Dirigido por Nadav Lapid, “Synonymes”, ganhador do Urso de Ouro do Festival de Berlim 2019, surge como um olhar interessante sobre a nacionalidade e suas raízes. O filme começa com Yoav (Tom Mercier), um jovem israelense que se auto-exila em Paris para fugir do serviço militar e das tradições de sua terra natal. Ele considera as ações do governo de seu país incompatíveis com seu pensamento e começa a rejeitar tudo que aquele mundo representa: de suas tradições até a língua materna, o hebreu. 

A primeira imagem dessa chegada é intrigante pelo vazio no grande apartamento parisiense em que fica por um dia. Tanto o som como a fotografia ressaltam esse primeiro encontro em um país estrangeiro, largado e sozinho, a partir dos ecos e dos planos gerais que constroem essa sequência. Após estes momentos iniciais, Yoav é roubado e perde todas as suas roupas sendo deixado para morrer congelado na banheira do local. 

Na mesma noite, é encontrado por seus vizinhos que estranham as ações no apartamento ao lado e é com a ajuda do casal Emile (Quentin Dolmaire) e Caroline (Louise Chevillotte) que Yoav irá se reerguer nessa capital estrangeira. Yoav passa então a querer se “tornar” francês, incluindo aulas para adquirir a cidadania francesa e aqui entra a discussão principal do filme: como deixar para trás as raízes que nos moldaram como pessoas? 

Com um dicionário de francês, Yoav começa a recitar as palavras que ali estão, para memorizá-las. Aqui se encontram as passagens mais interessantes do filme, onde são filmadas em um estilo quase documental com câmera na mão e um voice-over do ator recitando palavras que, em sequência, criam uma sensação de um longo poema sem fim.  

Synonymes” como trabalho de reavaliação da questão da identidade nacional termina sendo uma obra relevante para o tema. Nas diversas ocasiões que Yoav é confrontado com seu passado, ele mostra uma completa indignação com aqueles momentos. O trabalho de Tom Mecier ao construir um personagem complexo é positivo dado a dubiedade da atuação em entregar ao espectador um indivíduo quebrado, sem saber ainda onde se posicionar no mundo. Yoav parece o tempo todo deslocado daquele universo: quer se fazer presente, porém esse esforço apenas ressalta o fato de ser um ente a parte daquele mundo. 

‘Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge’ e um herói para inspirar o coletivo

Vamos responder logo de cara: Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge, o último filme da bat-trilogia do diretor Christopher Nolan, é o pior dos três? É. É um filme com problemas? Sim. Mas é um filme ruim? Longe disso. Na verdade, quando Nolan foi concluir sua...

‘Spencer’: Kristen Stewart luta em vão contra filme maçante

Em "Spencer", Kristen Stewart se junta ao clube de atrizes - que inclui Naomi Watts (“Diana”) e Emma Corrin (“The Crown”) - que se lançaram ao desafio de retratar a Princesa Diana. A atriz traz uma energia caótica à personagem e a coloca no caminho de uma quase certa...

‘O Garoto Mais Bonito do Mundo’ e o dilema da beleza

Morte em Veneza, o filme do diretor italiano Luchino Visconti lançado em 1971 e baseado no livro de Thoman Mann, é sobre um homem tão apaixonado, tão obcecado pela beleza que presencia diariamente, que acaba destruindo a si próprio por causa disso. E essa beleza, no...

‘Venom: Tempo de Carnificina’: grande mérito é ser curto

Se alguém me dissesse que existe um filme com Tom Hardy, Michelle Williams, Naomie Harris e Woody Harrelson, eu logo diria que tinha tudo para ser um filmaço, porém, estamos falando de “Venom: Tempo de Carnificina” e isso, infelizmente, é autoexplicativo. A...

‘A Casa Sombria’: ótimo suspense de desfecho duvidoso

Um dos grandes destaques do Festival de Sundance do ano passado, "A Casa Sombria", chegou aos cinemas brasileiros após mais de um ano de seu lançamento. Sob a direção de David Bruckner (responsável por dirigir o futuro reboot de "Hellraiser"), o longa é um bom exemplo...

‘Free Guy’: aventura mostra bom caminho para adaptação de games

Adaptar o mundo dos jogos para as telonas é quase uma receita fadada ao fracasso. Inúmeros são os exemplos: "Super Mario Bros", "Street Fighter", "Tomb Raider: A Origem" e até o mais recente "Mortal Kombat" não escapou de ser uma péssima adaptação. Porém, quando a...

‘A Taça Quebrada’: a angustiante jornada de um fracassado

Não está fácil a vida de Rodrigo: músico sem grande sucesso, ele não aceita a separação da esposa ocorrida há dois anos (sim, 2 anos!) muito menos o novo relacionamento dela, além de sofrer com a distância do filho e de ver o trio morar na casa que precisou deixar. E...

‘Halloween Kills: O Terror Continua’: fanservice não segura filme sem avanços

Assim como ocorreu com Halloween (2018), a sensação que se tem ao final da sua sequência, Halloween Kills: O Terror Continua, é de... decepção. O filme dirigido por David Gordon Green que reviveu a icônica franquia de terror no aniversário de 40 anos do clássico...

‘Flee’: a resiliência de um refugiado afegão em animação brilhante

A vida de um refugiado é o foco de "Flee", filme exibido no Festival de Londres deste ano depois de premiadas passagens nos festivais de Sundance (onde estreou) e Annecy. A produção norueguesa é uma tocante história de sobrevivência que transforma um passado...

‘Batman: O Cavaleiro das Trevas’, o filme que mudou Hollywood

Em 2008, dois filmes mudaram os rumos de Hollywood. Foi o ano em que o cinema de super-heróis passou para o próximo nível e espectadores pelo mundo todo sentiram esse abalo sísmico. O Marvel Studios surgiu com Homem de Ferro, um espetáculo divertido, ancorado por...