“Mensagem Para Você” surgiu nos cinemas com dois objetivos: repetir o sucesso da parceria entre Tom Hanks e Meg Ryan conhecida em “Sintonia de Amor” e atualizar o clássico de 1940 “A Loja da Esquina”, comédia romântica estrelada por Margaret Sullivan e James Stewart, em que os dois trocam cartas de amor sem conhecer o outro. Depois de 15 anos do lançamento, a produção dirigida por Nora Ephron se mantém deliciosamente charmosa e com uma aura de retrô pelo avanço tecnológico.

A história do filme é para lá de batida: o magnata do ramo literário Joe Fox (Tom Hanks) inicia uma troca de emails anônimas com Kathleen Kelly (Meg Ryan), dona de uma pequena livraria em Nova York. Sem saber que rivais nos negócios, os dois compartilham mensagens e mostram afinidades em vários assuntos ao ponto de se apaixonarem. O resto da história fica por conta do desenrolar desse romance que precisa superar a birra entre a dupla.

“Mensagem Para Você” buscava sinalizar a nova era tecnológica em que as cartas escritas a mão da década de 40 encontravam nos emails o substituto ideal 50 anos depois. Não foi preciso tanto tempo, entretanto, para que o remake de “A Loja da Esquina” soasse ultrapassado: bastaram 15 anos. Chega a ser irônico ver o filme nessa era de Facebook e Instagram onde a instantaneidade se torna o trunfo do negócio. Os longos textos escritos via Outlook Express parecem ser algo tão distante da realidade dos dias de hoje, sem falar da precária área de trabalho do Windows, da conexão discada para acessar a Internet e da manutenção do anonimato. Essa defasagem tão curta se pode ser encarada como fantástica do ponto de vista da evolução da tecnologia, por outro lado, apresenta uma sociedade que não se reconhece mais ao ver hábitos tão comuns transformados completamente em tão pouco tempo.

Se a tentativa de ser moderno a tornou obsoleta nos dias atuais, o longa de Nora Ephron mantém caráter universal na construção da comédia romântica. Mesmo sem grande originalidade, “Mensagem Para Você” consegue ser um bom entretenimento de duas horas por contar com atores como Tom Hanks e Meg Ryan, capazes de levar os mais banais personagens somente pelo carisma. A força da dupla é tanta que os coadjuvantes típicos desse tipo de produção pouco tem a fazer, exceto pelo intelectual narcisista interpretado por Greg Kinnear. A leveza em tom de conto de fadas dos romances dos anos 30 e 40 permeia a história, seja na trilha sonora (com direito à clássica “Somewhere Over The Rainbow”) ou em divertidos momentos como o primeiro encontro da dupla na livraria e o encontro às cegas na cafeteria.

Nem mesmo os merchandisings nada discretos do Starbucks e da American Online incomodam o suficiente para tirar o charme de “Mensagem Para Você”. Daquelas obras para se assistir no fim de tarde de um dia chuvoso.

NOTA: 8,5

Facebook Comments