A primeira edição do Festival Olhar do Norte terminou com um bom saldo para o cinema amazonense. Dirigido por Elen Linth, “Maria” venceu na categoria de Melhor Filme do júri da Mostra Norte, enquanto o suspense sobrenatural, “O Necromante”, de Ricardo Manjaro, faturou o prêmio do júri de Melhor Filme da Mostra Amazonas. Ambos levaram também o júri popular. A cerimônia de encerramento aconteceu na noite desta segunda-feira (29) no Teatro da Instalação, no Centro de Manaus.

“Maria” retrata a história de Maria Moraes e seus processos de resistência enquanto travesti na cidade de Manaus. O documentário referenda as pesquisas em direito à cidade, conflitos urbanos e discriminação por endereço em abordagem conjunta à poética da personagem que também é roteirista junto com Elen Linth no projeto. A protagonista também recebeu um prêmio pela atuação dela no filme.

Com a conquista no Festival Olhar do Norte, “Maria” obtém a segunda vitória em eventos de cinema realizados em Manaus: a produção venceu o júri popular da Mostra do Cinema Amazonense em 2017.

Já “O Necromante” traz Breno Castelo como um detetive com poderes sobrenaturais. Ele é chamado para investigar o que aconteceu com uma moça morta com sinais de abuso sexual em casa em Manaus. O curta também venceu nas categorias de atuação para Breno Castelo e Melhor Direção de Arte.

Outros prêmios

O documentário “Pés de Anta – As Cineastas Munduruku” venceu em duas categorias na Mostra Amazonas: Melhor Direção para Kátia Brasil e Melhor Roteiro. Já Jimmy Christian ganhou em Melhor Direção de Fotografia com “Ruas de Rio”, enquanto “Leco” obteve vitória em Melhor Montagem e “Barulhos” conquistou Melhor Som.

Já a Mostra Norte teve “Timbó” com dois prêmios: Melhor Direção para Peiman Zekavat e Melhor Direção de Fotografia. Além de Maria Moraes, a performance de Elba Regina de Oliveira Calazan, em “Guariterebenguela” (RO), saiu premiada como Melhor Atuação. Os demais prêmios foram para o Pará: “Histórias do Cumaru” levou Melhor Roteiro, “Adão” com Direção de Arte e “Antigamente Não Existia Dia”” levou Melhor Som.

Os jurados

O produtor audiovisual Marcos Tupinambá, a coordenadora do Centro Popular do Audiovisual, Michelle Andrews, e o editor-chefe do Cine Set, Caio Pimenta, foram os jurados da Mostra Amazonas. Já a mostra competitiva da região norte teve os diretores Sérgio Andrade e Keila Serruya, e o crítico do Cine Set, Renildo Rodrigues, como jurados.

VEJA A LISTA COMPLETA DE VENCEDORES DO FESTIVAL OLHAR DO NORTE 2018:

 

MOSTRA AMAZONAS

Melhor Filme – “O Necromante”

Melhor Direção – Kátia Brasil, por “Pés de Anta: As Cineastas Munduruku”

Prêmio de Atuação – Breno Castelo, por “O Necromante”

Melhor Roteiro – “Pés de Anta: As Cineastas Munduruku”

Melhor Direção de Fotografia: “Ruas de Rio”

Melhor Direção de Arte: “O Necromante”

Melhor Montagem – “Leco”

Melhor Som: “Barulhos”

MOSTRA NORTE

Melhor Filme: Maria (AM)

Melhor Direção: Peiman Zekavat, de “Timbó” (RR)

Melhores Atuações: Maria Moraes, de “Maria” (AM), e Elba Regina de Oliveira Calazan, de “Guariterebenguela” (RO)

Melhor Roteiro: “Histórias do Cumaru” (PA)

Melhor Direção de Fotografia: “Timbó” (RR)

Melhor Montagem: “Guariterebenguela” (RO)

Melhor Direção de Arte: “Adão” (PA)

Melhor Som: “Antigamente Não Existia Dia” (PA)

Facebook Comments