O Festival Olhar do Norte será realizado apenas entre os dias 5 e 7 de dezembro, porém, terá uma prévia no sábado, dia 14 de novembro. O evento promove uma exibição especial de “A Febre“, longa rodado em Manaus com direção de Maya Da-Rin. A sessão será realizada no Playarte do Manauara Shopping, a partir das 20h, com a presença do elenco e da equipe técnica amazonense. O público terá acesso à sessão com direito a metade dos 68 lugares da sala previstos.

Com mais de 30 prêmios acumulados em festivais ao redor do planeta, “A Febre” chega aos cinemas brasileiros no próximo dia 12 de novembro com exibição já garantida em Manaus no Casarão de Ideias. O filme narra a história de Justino, um indígena do povo Desana que trabalha como vigilante em um porto de cargas e vive na periferia de Manaus. Desde a morte da esposa, sua principal companhia é a filha Vanessa, que está de partida para estudar Medicina em Brasília. Com o passar dos dias, Justino é tomado por uma febre forte. Durante à noite, uma criatura misteriosa segue seus passos. Durante o dia, ele luta para se manter acordado no trabalho. Porém, sua rotina no porto é transformada com a chegada de um novo vigia. Nesse meio tempo, seu irmão vem de visita e Justino relembra a vida na aldeia, de onde partiu há mais de vinte anos. 

DA SUÍÇA A RECIFE: PRÊMIOS E MAIS PRÊMIOS

Natural de São Gabriel da Cachoeira, Regis Myrupu venceu o prêmio de Melhor Ator no Festival de Locarno, na Suíça.


Na estreia mundial, no Festival de Locarno, na Suíça, “A Febre” levou três prêmios: o Leopardo de Ouro de Melhor Ator para Regis Myrupu, amazonense natural de São Gabriel da Cachoeira, o prêmio da crítica internacional FIPRESCI e o prêmio “Environment is Quality of Life”. “A Febre” foi eleito ainda Melhor Filme em festivais na França, China, Argentina, Portugal, EUA, Uruguai, Chile, Peru, Alemanha e Espanha. No Brasil, o filme conquistou cinco candangos no 52º Festival de Brasília – Melhor Longa-Metragem, Melhor Direção, Melhor Ator para Regis Myrupu, Melhor Som e Melhor Fotografia – além dos prêmio de Melhor Direção e Prêmio Especial do Júri no Festival do Rio e Melhor Filme e Melhor Som no Janela Internacional de Cinema do Recife.

“O lançamento do “A Febre” estava previsto para abril, quando começou a pandemia. Precisamos, agora, reinventar as estratégias de distribuição e adaptá-las às necessidades do momento atual. Apesar de todas as dificuldades e limitações, o importante é que o filme possa ser visto e que continue a motivar debates com o público. Estamos vivendo um momento histórico frente ao qual não podemos nos silenciar, com o desmonte da cultura e o ataque às comunidades e lideranças indígenas. A distribuidora Vitrine Filmes vem fazendo um grande trabalho nesse sentido. Além do lançamento em salas e streaming, estamos organizando diferentes frentes para que o filme possa chegar ao público indígena e ser assistido nas comunidades”, declarou Maya.

MAIOR FESTIVAL DE CINEMA DO AMAZONAS NA ATUALIDADE EM EDIÇÃO ONLINE

10 filmes disputam os prêmios da Mostra Norte do festival em 2020.

Chegando à terceira edição em 2020, o Festival Olhar do Norte se adapta aos desafios impostos pela pandemia da COVID-19. Sem a possibilidade de um evento presencial, a iniciativa promovida pela Artrupe Produções Artísticas será online através de parcerias com o Cine Set e a plataforma Videocamp, se consolidando como principal e mais longevo festival de cinema do Estado desde o fim do Amazonas Film Festival.

A competitiva Mostra Norte apresenta seis filmes do Amazonas – O Mezanino“, de Bruno Vilela e Marcelo de Moura; “Seo Geraldo homem de música e planta”, de Keila Serruya“Tucandeira”, de Jimmy Christian; “O Estranho Sem Rosto”, de Lucas Martins; “Ratoeira”, de Romulo Souza;  “No Dia Seguinte Ninguém Morreu”, de Gabriel Bravo de Lima -, três curtas do Pará – “À Luz do Sol”, de Edielson Shinohara; “Ari y Yo”, de Adriana de Faria; “Raimundo Quintela – O Caçador Vira Porco”, de Robson Fonseca – e um de Rondônia – “O Medo das Árvores” de Édier William.

Já a Mostra Olhar da Pandemia traz, ao todo, 14 curtas-metragens gravados a partir de março de 2020 durante o período de isolamento social. O Amazonas conta com quatro filmes representantes dos diretores Rômulo SousaJimmy Christian, Murilo Barbosa e Viviane Palandi.

Cine Set realiza curso online e gratuito de roteiro de cinema em maio

Deseja aprender sobre roteiro de cinema, sobre princípios de roteirização e como histórias são contadas? Então, aproveite a oportunidade: o Cine Set vai realizar a primeira edição online e gratuita do curso “Roteiro de Cinema” com o facilitador Ivanildo Pereira....

Ator amazonense Adanilo integra elenco do novo filme de Viggo Mortensen

Destaque de curtas locais premiados como “A Menina do Guarda-Chuva" e “Aquela Estrada”, Adanilo encara o desafio do primeiro internacional da carreira. O ator amazonense será um dos protagonistas de “Eureka”, co-produção entre Argentina, EUA, México e Portugal com...

Amazonense ‘O Barco e o Rio’ é selecionado para festival na Espanha

Depois de passagens de sucessos por festivais brasileiros, chegou a hora de “O Barco e o Rio” alcançar novos caminhos: a produção amazonense está selecionada para o Festival Internacional de Cinema de Huesca, na Espanha. O curta-metragem de Bernardo Abinader disputa a...

Quatro filmes representam o Amazonas na Mostra Histórias do Brasil Profundo

Fruto das políticas públicas de regionalização do audiovisual brasileiro, o atual momento do cinema amazonense alcançou feitos considerados impossíveis décadas atrás, incluindo, desde o surgimento de eventos locais importantes como o Amazonas Film Festival, Olhar do...

Em Manaus, curso gratuito prepara realizadores para primeiro filme

Formação cultural através do audiovisual. Essa é a proposta do projeto “Nosso Primeiro Filme”, contemplado pela Lei Aldir Blanc, através do Prêmio Feliciano Lana da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. O curso propõe um panorama dos principais setores...

Curtas de Begê Muniz e Lucas Martins representam o Amazonas no CineFantasy

O cinema amazonense estará representado em dose dupla no 11.º Cinefantasy – Festival Internacional de Cinema Fantástico. Os curtas "À Beira do Gatilho", de Lucas Martins, e "Jamary", de Begê Muniz, serão exibidos no evento previsto para ocorrer entre os dias 16 e 29...

Websérie Terceiro Ciclo do Cinema Amazonense – Ep 7: O Que Esperar do Futuro?

Caio Pimenta fala sobre o que esperar do futuro do cinema amazonense e os desafios impostos ao audiovisual local.  https://www.youtube.com/watch?v=rQ79UdbQ4yQ O FUTURO PÓS-ALDIR BLANC A curto prazo, o cinema do Amazonas deve ter um bom 2021 e, talvez, 2022. Falo isso...

Cinemas de Joaquim Marinho no Centro de Manaus serão tema de websérie

Muito antes dos multiplexs dos shoppings centers, os cinemas de rua do Centro de Manaus foram referências de cultura e entretimento durante décadas - atualmente restou apenas o resiliente Casarão de Ideias. Durante os anos 1970 ao início do século XXI, as salas de...

Plataforma digital reunirá dados sobre o audiovisual do Amazonas

Uma plataforma digital com o catálogo de profissionais e empresas de audiovisual do Amazonas somado a um observatório com pesquisas e estudos sobre o setor. Esta é a proposta do projeto Tela Amazônia, da produtora Leão do Norte, organizadora do Matapi – Mercado...

‘O Barco e o Rio’ entra no TOP 10 da Abraccine dos melhores curtas de 2020

A trajetória bem-sucedida do filme amazonense "O Barco e o Rio" segue firme em 2021: a produção dirigida por Bernardo Ale Abinader entrou no TOP 10 dos melhores curtas-metragens de 2020 da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine). A lista foi divulgada...