Pra Frente Brasil (1982)

Problemas narrativos ou atuações pouco convincentes à parte, não há como negar a importância deste filme de Roberto Farias na história do cinema nacional. “Pra Frente Brasil” ousou falar da alienação da sociedade brasileira causada pela brilhante conquista da seleção liderada por Pelé sobre assuntos urgentes como as prisões injustas cometidas pelo governo do país. Isso tudo em plena ditadura militar ainda durante o período que levaria à redemocratização.


Cabra Marcado Para Morrer (1985)

Muito se fala sobre a perseguição sofrida por grandes artistas e políticos da época da ditadura militar. Mas e o povo comum? Somente um artista como Eduardo Coutinho poderia fazer esse trabalho. Resultado: “Cabra Marcado Para Morrer”. A obra-prima do documentário brasileiro deixa claro que o regime buscava apenas a manutenção do poder por partes dos grandes latifundiários com o povo na pobreza e na eterna exploração. Para quem não se inconformava com a miséria, somente restava a violência e perseguição dos militares.



O Que é Isso Companheiro? (1997)

Indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e com um elenco cheio de grandes estrelas (Alan Arkin, Fernanda Torres, Pedro Cardoso, Matheus Nachtergaele), o longa dirigido por Bruno Barreto traz a história de um dos períodos mais tensos da ditadura militar: o sequestro do embaixador americano no Rio de Janeiro por um grupo de guerrilheiros. Rodado no início do período da Retomada do Cinema Brasileiro, “O Que é Isso Companheiro?” é um grande suspense sem deixar nada a dever a produções de Hollywood. Para fazer o serviço completo sobre essa história, assista o documentário “Hércules 56”.

Cidade de Deus (2002)

Defensores da volta de um regime totalitário ao comando do Brasil apontam a violência urbana atual como uma das justificativas para o retorno dos militares ao poder. Segundo o pensamento dessa turma, uma gestão repressora poderia servir para assustar os bandidos e impedir tantos crimes. O filme de Fernando Meirelles, entretanto, pode ser um belo remédio para a memória. “Cidade de Deus” mostra o processo de favelização das grandes cidades brasileiras e como a ausência das autoridades públicas levou uma região do Rio de Janeiro a ser dominada pela corrupção e o tráfico de drogas. Isso tudo em pleno anos 70, auge do período de maior autoritarismo por parte dos militares.



O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias (2006)

Como era a vida de uma criança de pais que lutaram contra a ditadura militar no Brasil? Tendo esse ponto de partida, Cao Hamburguer (“Xingu” e “Castelo Rá-Tim-Bum) aborda a adaptação de um garoto a uma vila no bairro paulistano do Bom Retiro após precisar sair de casa e ir morar com o avô. O estado de repressão está presente de forma discreta, sendo a visão do protagonista tudo o que conhecemos daquele universo melancólico.


Cidadão Boilesen (2009)

O documentário dirigido por Chaim Litewski traz uma realidade incômoda ao Brasil: a participação do empresariado local e de figuras públicas no Golpe Militar de 1964. Henning Albert Boilesen, porém, foi além ao estar presente nas torturase ajudar a criar mecanismos para arrancar mais informações desses presos políticos.A desconstrução da trajetória desse gentil dinamarquês com um linguagem dinâmica, trilha sonora roqueira e muitas imagens de arquivo compõe este excelente filme. Por fim, ainda traz uma mensagem clara: como desconhecemos o nosso passado!


A Memória Que me Contam (2012)

As marcas trazidas pela tortura no Brasil rondam os protagonistas deste filme. O tom autobiográfico imposto pela diretora Lúcia Murat na personagem de Irene Ravache transmite a sensação de um expurgo de tensões e angústias acumuladas ao longo de muitos anos por toda uma geração. Mesmo com excesso de situações e diálogos forçados beirando o discurso, “A Memória Que me Contam” reflete sobre os males deixados pelos desmandos dos militares.


Dossiê Jango (2013)

Somente sendo muito cínico para encarar “Dossiê Jango” como uma teoria da conspiração. As informações e entrevistas obtidas por Paulo Henrique Fontenelle exibidas no decorrer do longa deixam qualquer versão oficial desvalorizada. As mortes em séries dos principais líderes políticos brasileiros (Jango, JK e Lacerda) e todos os óbitos das possíveis testemunhas causadas por problemas de coração são coincidências demais para que não se investigue nada. Acima de tudo, o documentário clama por uma atitude definitiva do governo brasileiro para uma Comissão da Verdade mais ativa.



O Dia Que Durou 21 Anos (2012)

O Golpe Militar no Brasil esteve diretamente ligado ao contexto da Guerra Fria entre EUA e URSS. O documentário “O Dia Que Durou 21 Anos” trabalha esse tema com uma riqueza de gravações e documentos oficiais envolvendo diretamente o governo americano na deposição de João Goulart e na chegada dos militares ao poder. Com um formato conservador e uma trilha maniqueísta a cada imagem da Casa Branca, a obra dirigida por Camilo Tavares, se não chega a ser brilhante, representa um importante registro como o nosso país foi peça-chave na geopolítica dos anos 60.

Tatuagem (2013)

A recente Marcha da Família com Deus tinha como um dos alvos protestar contra uma suposta ditadura homossexual. Esse grupinho não poderia assistir o sucesso do cinema pernambucano, “Tatuagem”. O drama mostra a resistência de um grupo teatral em Recife contra a censura durante o Regime Militar. Com muita nudez e discurso anárquico, os artistas defendem, acima de tudo, a liberdade sexual e o desejo de ficar com quem a pessoa se sente feliz entoada na já clássica “Tem Cu”. O deputado linha dura Jair Bolsonaro teria um infarto.

Outros filmes sobre a ditadura militar no Brasil

Ação Entre Amigos

AI 5 – O Dia Que Não Existiu

Batismo de Sangue

Cabra-Cega

Cara ou Coroa

Dois Córregos

Dzi Croquettes

Hoje

Jango

Lamarca

Marighella

Quase Dois Irmãos

Repare Bem

Uma Longa Viagem

Vlado – Trinta Anos Depois Zuzu Angel

Facebook Comments