Com um show que unirá artistas remanescentes da música de beiradão e músicos da nova geração, a Cauxi Produções lançará, no dia 6 de novembro, o documentário “A poética dos beiradões”, contemplado no Edital Natura Musical 2018, que faz um recorte sobre o movimento que dominou as rádios e as festas amazonenses na década de 80. O evento acontecerá dentro da programação do projeto “Tacacá na Bossa”, no Largo de São Sebastião, com acesso gratuito.

O documentário aborda a produção fonográfica de compositores amazonenses como Teixeira de Manaus, Magalhães da Guitarra, André Amazonas, Oseas da Guitarra e Chico Caju que, na década de 80, ambientados ao longo das beiradas dos rios amazônicos, instituíram um fazer musical baseado em experimentações e trocas de saberes culturais.

Diretor do documentário e produtor cultural, Rafael Ângelo, destaca que o show de lançamento vai contar com leituras e releituras das músicas dos artistas retratados no vídeo.

“O show vai ser especial com Chico Caju cantando as músicas autorais e também algumas do Teixeira de Manaus; Lico Magalhães, que é filho do Magalhães da Guitarra, vai fazer as músicas do pai, junto com os músicos da Alaídenegão e Betinho da Guitarra”, adianta Rafael, que também é guitarrista da Alaídenegão. “Queremos mostrar toda a diversidade do beiradão”.

“A poética dos beiradões” foi contemplado pelo Edital Natura Musical 2018. Com pouco mais de uma hora de duração, conta com entrevistas e relatos dos músicos que protagonizaram o movimento musical do beiradão; depoimentos dos pesquisadores Rafael Branquinho, sobre a etnografia do beiradão; e Odenei Ribeiro, sobre as questões sociais que envolvem o lazer da música do beiradão; e do o músico Eliberto Barroncas, que conta suas experiências, percepções e ideias sobre música de beiradão.

Também estão no documentário alguns espectadores dos shows de beiradão como Gildomar Campos e Raiuda Moreira, que relatam suas vivências no auge do movimento; além de leituras e releituras de sucessos do beiradão.

“O beiradão não é um gênero, é um movimento musical que mistura diversos ritmos, entre eles carimbó, lambada, xote, samba, forró e música latina. Queremos mostrar um pouco da história dessas canções gravadas na década de 80 e que são de uma originalidade ímpar, que têm um diferencial de tudo o que é feito, que é referência para nós, e que até hoje inspira grupos que se baseiam nessa estética musical”, comenta o diretor.

Após o lançamento, “A poética dos beiradões” será disponibilizado no canal da Cauxi Produções no YouTube e demais plataformas gratuitas.

com informações de assessoria

Amazonense ‘O Barco e o Rio’ é selecionado para festival na Espanha

Depois de passagens de sucessos por festivais brasileiros, chegou a hora de “O Barco e o Rio” alcançar novos caminhos: a produção amazonense está selecionada para o Festival Internacional de Cinema de Huesca, na Espanha. O curta-metragem de Bernardo Abinader disputa a...

Quatro filmes representam o Amazonas na Mostra Histórias do Brasil Profundo

Fruto das políticas públicas de regionalização do audiovisual brasileiro, o atual momento do cinema amazonense alcançou feitos considerados impossíveis décadas atrás, incluindo, desde o surgimento de eventos locais importantes como o Amazonas Film Festival, Olhar do...

Em Manaus, curso gratuito prepara realizadores para primeiro filme

Formação cultural através do audiovisual. Essa é a proposta do projeto “Nosso Primeiro Filme”, contemplado pela Lei Aldir Blanc, através do Prêmio Feliciano Lana da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. O curso propõe um panorama dos principais setores...

Curtas de Begê Muniz e Lucas Martins representam o Amazonas no CineFantasy

O cinema amazonense estará representado em dose dupla no 11.º Cinefantasy – Festival Internacional de Cinema Fantástico. Os curtas "À Beira do Gatilho", de Lucas Martins, e "Jamary", de Begê Muniz, serão exibidos no evento previsto para ocorrer entre os dias 16 e 29...

Websérie Terceiro Ciclo do Cinema Amazonense – Ep 7: O Que Esperar do Futuro?

Caio Pimenta fala sobre o que esperar do futuro do cinema amazonense e os desafios impostos ao audiovisual local.  https://www.youtube.com/watch?v=rQ79UdbQ4yQ O FUTURO PÓS-ALDIR BLANC A curto prazo, o cinema do Amazonas deve ter um bom 2021 e, talvez, 2022. Falo isso...

Cinemas de Joaquim Marinho no Centro de Manaus serão tema de websérie

Muito antes dos multiplexs dos shoppings centers, os cinemas de rua do Centro de Manaus foram referências de cultura e entretimento durante décadas - atualmente restou apenas o resiliente Casarão de Ideias. Durante os anos 1970 ao início do século XXI, as salas de...

Plataforma digital reunirá dados sobre o audiovisual do Amazonas

Uma plataforma digital com o catálogo de profissionais e empresas de audiovisual do Amazonas somado a um observatório com pesquisas e estudos sobre o setor. Esta é a proposta do projeto Tela Amazônia, da produtora Leão do Norte, organizadora do Matapi – Mercado...

‘O Barco e o Rio’ entra no TOP 10 da Abraccine dos melhores curtas de 2020

A trajetória bem-sucedida do filme amazonense "O Barco e o Rio" segue firme em 2021: a produção dirigida por Bernardo Ale Abinader entrou no TOP 10 dos melhores curtas-metragens de 2020 da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine). A lista foi divulgada...

Websérie Terceiro Ciclo do Cinema Amazonense – Ep 6: A Tônica da Descontinuidade

Caio Pimenta fala sobre um dos maiores e históricos problemas do cinema produzido no Amazonas: a descontinuidade.  https://www.youtube.com/watch?v=3rosA6214mc ‘A Tônica da Descontinuidade’. Este é o título do livro mais importante sobre o cinema do Amazonas. O autor é...

Cine Set está credenciado para a cobertura do Festival de Berlim 2021

O Cine Set se prepara para uma nova cobertura internacional: a partir de março, o site de cinema produzido em Manaus traz as novidades sobre o Festival de Berlim 2021. O nosso correspondente internacional, Lucas Pistilli, já está credenciado para o evento online...