Sete de Chicago” conquistar, enquanto “Bela Vingança” parece mais um azarão. A disputa mesmo deve ficar entre “Nomadland” e “O Som do Silêncio”.  

A minha aposta é que a Amazon leve esta categoria pelos ritmos de contrastes que oferece da maior fúria do início para um tom mais ameno na reta final, além de uma parceria perfeita com o complexo design de som. 

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL 

Disputam Melhor Roteiro Original “Minari”, “Os Sete de Chicago”, “Judas e o Messias Negro”, “Bela Vingança” e “O Som do Silêncio”. 

Três filmes estão fortes na categoria:

  • “Bela Vingança” venceu o prêmio do Sindicato dos Roteiristas, traz uma temática muito forte e cara à Academia neste ano e a subida do longa nas últimas semanas mostra que ele caiu nas graças de Hollywood;
  • já “Os Sete de Chicago” tem a grife do Aaron Sorkin, um sujeito para lá de respeitado na indústria com quatro indicações em 10 anos, incluindo, a vitória de “A Rede Social”;
  • e ainda tem “Minari”, o qual não pode disputar o WGA pelo Lee Isaac Chung não ser filiado à entidade, mas, traz elementos de uma clássica história com bons personagens, um contexto social relevante e ainda um tom pessoal bastante sensível . 

Acredito que a estatueta seja disputada entre “Minari” e “Bela Vingança” com o último saindo como favorito por surfar na onda do feminismo, tão fundamental nos dias atuais. Vale lembrar que a última vitória de uma mulher na categoria foi lá no distante 2008 com a Diablo Cody, por “Juno”. 

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE 

Essa é a categoria mais maluca do Oscar 2021. Vamos para as indicadas: temos a Glenn Close, por “Era uma vez um Sonho”, Amanda Seyfried, por “Mank”, Maria Bakalova, de “Borat 2”, Olivia Colman, por “Meu Pai”, e a Yuh-Jung Youn, de “Minari”. 

A única que vejo fora de qualquer chance de vencer o Oscar é a Olivia Colman. Muito disso pelo fato de ter ganhado recentemente uma estatueta por “A Favorita”, além de que “Meu Pai” tem uma força muito grande para o Anthony Hopkins. Vejo que este reconhecimento todo deve cessar com a nomeação.  

Quanto a Amanda Seyfried, ela, neste momento, corre bem por fora. Ainda que tenha tido 10 indicações, “Mank” passa longe de ter todo este carinho da Academia, o que afeta as chances delas. De qualquer modo, essa indicação é importante demais para a Amanda porque mostra que ela está no radar e sendo vista de um outro modo pelos colegas. 

As duas favoritas são a Bakalova e a Yuh-Jung.  

A atriz de ”Borat 2” tem o apelo pop, porém, a resistência das alas mais conservadores e atuações cômicas raramente levam o prêmio da categoria.  

A última vez foi com a Mira Sorvino em “Poderosa Afrodite”, em 1996.  

Já a Yuh-Jung tem a possibilidade de ‘vingar’ o elenco de “Parasita’ e dar a oportunidade da Academia premiar atores asiáticos, contribuindo para o discurso da diversidade que esta edição pode impulsionar. 

E a Glenn Close? Ela é o grande mistério da categoria: vai pesar o fato dela ter perdido de forma tão frustrante em 2019 e a Academia procurar, finalmente, premiá-la após sete derrotas? Ou o fracasso de “Era uma vez um Sonho” e o constrangimento por dar a estatueta por um trabalho pelo qual ela também participa do Framboesa de Ouro serão mais fortes? 

O SAG dará bons nortes em relação a isso. 

MELHOR ATRIZ 

Andra Day, por “Os EUA contra Billie Holiday”, Carey Mulligan, de “Bela Vingança”, Frances McDormand, de “Nomadland”, Vanessa Kirby, por “Pieces of a Woman”, e Viola Davis, de “A Voz Suprema do Blues” são as indicadas em Melhor Atriz.

Apesar de ter vencido o Festival de Veneza e ser lembrada no Bafta, Globo de Ouro e SAG, a Vanessa Kirby não me parece com chances de vencer. Deve ser o mesmo caso da Amanda Seyfreid em que vale a experiência para futuras indicações. 

A Viola Davis também dá sinais de que está ficando para trás na disputa. Isso porque as atenções estão todas voltadas para o parceiro dela de cena, o Chadwick Boseman, e a ausência de “A Voz Suprema do Blues” em Melhor Filme demonstra que a Academia não morre de amores pelo filme. 

A Frances McDormand está no filme da temporada e, com isso, é inevitável que ela não pode ser descartada. Por outro lado, vencer o terceiro Oscar da carreira pouco tempo depois de ter ganhado o anterior pode levar a Academia para outro caminho.  

Andra Day se encaixa em um padrão adorado pela Academia: as tradicionais cinebiografias de grandes nomes da história.  

Não bastasse aqueles momentos explosivos feitos para ganhar o prêmio, ela ainda canta as músicas clássicas de Billie Holliday no filme. A vitória no Globo de Ouro serviu para colocá-la no radar. 

Seria favorita absoluta se não fosse Carey Mulligan. A atriz britânica é uma das maiores da sua geração, mas, nunca ganhou tanta atenção do Oscar: foi indicada uma única vez em 2010, bem no início da carreira, por “Educação”.  

No filme, ela encarna uma personagem que sintetiza e vinga de forma catártica mulheres vítimas do machismo, sendo um símbolo desta era #MeToo. 

Logo, Carey Mulligan é a favorita, mas, muita atenção para Frances McDormand e Andra Day. 

Oscar: TOP 10 Ganhadores de Melhor Direção na Década de 1950

Hora do TOP 10 dos ganhadores do Oscar de Melhor Direção nos anos 1950. Essa lista leva em consideração as edições de 1950 a 1959.  https://www.youtube.com/watch?v=I5Tm-AmJP2s  10. JOSEPH L. MANKIEWICZ, POR "QUEM É O INFIEL?"...

Oscar 2022: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 6

De Martin Scorsese a Peter Jackson, Caio Pimenta apresenta mais possibilidades de filmes para disputar o Oscar 2022. https://youtu.be/5djhrFXK5PI KILLERS OF THE FLOWER MOON  Depois de ver “O Irlandês” sair sem Oscar algum em 2020, o Martin Scorsese deve vir com sangue...

Oscar: TOP 10 Ganhadores de Melhor Ator na Década de 1950

De Broderick Crawford a David Niven, Caio Pimenta apresenta o TOP 10 dos vencedores do Oscar de Melhor Ator nos anos 1950.  https://www.youtube.com/watch?v=l8mkXAdFUOY 10. WILLIAM HOLDEN, por "Inferno Número 17" https://www.youtube.com/watch?v=A49F9e2_AWs O primeiro e...

Oscar 2022: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 5

De Lázaro Ramos a Rodrigo Santoro, confira quais filmes brasileiros podem aparecer na disputa pelo Oscar 2022. https://www.youtube.com/watch?v=5Wt4K5E300A MEDIDA PROVISÓRIA  Já pensou o Congresso Nacional determinar o retorno de todas as pessoas com “melanina...

Oscar: TOP 10 Maiores Momentos da Década 1960

De Sophia Loren a Sidney Poitier, chegou a hora de listar os 10 maiores momentos do Oscar na década de 1960.   https://www.youtube.com/watch?v=y6-i1eFjrYI 10. CERIMÔNIA QUASE CANCELADA  https://www.youtube.com/watch?v=fjyi70JVP_I Você já pensou faltar três horas para...

Oscar 2022: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 4

De Steven Spielberg a Bradley Cooper, Caio Pimenta traz a quarta parte de possíveis candidatos ao Oscar 2022.  https://www.youtube.com/watch?v=8httML5WBLA AMOR SUBLIME AMOR https://www.youtube.com/watch?v=A2Nm_5rxpY4 O Steven Spielberg já passou pelos mais diversos...

Oscar: TOP 10 Maiores Momentos da Década 1970

De Marlon Brando a “Um Estranho no Ninho”, Caio Pimenta apresenta o TOP 10 dos maiores momentos da história do Oscar na década 1970. 10. VITÓRIAS DE "UM ESTRANHO NO NINHO" https://www.youtube.com/watch?v=v3MHfxDG5Vg Se dominar o Oscar em anos não tão fortes como...

Oscar: TOP 10 Maiores Momentos da Década 1980

De Sally Field a Cher, Caio Pimenta apresenta o TOP 10 dos maiores momentos da história do Oscar na década 1980.  https://www.youtube.com/watch?v=N7rI7IAj8T0 10. CRIAÇÃO DA CATEGORIA DE MAQUIAGEM  https://www.youtube.com/watch?v=G6f7by_UMNw&pp=qAMBugMGCgJwdBAB Em...

Oscar 2022: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 2

Com filmes de Guillermo Del Toro, Will Smith, Ana de Armas e Nicole Kidman, Caio Pimenta divulga a segunda parte de possíveis candidatos ao Oscar 2022.  https://www.youtube.com/watch?v=D3KvgHzDdAI O BECO DAS ALMAS PERDIDAS  O Guillermo Del Toro conquistou o Oscar em...

Oscar: TOP 10 Maiores Momentos da Década 1990

Chegou a hora de trazer os maiores momentos do Oscar na década de 1990 aqui no canal do Cine Set no YouTube. Aqui, levo em conta as edições de 1991 a 2000.  https://www.youtube.com/watch?v=me3D8bXcuEk 10. VITÓRIA DE STEVEN SPIELBERG ...