Caio Pimenta apresenta os principais eventos, festivais e mostras do cinema amazonense nos últimos 20 anos. 

Nos dois primeiros ciclos do cinema amazonense, festivais e eventos não eram tão comuns assim. Os mais célebres aconteceram durante a geração cineclubista dos anos 1960: em 1966, foi realizado o Festival de Cinema Amador, e três anos depois o Festival Norte de Cinema Brasileiro com uma homenagem a Silvino Santos no palco do Teatro Amazonas.  

DO POPULAR AO ACADÊMICO 

Vencedores do Amazonas Film Festival

Já neste terceiro ciclo, o cenário mudou e vimos surgir diversos eventos ao longo dos últimos 20 anos. O mais célebre deles, claro, foi o Amazonas Film Festival. Realizado de 2004 a 2013, o evento era promovido pelo Governo do Amazonas em parceria com instituições internacionais. Para saber mais sobre o AFF, deixo um link para uma websérie aqui do canal que fala justamente sobre o evento. 

Em 2002, surgiu o Um Amazonas, conhecido mais popularmente como festival do filme do minuto. A primeira edição teve coordenação do Sérgio Andrade, porém, o Júnior Rodrigues foi o nome mais associado ao evento. Em sua maioria, as produções eram amadoras, muitas vezes, uma piada filmada, mas, algo natural para uma produção ainda em fase inicial. O festival circulou por Manaus, cidades do interior como Maués e atravessou fronteiras chegando à França e ao México. 

A última edição do Um Amazonas aconteceu em 2016, mas, ele rendeu frutos como o Umzinho, voltado para filmes produzidos por crianças, e o Curta 4, festival para produções com até quatro minutos de duração.  

Também em 2002, surgiu o Festival Amazonas Filmes Curta Brasil que, mais tarde, se tornou Festival Cine Curupira. O evento visou estimular o audiovisual amazonense e trazer produções nacionais para Manaus; terminou em 2006. 

Promovido pelo Navi – Núcleo de Antropologia Visual da Universidade Federal do Amazonas, a Mostra Amazônica do Filme Etnográfico teve cinco edições e homenageou nomes como Vincent Carelli, Jorge Bodanzky, Aurélio Michiles, Adrian Cowell, entre outros. O evento tinha um timaço na organização, incluindo, Selda Vale da Costa, Gustavo Soranz e Tom Zé. 

DO UNIVERSITÁRIO AO MERCADO 

Vamos agora para os anos 2010. A Mostra do Cinema Amazonense foi uma iniciativa do Fórum do Audiovisual Amazonense e servia para dar vazão à produção local após o fim do Amazonas Film Festival. Teve três edições e, na última em 2017, contou com o prêmio do Júri Popular para “Maria”, da Elen Linth. 

Em 2018, surgiu o Olhar do Norte, festival de cinema produzido pela Artrupe Produções. As duas primeiras edições foram físicas, enquanto a terceira, em 2020, por conta da pandemia da COVID-19, teve que ser online aqui no canal do Cine Set e na plataforma Videocamp. “O Necromante”, “Vila Conde” e o paraense “Ari y Yo” foram os vencedores do prêmio do júri. O evento ainda conta com atividades de formação como oficinas durante os dias de evento. 

Falando em formação, a produtora Picolé da Massa leva o projeto Cine Bodó para as periferias de Manaus. Durante o evento, crianças e adolescentes participam de atividades de audiovisual com profissionais locais do setor, aprendendo técnicas de filmagens e produção. Sessões de cinema e rodas de conversa completam a programação. Já o Pirarucurta é uma iniciativa recente, de 2019, da Faculdade Martha Falcão, e estimula o audiovisual no ambiente acadêmico. 

Por fim, tem o Matapi – Mercado Audiovisual do Norte. Deixei-o por último por considerá-lo o mais importante de todos estes eventos. No evento promovido pela Dabacuri Produções e Leão do Norte, não há exibições de filmes; o foco está em contribuir para a profissionalização do setor com oficinas, palestras, masterclasses para quem atua na área e também em promover oportunidades de negócios para produtoras locais com players nacionais e internacionais. Ter um evento de mercado de audiovisual no Amazonas simboliza o quanto a produção amazonense evoluiu neste terceiro ciclo.  

Projeto contemplado no Prêmio Feliciano Lana, promovido pela Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa com recursos da Lei Aldir Blanc.

Laboratório de argumentos para longas, Manaó Cinelab abre inscrições gratuitas

Oportunidade rara para quem deseja estudar cinema em Manaus: um laboratório para desenvolvimento de argumento de longas-metragens será promovido pela produtora Tamba-Tajá Criações. Iniciativa gratuita, o 'Manaó Cinelab: Em busca da escrita perfeita' terá 10 vagas,...

Animação pós-apocaliptíca representa o Amazonas no Festival de Gramado 2021

O Festival de Gramado volta seu olhar novamente para a produção amazonense: a animação "Stone Heart" será o representante do Estado na mostra de curtas nacionais, a mesma vencida em 2020 por "O Barco e o Rio", de Bernardo Abinader. Dirigido pelo parintinense Humberto...

Camila Henriques e Pâmela Eurídice são as duas novas representantes do Amazonas na Abraccine

O Amazonas ganhou mais dois novos nomes na Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema: Camila Henriques e Pâmela Eurídice estão entre as novas integrantes da entidade existente desde 2011. A dupla se junta a Susy Freitas, primeira amazonense selecionada...

‘Os Segredos do Putumayo’, de Aurélio Michiles, é selecionado para festival na Irlanda

O filme "Segredos do Putumayo", dirigido pelo amazonense Aurélio Michiles, é um dos destaques do festival irlandês Galway Film Fleadh que acontece entre os dias 20 e 25 de julho. Ainda inédito nos cinemas brasileiros, conta com a distribuição global da O2 Play. O...

Cineclube Olhar do Norte terá debates sobre grandes filmes do cinema brasileiro

Principal festival de cinema da atualidade em Manaus, o Olhar do Norte prepara uma novidade para 2021: o Cineclube Olhar do Norte. Com a exibição e o debate de importantes filmes do cinema amazonense e brasileiro recentes, a iniciativa irá marcar a inauguração do site...

‘A Terra Negra dos Kawá’ e ‘Manaus Hot City’ vencem prêmios em festivais nacionais

O cinema amazonense segue acumulando conquistas importantes em festivais nacionais e internacionais. Três curtas-metragens locais - "A Terra Negra dos Kawá", de Sérgio Andrade, "Manaus Hot City", de Rafael Ramos, e "Graves e Agudos em Construção", de Walter Fernandes...

Cinemas de Manaus são autorizados a reabrirem após seis meses

Os cinemas de Manaus estão autorizados a reabrirem a partir da próxima segunda-feira, dia 28 de junho. A decisão foi tomada pelo Comitê Intersetorial de Enfrentamento à Covid-19, do Governo do Amazonas. Para a retomada, as empresas deverão obedecer as normas...

UEA estuda retorno do curso de audiovisual para 2022

A vitória de “O Barco e o Rio” com cinco Kikitos no Festival de Gramado 2020 simbolizou os avanços do cinema amazonense cada vez mais presente em eventos nacionais e internacionais. Um vácuo, entretanto, insiste em permanecer: a ausência de um curso regular do setor...

Cinemas de Manaus completam seis meses fechados em meio a incerteza de reabertura

O gráfico sobre a participação de filmes brasileiros nos cinemas por Estados em 2021 aparece sem a presença do Amazonas. Caso incluísse as produções estrangeiras, a imagem permaneceria a mesma. O informativo, disponível no Observatório Brasileiro do Cinema e...

Com curadoria do Matapi, streaming do Itaú Cultural apresenta filmes do Norte do Brasil

No Dia do Cinema Brasileiro, um presente para os cinéfilos: o Itaú Cultural lança, neste sábado (19), um streaming dedicado às produções do país. O catálogo oferece mais de cem títulos já na estreia e é composto de filmes, séries, programas de TV, festivais e mostras...