Caio Pimenta apresenta a influência dos prêmios dos críticos dos EUA para a temporada de premiações e o Oscar 2021. 

FILME INTERNACIONAL 

O nosso “Bacurau” teve a honra de vencer entre os críticos de Nova York. Também daqui da América do Sul, o chileno “Los Fuertes” foi o favorito dos críticos na Flórida. O gualtemalteco “La Llorana” se deu bem em Boston, o russo “Uma Mulher Alta” em Los Angeles, enquanto o dinamarquês “Another Round” levou em Indiana e Chicago. 

Como eu venho dizendo aqui no canal e no site já faz um tempinho, a falta de um Festival de Cannes ou de Veneza torna tudo muito imprevisível. Em anos anteriores, “Parasita”, “Retrato de uma Jovem em Chamas”, “Assunto de Família” e “The Square”, sucessos de Cannes, e também “Roma”, premiado em Veneza, dominaram a categoria.  

Não duvido nada que isso tenha ajudado “Bacurau”, vencedor do Grande Prêmio do Júri em Cannes no ano passado. Também contribuiu o fato do filme ser distribuído pela Kino Lorber, uma empresa que adotou um sistema inovador de streaming capaz de ajudar diversos pequenos cinemas dos EUA. 

Quanto a uma possível indicação ao Oscar, seria um milagre se viesse a acontecer, mas, isso ocorreria em outra categoria. Para 2021, o nosso representante é “Babenco”.

O que dói mais é ver que “Bacurau” pegou nos EUA, teve um público que gosta da produção, mas, mesmo que tivesse sido indicado ano passado, teria que duelar com “Parasita”. 

Quanto ao favorito da categoria para 2021, “Another Round”, com duas vitórias junto a crítica e a vitória arrasadora no European Film Awards, sai na frente. 

ANIMAÇÃO 

Lançado na Apple TV, “Wolfwalkers” venceu em Nova York, Los Angeles e Chicago, enquanto “Soul” levou Flórida e Indiana. Já os críticos de Boston ficaram com o chilelo “A Casa Lobo”. 

Aqui, no ano passado, a crítica americana, exceto de Chicago, ficou com “Perdi Meu Corpo”. A animação francesa até foi indicada, mas, não teve chances em meio a “Toy Story 4” e “Klaus”. 

Por outro lado, a crítica de Nova York tem uma boa margem de acerto nos últimos anos nos vencedores do Oscar – por exemplo, “Aranhaverso”, “Viva”, Divertida Mente” e “Zootopia” foram premiados pelos dois. 

Ainda que eu aposte em “Soul” como franco favorito, dá para dizer que “Wolfwalkers” colocou aquela pulga atrás da orelha do filme da Pixar e deve ganhar mais atenção nas próximas semanas. 

ATOR COADJUVANTE 

Nova York passou por cima do desejo da Netflix de colocar Chadwick Boseman, de “A Voz Suprema do Blues” em Melhor Ator e o elegeu como coadjuvante. Do mesmo filme, o Glynn Turman foi o vencedor em Los Angeles, enquanto o Leslie Odom Jr., de “One Night in Miami” ficou com Indiana. O maior vencedor, entretanto, foi Paul Raci: destaque em “O Som do Silêncio”, ele conquistou os críticos de Boston, Chicago e Flórida. 

O Paul Ruci entrou definitivamente no radar para o Oscar. Chicago, onde ele ganhou, todos os quatro últimos vencedores foram indicados. Em Boston, esse número sobe para seis. Ele corre ainda por fora, mas, pode crescer nesta disputa. A presença do Glynn Turnan, de “A Voz Suprema do Blues” é outro nome que vinha sendo pouco falado, mas, agora, também entra na briga. 

Se o Leslie Odom Jr. apenas confirma o que se espera da possível indicação dele ao Oscar, surpreende a ausência da Bill Murray, de “On the Rocks”. Ainda assim, por essa ser uma corrida em aberto, não duvido que o carisma dele e o fato de nunca ter vencido o Oscar consigam fazê-lo um forte candidato ao prêmio. 

ATRIZ COADJUVANTE 

Revelação de “Borat 2”, a Maria Bakalova conquistou os críticos de quatro cidades: Nova York, Flórida, Indiana e Chicago. Já a Youn Yun-Jung, de “Minari”, levou Los Angeles e Boston. 

Apesar de ter acertado a vencedora do Oscar nos dois últimos anos, Nova York, quando escolheu uma atriz de comédia na categoria – no caso, a Tiffany Haddish, de “Girls Trip” – nem indicada ela foi. Mas, acho sim que a Bakalova cresce para chegar na indicação, aliás, é outro caso de corrida sem favorita, o que facilita essa nomeação dela. 

Já a Youn Yun-Jung só confirma a força dela sendo um nome certo para indicação. Talvez, seja até uma forma da Academia se redimir da esnobada no elenco de “Parasita”. 

MELHOR ATRIZ 

A Frances McDormand, de “Nomadland” venceu junto aos críticos de Indiana, Flórida e Chicago. Por “Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre”, a Sidney Flanigan foi premiada em Boston e Nova York, enquanto a Carey Mulligan, de “Promising Young Woman”, levou Los Angeles. 

Não tem muita surpresa a Frances McDormand e Carey Mulligan saírem vencedoras, afinal, as duas são nomes certos entre as indicadas. A novidade fica mesmo pela Sidney Flannigan que realmente está ótima no filme da Eliza Hittman 

Porém, é bom lembrar que, nos dois últimos anos, as favoritas dos críticos de Nova York não foram nomeadas, incluindo, a triste esnobada para a Lupita Nyong´o, de “Nós”. 

A Viola Davis apareceu em uma lista em segundo lugar, porém, a Vanessa Kirby, ganhadora de Melhor Atriz em Veneza por “Pieces of a Woman”, foi deixada de lado. Ainda assim, a eterna princesa Margareth estará no Oscar. 

MELHOR ATOR 

Por “Destacamento Blood”, Delroy Lindo venceu com os críticos de Nova York e Indiana.  O Chadwick Boseman, de “A Voz Suprema do Blues”, ficou com Los Angeles e Chicago. Por fim, deu Anthony Hopkins, por “The Father”, em Boston e Flórida. 

Apesar de nos últimos anos a Academia e a crítica terem ido para caminhos opostos nesta categoria, esse é um retrato muito bom do que será a corrida para o Oscar de Melhor Ator.  

Cada um dos citados levou em duas regiões. O Boseman e o Hopkins, como já disse nos vídeos anteriores, são favoritos e estão brigando pesado pela estatueta. A vitória do Delroy serve para apontar uma tendência de um nome forte para a indicação assim como aconteceu em anos anteriores com as vitórias do Timothée ChalametAntonio Banderas e do Adam Driver. 

Nos segundos lugares das listas, apareceram o Riz Ahmed, Steven Yeun e o John Magaro, de “First Cow”, justamente quem está na disputa pelas últimas vagas. Fica o registro das ausências do Gary Oldman e do Tom Hanks, cada vez mais distantes das indicações. 

MELHOR DIREÇÃO 

Nascida em Pequim, Chloe Zhao é favorita a Melhor Direção por Nomadland.

 

A única unanimidade entre os críticos foi a Chloe Zhao: ela venceu nas seis regiões em Melhor Direção por “Nomadland”. 

Por incrível que pareça, isso não é totalmente um bom sinal: nos anos 2010, as unanimidades em Direção foram duas – o David Fincher, por “A Rede Social”, e o Richard Linklater, de “Boyhood”. Quando foram para o Oscar, porém, eles perderam, respectivamente, para o Tom Hooper, de “O Discurso do Rei”, e o Alejandro González Iñarritu, por “Birdman”. 

De qualquer modo, cada vez mais, a Chloe Zhao se credencia como a favorita ao Oscar 2021. Por outro lado, o Fincher nem em segundo lugar apareceu. Isso não significa que ele não será indicado, mas, aponta que “Mank” passou longe de conquistar a crítica e dá para dizer o público também.  

Outra coisa interesse de ser observada nas listas é a presença feminina: a Kelly Reichardt, de “First Cow”, e a Regina King, de “One Night in Miami”, apareceram em segundo lugar. Isso demonstra que a gente pode ter, pela primeira vez, duas mulheres indicadas em Direção, incluindo, a primeira mulher negra. 

MELHOR FILME 

Nomadland” levou em Indiana, Boston e Chicago. “First Cow” ficou com Nova York e Flórida. Já Los Angeles surpreendeu e optou pela coletânea de cinco filmes “Small Axe”, comandada pelo Steve McQueen, diretor de “12 Anos de Escravidão”. 

Que “Nomadland” será indicado, isso todo mundo sabe. Agora, vencer em três regiões, seguir extremamente forte desde Veneza, praticamente ser elogiado por onde passa o coloca, assim como a Chloe Zhao em Melhor Direção, na dianteira para levar o Oscar. 

A boa novidade é a vitória de “First Cow”, especialmente, em Nova York. Exceto por “Carol”, todos os vencedores na maior cidade americana foram indicados ao Oscar de Melhor Filme desde 2008.  Então, a conquista obtida pelo longa da Kelly Reichardt é monstruosa e super importante para uma campanha dentro da Academia. 

Minari”, “A Voz Suprema do Blues” e “Os Sete de Chicago” também se deram bem ao conquistar o segundo lugar de algumas listas. Novamente, “Mank” ficou de fora assim como “The Father” e “Relatos do Mundo”. 

Oscar 2021: Quais Deveriam ser os Ganhadores? – Parte 2

Caio Pimenta segue analisando quais deveriam ser os ganhadores do Oscar em nove categorias, incluindo Melhor Filme e atuações. https://www.youtube.com/watch?v=hL7kLULHAd8 DOCUMENTÁRIO E ANIMAÇÕES Entre os documentários em longas-metragens, meu favorito é o chileno “O...

Oscar 2021: Quais Deveriam ser os Ganhadores? – Parte 1

Caio Pimenta analisa quais deveriam ser os ganhadores do Oscar em nove categorias, incluindo Melhor Direção e roteiros. https://www.youtube.com/watch?v=HhiLEu6vciY CURTA E SOM Vamos começar com os curtas de ficção.    O meu favorito é o israelense “White Eye” seguido...

Oscar: TOP 10 Maiores Momentos da Década 2010

De Leonardo DiCaprio a Lady Gaga, Caio Pimenta apresenta uma lista com os 10 momentos mais marcantes do Oscar na década de 2010.  https://www.youtube.com/watch?v=HZm_rdBu7d8 10. RUTH E. CARTER E HANNAH BEACHLER  https://www.youtube.com/watch?v=bw_n6O0d46k...

Oscar 2021: Qual filme tem mais chance de surpreender “Nomadland”?

Grandes rivalidades marcaram muitos anos do Oscar.  Quem não lembra dos duelos de “E o Vento Levou” e “O Mágico de Oz” ou “A Malvada” versus “Crepúsculo dos Deuses”, “A Noviça Rebelde” contra “Doutor Jivago”, “O Poderoso Chefão” versus “Cabaret”, “Kramer Vs Kramer”...

SAG 2021: ‘Os Sete de Chicago’ vence Melhor Elenco e ganha força para o Oscar

Apesar de uma lista repleta de diversidades, o SAG 2021 de Melhor Elenco foi para uma produção de maioria branca com “Os Sete de Chicago”. https://www.youtube.com/watch?v=dh-sPpPXQ0E O filme traz gigantes como Michael Keaton, Eddie Redmayne, Sacha Baron Cohen,...

SAG 2021: Viola Davis mostra força e vence em Melhor Atriz

Até tentaram tirar o protagonismo do filme dela, mas, Viola Davis é tão forte que cá está conquistando o prêmio de Melhor Atriz do SAG 2021 por "A Voz Suprema do Blues". Este é o segundo prêmio da estrela no evento: a primeira aconteceu em 2012 com “Histórias...

SAG 2021: Chadwick Boseman segue imbatível e vence Melhor Ator

A maior barbada do SAG 2021 se confirmou: Chadwick Boseman leva o prêmio de Melhor Ator por “A Voz Suprema do Blues”. Este é o primeiro troféu póstumo da categoria. https://www.youtube.com/watch?v=lyWyv6fYmQ8 Vale lembrar que o Chadwick já venceu o Globo de Ouro e o...

SAG 2021: destaque de ‘Minari’, Yun-Jung Youn vence Melhor Atriz Coadjuvante

Yun-Jung Youn. Vencedora de Melhor Atriz Coadjuvante por “Minari”, ela é a primeira mulher vencedora de um SAG no cinema por um filme não falado em inglês. Entre os homens, o feito ficou por conta do Roberto Benigni, em 1999, por “A Vida é Bela”. ...

SAG 2021: Daniel Kaluuya mantém domínio e vence Melhor Ator Coadjuvante

Depois de levar o Globo de Ouro e o Critics Choice Awards, chegou a hora de Daniel Kaluuya conquistar o SAG 2021. Ele venceu Melhor Ator Coadjuvante por “Judas e o Messias Negro”.  https://www.youtube.com/watch?v=zgKyo_vtBWw Dividindo o protagonismo com...

Oscar 2021: As Cinco Categorias Mais Disputadas da Temporada

Caio Pimenta analisa quais são as cinco categorias mais indefinidas da disputa pelo Oscar 2021 e as possibilidades dos indicados.  https://www.youtube.com/watch?v=moG6OZ3IQ4Q CANÇÃO ORIGINAL  A categoria traz “Speak Now”, de “Uma Noite em Miami”, “Fight for You”, de...