De Robert Benton, por “Kramer Vs Kramer”, a Barry Levinson, por “Rain Man”, Caio Pimenta apresenta o TOP 10 dos ganhadores do Oscar de Melhor Direção nos anos 1980. 

Lembrando sempre que esta lista inclui os vencedores dos anos 1980 a 1989. Um detalhe curioso é que apenas uma vez o ganhador da categoria diferiu de Melhor Filme. Levando os anos 1980 não foram nada demais, esta lista não traz trabalhos tão excepcionais assim. 

10. SYDNEY POLLACK, por “ENTRE DOIS AMORES” 

O Sydney Pollack venceu o Oscar de 1986 pelo trabalho em “Entre Dois Amores”. 

A direção do Pollack vai no limite do burocrático. Conduz sem brilho algum uma história que precisa mais da força da dupla de protagonistas formada por Meryl Strepp e Robert Redford para ter não fazer o público dormir.  

E pensar que a Academia perdeu a oportunidade de premiar o Hector Babenco por “O Beijo da Mulher-Aranha” ou até mesmo o Akira Kurosawa por “Ran”. 

9. ROBERT REDFORD, por “GENTE COMO A GENTE” 

Quem acompanha aqui o canal sabe que eu não morro de amores pelo “Gente Como Gente”, mas, eu  sendo bonzinho aqui em colocar o Robert Redford na nona posição. 

Vencedor do Oscar em 1981, o Redford traz como principal mérito estrear na direção com um trabalho difícil que investe muito mais nos dramas internos que angustiam os personagens sem que isso exploda na tela. É um trabalho competente ainda que falte mais força para que saia do convencional. 

Mesmo assim, segue inexplicável essa vitória quando a gente tinha entre os indicados Martin Scorsese, por “Touro Indomável”, David Lynch, por “O Homem Elefante” e até mesmo o Roman Polanski, por “Tess”. 

8.  RICHARD ATTENBOROUGH, por “GANDHI”

Conhecido pelo público mais novo como o dono do Parque dos Dinossauros, o Richard Attenbourough levou o Oscar pelo trabalho em “Gandhi”. 

Como nos grandes épicos, o que mais chama a atenção é a escala absurda dos cenários e locações com centenas de figurantes nas cenas. Coordenar tudo isso impressiona na mesma medida em que incomoda o convencionalismo do modelo clássico de cinebiografias adotado pelo Attenbourough. 

Aqui, mais um ano em que a Academia poderia ter sido mais ousada e premiado o Steven Spielberg por “E.T”, um filme que envelheceu mil vezes melhor do que “Gandhi”. 

7. JAMES L. BROOKS, por “LAÇOS DE TERNURA” 

O James L. Brooks é mais um diretor iniciante que levou o Oscar nos anos 1980. 

Premiado em 1984, o Brooks pode não ser o diretor mais original em termos de sequências ou narrativas ousadas, porém, sabe como poucos tirar o melhor do seu elenco, dando um terreno amplo para brilharem. E quando você tem Shirley MacLaine e Jack Nicholson isso se torna um cenário perfeito. 

O Brooks é um cara tão talentoso nisso que o Jack Nicholson venceu dois dos três Oscars com ele: Ator Coadjuvante por “Laços de Ternura” e Ator Principal com “Melhor é Impossível”. E as protagonistas dos dois filmes, a Shirley MacLaine e a Helen Hunt, também foram premiadas. 

6. BARRY LEVINSON, por “RAIN MAN” 

Em 1989, o Barry Levinson conquistou o Oscar de Melhor Direção por “Rain Man”. 

Semelhante ao que faz o James L. Brooks, o Levinson trabalha todo o filme em cima da dinâmica dos seus protagonistas, interpretados por Tom Cruise e Dustin Hoffman. Dosando bem humor e drama, ele torna “Rain Man” um projeto longe do brilhante, porém, extremamente agradável de se ver ao longo de duas horas. 

5. WARREN BEATTY, por “REDS” 

O Warren Beatty foi o único na década de 80 que levou Melhor Direção sem o filme ter a conquistado a categoria máxima do Oscar.  

Em “Reds”, o Warren Beatty ecoa a Nova Hollywood em sua face contestadora e politizada ao falar sobre a Revolução Russa, assunto tabu nos EUA, e no desafio épico pessoal de ser diretor, produtor e protagonista. O filme pode até não ter a coesão dos melhores dramas políticos da época e ser excessivamente longo, mas, ainda sim tem seus méritos, especialmente, na direção de arte, figurinos e na Diane Keaton. 

Na lista de indicados de 1982, a gente tinha o Steven Spielberg, por “Os Caçadores da Arca Perdida”, mas, não chega a ser absurda esta vitória do Warren Beatty. 

4. ROBERT BENTON, por “KRAMER VS KRAMER” 

Derrotando Francis Ford Coppola, de “Apocalypse Now”, e Bob Fosse, de “All That Jazz”, o Robert Benton venceu o Oscar de Melhor Direção em 1980 por “Kramer Vs Kramer”. 

A simplicidade do estilo de direção econômico do Robert Benton encontra vazão em uma história sobre a ruptura familiar e a complexidade de um divórcio. Explorando o intimismo das relações entre o ex-casal e do pai com o filho, ele acha o tom perfeito que torna tão crível e palpável para o espectador todo aquele doloroso processo. 

3. OLIVER STONE, por “PLATOON”

O primeiro dos dois Oscars conquistados pelo Oliver Stone veio em 1987 com “Platoon”. 

O drama sobre a luta de jovens americanos para sobreviverem no meio da guerra do Vietnã traz a potência típica do cinema de Oliver Stone sempre contestadora e inquieta. Com cenas inesquecíveis ainda na memória do público cinéfilo até hoje e com um elenco formado por jovens estrelas, “Platoon” segue sendo um dos grandes dramas de guerra da história. 

2. BERNARDO BERTOLUCCI, por “O ÚLTIMO IMPERADOR”

Em meio a tantos nomes americanos, o Oscar se rendeu ao italiano Bernardo Bertolucci em “O Último Imperador”, ganhador do prêmio em 1988. 

Mais do que a narrativa cansativa em muitos momentos, é a escala absurda e a fidelidade às tradições e cultura chinesa que tornam o trabalho de Bertolucci impressionante. De todos os épicos grandiosos sem personalidade feitos nos anos 1980 para vencer o Oscar, “O Último Imperador” é um dos raros exemplares que foge à regra e não envelheceu nada mal. 

Cada entre nós também, a vitória do Bertolucci foi uma barbada em 1988. Entre os indicados não tinha nenhum que sequer o ameaçasse. 

1. MILOS FORMAN, por “AMADEUS” 

O Milos Forman é disparado o primeiro lugar deste TOP 10 com o trabalho único em “Amadeus”. 

Poderia ter sido uma cinebiografia à la “Gandhi” ou um épico enfadonho como “Entre Dois Amores” ou focando apenas na técnica absurda como “O Último Imperador”. Porém, Milos Forman estica o material em mãos e oferece não a trajetória de um gênio, mas, sim um jogo sobre admiração e inveja e todo o incrível processo de criação artística.

Aliado a atuações inesquecíveis de F. Murray Abraham e Tom Hulce e mais todo o primor técnico, “Amadeus” é a obra-prima definitiva de Milos Forman. 

Oscar: TOP 10 Ganhadores Melhor Filme Internacional nos Anos 2010

De "O Segredo dos Seus Olhos", da Argentina, a "Roma", do México, Caio Pimenta elege o TOP 10 dos Ganhadores de Melhor Filme Internacional nos Anos 2010. PS: até 2019, a categoria se chamava Melhor Filme de Língua Não-Inglesa, porém, para fins de maior entendimento,...

Oscar: Os Quase Indicados a Melhor Filme (2000 a 2022)

De "Quero ser John Malkovich" a "Apresentando os Ricardos", Caio Pimenta traz as obras que bateram na trave para serem indicadas a Melhor Filme no Oscar. https://www.youtube.com/watch?v=vPU4Vhgr55Y 2000 a 2009 Com apoio de Harvey Weinstein, “Regras da Vida”...

Oscar: 10 Atuações Masculinas que não deram sorte na Premiação (2000-2020)

De Gary Oldman a Michael Keaton, Caio Pimenta traz um TOP 10 com atuações masculinas que não sorte no Oscar. https://www.youtube.com/watch?v=GdrLBWPhCys 10. GARY OLDMAN, POR "O ESPIÃO QUE SABIA DEMAIS" O décimo lugar deste TOP 10 ocorreu há 10 anos.   O Jean Dujardin...

Oscar: 10 Atuações Femininas que não deram sorte na Premiação (2000-2020)

De Nicole Kidman, por "Moulin Rouge", a Ellen Burstyn, de "Réquiem Para um Sonho", Caio Pimenta traz um TOP 10 com atrizes que não sorte no Oscar, seja por concorrer contra uma mega favorita ou estar no meio de uma disputa entre duas candidatas fortes....

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Saoirse Ronan e Penélope Cruz

Das nomeações por "Desejo e Reparação" e "Volver" a "Adoráveis Mulheres" e "Mães Paralelas", Caio Pimenta analisa quais as melhores e piores indicações de Saoirse Ronan e Penélope Cruz no Oscar. https://www.youtube.com/watch?v=0awFQcqEwSw 4. "BROOKLYN" Começando com a...

Oscar 2023 – Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 9

De Steven Spielberg a Alejandro González Iñarritu, Caio Pimenta aponta os últimos 10 candidatos ao Oscar 2023. "THE FABELMANS" E "BARDO" Steven Spielberg fez uma campanha digna com “Amor, Sublime Amor” no Oscar 2022 ainda que se esperasse mais do musical na briga com...

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Christian Bale e Joaquin Phoenix

Das nomeações por "O Vencedor" e "Gladiador" a "Vice" e "Coringa", Caio Pimenta analisa quais as melhores e piores indicações de Christian Bale e Joaquin Phoenix no Oscar. 4. A GRANDE APOSTA Começo com o Christian Bale e a indicação mais fraca dele ao Oscar, para mim,...

Brasil no Oscar 2023: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 8

No especial dos candidatos do Oscar 2023, Caio Pimenta traz uma lista com sete filmes brasileiros que podem representar o país. https://www.youtube.com/watch?v=AMOUGgQqXiM "MARTE UM", "O LIVRO DOS PRAZERES" E "A Primeira Morte de Joana” Vamos então aos candidatos...

Oscar: TOP 10 Maiores Momentos da Década 1950

Dos recordes de "Gigi" e "A Malvada" às indicações póstumas de James, Caio Pimenta traz os 10 maiores momentos do Oscar nos anos 1950. 10. IMPROVISO DE JERRY LEWIS EM 1959 https://www.youtube.com/watch?v=2riKdGOdU3E&t=157s A lista do Oscar nos anos 1950 continua...

Oscar 2023: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 7

No especial dos candidatos do Oscar 2023, Caio Pimenta traz uma lista com oito filmes brasileiros que podem representar o país. MEDUSA https://www.youtube.com/watch?v=3yW1VUtYXN0 A lista começa com “Medusa”, novo filme de Anita Rocha da Silveira.   Premiado no...