OK! ACABOU O OSCAR MAIS MALUCO DA HISTÓRIA!

A GENTE AGRADECE MUITO A TODOS QUE NOS ACOMPANHARAM!

REALMENTE NÃO SABEMOS O QUE ACONTECEU COM ESSE FINAL BIZARRO!

SALVE MOONLIGHT! SALVE LA LA LAND!


VEJA A QUANTIDADE DE ESTATUETAS DE CADA FILME NO OSCAR 2017

La La Land – 6 estatuetas

Moonlight – 3 estatuetas

Até o Último Homem – 2 estatuetas

Manchester à Beira-Mar – 2 estatuetas

Um Limite Entre Nós – 1 estatueta

A Chegada – 1 estatueta

Esquadrão Suicida – 1 estatueta

Animais Fantásticos e Onde Habitam – 1 estatueta

O.J – Made in America – 1 estatueta

Mogli – O Menino Lobo – 1 estatueta

Zootopia – 1 estatueta

O Apartamento – 1 estatueta

Sing – 1 estatueta

Piper – 1 estatueta

The White Helmets – 1 estatueta


MELHOR FILME – “MOONLIGHT”

Caio Pimenta: A MAIOR SURPRESA DA HISTÓRIA DO OSCAR! “Moonlight” vence o favorito “La La Land” e veio da forma mais confusa. Não sabemos como agir.

Danilo Areosa: CHOCADO,em uma reviravolta digna das comédias pastelonas (chupa esta Miss Universo) “Moonlight” vence o favorito “La La Land” . Um final para rever, várias vezes e se divertir. Fora isso, o filme de Barry Jenkins consagra um dos filmes mais interessantes sobre a temática negra.


MELHOR ATRIZ – EMMA STONE, POR “LA LA LAND”

Caio Pimenta: Sim, Isabelle Huppert foi melhor em “Elle”. Mas, qual era a chance de uma atriz francesa vencer? Sendo assim, a estatueta de Emma Stone é ótima. Uma atriz que evoluiu na carreira a olhos vistos e o carisma dela em “La La Land” é inesquecível. Que não fique marcada como Gwyneth Paltrow, odiado por vencer Fernanda Montenegro em 1999.

Danilo Areosa: Ok, minha favorita era a maravilhosa Huppert, porém é difícil resistir ao carisma, versatilidade e olhar desconcertante de Emma. Parte do coração que move o filme de Chazelle, tem que ser dedicado ao talento que Stone imprime na sua Mia.

Manchester-by-The-Sea-à-Beira-MarMELHOR ATOR – CASEY AFFLECK, POR “MANCHESTER À BEIRA-MAR”

Caio Pimenta: Nem o pouco carisma ou o passado com abusos sexuais foram suficientes. Com uma atuação contida para os padrões americanos, Casey Affleck consegue o que parecia ser impossível: ser protagonista e receber o Oscar de Melhor Ator. Para quem viu a cena em que o personagem dele não consegue extravasar o que sente é de doer na alma.

Danilo Areosa: Em uma das categorias mais disputadas deste ano, deu Casey Affleck, que em Manchester está um monstro, imenso, defendendo seu Lee com a paciência, intensidade e atuação minimalista. É só por causa dele e Lonergan que o filme pontua toda sua dor e devastidão. O mais talentoso da família Affleck.

Director Damien Chazelle and Emma Stone on the set of LA LA LAND.MELHOR DIREÇÃO – DAMIEN CHAZELLE, POR “LA LA LAND”

Caio Pimenta: A paixão pelos musicais fez Damien Chazelle encantar o mundo do cinema com “La La Land”. Seja pelo plano-sequência inicial ou pela condução muito bem conduzida até atingir o clímax de dez minutos inesquecível. Sim, Chazelle é uma das grandes revelações do cinema americanos surgida nos últimos anos.

Danilo Areosa: Chazelle se torna o diretor mais jovem a ganhar Oscar de Direção. Exagero? Acredito que não, até porque o jovem cineasta é promissor, um garoto-prodígio que Hollywood sempre almeja encontrar, mas que poucos tem potencial para isso. Em Whiplash, ele já mostrava o seu talento em um filme intenso sobre obsessões. Em La La Land ele apresenta o seu outro lado, no caso a versatilidade de entregar uma odisseia romântica de coração enorme. Neste mundo que relega as pessoas e desejos ao fracasso, o cineasta costura sua fábula romântica através da música e do jazz. Que ele possa continuar neste caminho com outros belos trabalhos.

moonlight-a24-posterMELHOR ROTEIRO ADAPTADO – “MOONLIGHT – SOB A LUZ DO LUAR”

Barry Jenkins merecia essa estatueta. Apesar do belo trabalho de “A Chegada”, a coragem de “Moonlight – Sob a Luz do Luar” ao tocar em tantas feridas de uma América muitas vezes deixada de lado é essencial para esses tempos obscuros de Donald Trump. Dividido em três atos, o filme consegue ser enxuto e muito preciso em seu recado. Marcante.

por Caio Pimenta

Manchester by the SeaMELHOR ROTEIRO ORIGINAL – “MANCHESTER À BEIRA-MAR”

Nada mais do que justo que um dramaturgo vença em Melhor Roteiro Original. Kenneth Lonergan faz um trabalho que balança o drama pesado com leves momentos cômicos. O maior mérito, entretanto, é não cair em clichês e tratar o luto com uma honestidade digna. O prêmio de consolação de “Manchester à Beira-Mar” caso Casey Affleck não ganhe.

por Caio Pimenta


IN MEMORIUM

In memoriam com uma bela performance musical que retrata o quanto 2016 foi doloroso nas perdas de estrelas e cineastas. Um ano que grandes astros nos deixaram e agora estão “encantando” em outro plano celestial. Jennifer Aniston não deixou de fazer uma bela menção ao ótimo Bill Paxton que nós deixou hoje.


MELHOR CANÇÃO ORIGINAL – “CITY OF STARS”, DE “LA LA LAND”

Você pode até odiar “La La Land”. Pode até achar que Ryan Gosling e Emma Stone não cantam nada. Pode achar que o filme não merece nenhuma estatueta. Mas, “City of Stars” não há como odiar. Uma canção deliciosa capaz de fazer qualquer um sair feliz dos cinemas. Justo é pouco.

por Caio Pimenta


MELHOR TRILHA SONORA – “LA LA LAND”

Alguém imaginaria que a melhor trilha sonora não ficaria com La La Land? Pois é…acredito que não. Se você não gosta da trilha do filme, uma pena. Pode não ser a mais criativa ou genial, porém é adorável e gostosa de ser ouvida. Um dos belos pilares do filme, que contagia e leva as pessoas a cantarolarem, enquanto pensam na vida.

por Danilo Areosa


MELHOR FOTOGRAFIA – “LA LA LAND”

“La La Land” ainda segue lento no Oscar: duas horas e dois Oscars apenas. Mas, a conquista em Melhor Direção de Fotografia acontece contra os rivais “Moonlight” e “A Chegada”. Belo e delicado trabalho de Linus Sandgren ao captar todas as cores de Los Angeles.

por Caio Pimenta


A ZOEIRA DO OSCAR!

Resultado de imagem para sing short oscars

MELHOR CURTA-METRAGEM – “SING”

Resultado de imagem para the white helmets
MELHOR CURTA-METRAGEM EM DOCUMENTÁRIO – “THE WHITE HELMETS”


MELHOR MONTAGEM – “ATÉ O ÚLTIMO HOMEM”

Nem La La Land e nem A Chegada, em uma das surpresas da noite, o filme de Mad Mel ganha o seu segundo Oscar na parte técnica. Independente de qualquer coisa, não tem como negar a força das cenas de guerra em Até o Último Homem que é muito bem executado pelo hábil trabalho de John Gilbert que oferece todos os horrores da segunda guerra mundial de uma forma assustadora e real que deixa impactado o espectador com a força visual da violência (sim Mad Mel continua Deus supremo neste quesito).

por Danilo Areosa


MELHORES EFEITOS VISUAIS – “MOGLI – O MENINO LOBO”

Quantos bons trabalhos – “Doutor Estranho” e “Kubo e as Cordas Mágicas” que o digam – mas, o trabalho tão rico, cheio de variantes e capaz de conferir humanidade à trama e não estranheza, tornam “Mogli – O Menino Lobo” é uma ótima escolha da Academia.

por Caio Pimenta

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO – “LA LA LAND”

Era difícil que La La Land perdesse nesta categoria até porque o trabalho de Chazelle privilegia todo o visual composto pelos cenários, iluminação e objetos. Um filme que concilia nos seus aspectos técnicos, a fantasia com a inovação. Primeiro Oscar da Noite para a obra musical.

por Danilo Areosa


MELHOR ANIMAÇÃO – “ZOOTOPIA”

Zootopia não é um dos trabalhos mais criativos da Disney em comparação a outros concorrentes como Kubo e Moana, até porque o estúdio já alguns anos, prefere se manter na fórmula feijão com arroz do que investir na originalidade. Mas o roteiro da animação é cativante, tanto na construção da relação dos protagonistas (a coelha e a raposa), como na mensagem principal do texto, de não julgarmos as diferenças e limitações pessoais. Sem contar que não faltam referências cinematográficas para esta animação que respira simpatia.

por Danilo Areosa

Resultado de imagem para piper movie
MELHOR CURTA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO – “PIPER”

Primeiro Oscar da Pixar na categoria. “Piper” é bonito, mas, se era para premiar um curta do estúdio neste ano era a vez do adorável e criativo “Inner Workings”, do diretor brasileiro Leonardo Matsuda. Mas, não dá para dizer que é injusto.

por Caio Pimenta

Resultado de imagem para o apartamento filme farhadi
MELHOR FILME ESTRANGEIRO – “O APARTAMENTO” (IRÃ)

“O Apartamento” é um importante recado dado por Hollywood à truculência de Donald Trump. Dar o Oscar ao Irã neste momento em que o país é um dos alvos do presidente republicano é simbólico. E como filme, é brilhante ao questionar conceitos de justiça e vingança, além de como nos perdemos no ódio que nos contamina. Mais um golaço da carreira de Ashgar Farhadi, mesmo sujeito do clássico “A Separação”.

por Caio Pimenta

Resultado de imagem para viola davis fences
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – VIOLA DAVIS, POR “UM LIMITE ENTRE NÓS”

Caio Pimenta: Eis o primeiro Oscar da melhor atriz negra na atualidade do cinema americano. Viola Davis é, junto com Denzel Washington, a alma de “Um Limite Entre Nós” e faz valer a pena cada segundo do projeto. Mas, pena que a conquista venha em uma ‘fraude de categoria’, afinal, ela deveria estar entre as principais e não como coadjuvante. Mas, o Oscar é merecido.

Danilo Areosa: Viola Davis, o que falar dessa moça….. uma das maiores atrizes da atualidade, que atinge na sua terceira indicação, o reconhecimento pelo seu talento. Um Limite entre Nós apresenta outra atuação poderosa e intensa da atriz, repleta de grandes momentos ao lado de Denzel e individualmente. Até soltando meleca em uma das cenas do filme, ela merece o Oscar.

Andrew-Garfield-Hacksaw-RidgeMELHOR MIXAGEM DE SOM – “ATÉ O ÚLTIMO HOMEM”

O Oscar acabou indo para “Até o Último Homem”. Infelizmente, mais uma escolha previsível em que a Academia parece gostar mais de barulhos e explosões do que em outro tipo de trabalho.

por Caio Pimenta

ArrivalMELHOR EDIÇÃO DE SOM – “A CHEGADA”

Mais uma derrota para “La La Land”. Uma boa escolha da Academia. Afinal de contas, é um trabalho delicado sem apostar nas explosões dos filmes de guerra ou de ação.

por Caio Pimenta


MELHOR DOCUMENTÁRIO – “O.J – MADE IN AMERICA”

O.J.Simpson Made In America é um daqueles documentários necessários para entender a historia racial americana. São mais de 7 horas de documentário, mas que valem a pena por trazer um olhar crítico não apenas voltado para a  celebridade de O.J.Simpson, como aprofunda no seu contexto racial forte do país nas décadas de 70,80 e 90. Sem dúvida uma categoria forte, marcado por outros concorrente também ótimos, o que destaca a qualidade deste documentário monumental.

por Danilo Areosa

Crítica: Animais Fantásticos e Onde HabitamMELHOR FIGURINO – “ANIMAIS FANTÁSTICOS E ONDE HABITAM”

“La La Land”, pelo visto, não vai dominar tanto assim o Oscar. Primeira derrota do musical. Nada que, por enquanto, ameace o favoritismo do filme. A vitória de “Animais Fantásticos e Onde Habitam” marca mais uma conquista dos figurinos de época sobre os mais contemporâneos. Mas, não dá para negar que as roupas são belas e casam bem com o universo do projeto.

por Caio Pimenta

esquadrão-suicida-segundo-trailer-lançamentoMELHOR MAQUIAGEM E PENTEADO – “ESQUADRÃO SUICIDA”

Os Dcnautas estão em festa: o criticado Esquadrão Suicida fatura o Oscar de Melhor Maquiagem. Sim, o filme é ruim, mas merece a maquiagem, afinal reproduz bem a essência visual dos personagens. Chupa Marvel!!!!

por Danilo Areosa 


MELHOR ATOR COADJUVANTE – MAHERSHALA ALI, POR “MOONLIGHT – SOB A LUZ DO LUAR”

Caio Pimenta: Mahershala Ali aparece na primeira parte de “Moonlight”. E é o suficiente para conquistar o público. Em uma interpretação sensível e delicada, o ator mostra que traficantes podem ser humanizados e terem sensibilidade, longe de estereótipos que costumamos ver frequentemente. Um trabalho delicado que mostra a Academia disposta a apagar o #OscarSoWhite.

Danilo Areosa: Atuação de Mahershala Ali em Moonlight: Sob a Luz do Luar é poderosa por humanizar a figura de traficante do seu personagem, mostrando o lado sensível e terno ao mesmo tempo que precisa entregar um sujeito duro e violento dentro do meio em que convive. A cena dele explicando para Chiron o que é “bicha”, imprime o talento do ator em explorar as nuances emocionais e físicas do seu personagem.

oscar-1COMEÇOU O OSCAR 2017!

Apostas – Caio Pimenta

Cinema no AmazonasQuem Leva o Oscar de Melhor Filme?

Se levarmos em conta a conjuntura de Hollywood e a Academia, que se baseiam no sucesso do filme indústria quem deve ganhar é La La Land, infelizmente; acho um filme menor, um filme de método facilitado. Já Moonlight é um encanto. Identificação total com esse filme: baixíssimo orçamento, cuidado com o afeto sem ser piegas, atores viscerais e comprometidos com uma verdade ou uma mentalidade que transcende a patrulha ideológica, adorei, senti até que meus filmes são primos de Moonlight, rs.

por Sérgio Andrade, diretor de “A Floresta de Jonathas” e “Antes o Tempo Não Acabava


Tapete Vermelho do Oscar 2017
Taraji P. Henson, Scarlett Johansson e Alicia Vikander

Mahershala-AliOscar terá cerimônia com maior diversidade racial dos últimos anos

Dois anos depois da ausência de atores negros indicados, a festa voltará a ter forte presença deles graças à inclusão de seis intérpretes entre os 20 candidatos: Denzel Washington (“Um Limite Entre Nós”), Mahershala Ali (“Moonlight: Sob a Luz do Luar”), Ruth Negga (“Loving”), Viola Davis (“Um Limite entre Nós”), Naomie Harris (“Moonlight: Sob a Luz do Luar”) e Octavia Spencer (“Estrelas Além do Tempo”).

A tão aguardada diversidade estará muito bem representada na cerimônia do dia 26 através da presença de títulos como “Moonlight: Sob a Luz do Luar”, “Lion – Uma Jornada Para Casa” – ambos com seis indicações -, “Um Limite Entre Nós” – com quatro -, e “Estrelas Além do Tempo” – com três -, produções que brigarão pelo Oscar de melhor filme ao lado de “La La Land”, “A Chegada”, “Até o Último Homem”, “A Qualquer Custo” e “Manchester À Beira-Mar”.

O talento dos negros estará presente também em outras categorias, como melhor diretor e melhor roteiro (Barry Jenkins, por “Moonlight: Sob a Luz do Luar”) melhor fotografia (Bradford Young, por “A Chegada”), melhor edição (Joi McMillon, por “Moonlight: Sob a Luz do Luar”) e melhor filme (Kimberly Steward, por “Manchester À Beira-Mar”).

Young é o segundo afro-americano a ser indicado nesse campo após Remi Adefarasin por “Elizabeth”, em 1988, e Joi é a primeira mulher negra a conseguir uma indicação de melhor edição no Oscar. Além disso, Kimberly é a segunda mulher produtora a obter uma candidatura após a de Oprah Winfrey em “Selma”.

Há ainda mais presença afro-americana na categoria de melhor documentário, com “A 13ª Emenda”, de Ava Duvernay; “Eu Não Sou Seu Negro”, de Raoul Peck; “O.J.: Made in America”, de Ezra Edelman (o filme mais longo da história do Oscar, com 7h47) e “Life, Animated”, de Roger Ross Williams.

da Agência EFE

jimmy-kimmelO Apresentador da Noite – Jimmy Kimmel

O apresentador americano Jimmy Kimmel vai comandar a próxima edição do Oscar. Será a estreia dele no evento.

Ele é famoso por comandar desde 2003 o talk show “Late Night With Jimmy Kimmel”, na rede ABC, um dos mais populares da TV americana.

O apresentador já apresentou o ESPY Awards, do canal ESPN, em 2007 e cinco vezes o American Music Awards, da própria ABC.

Há grandes chances de Matt Damon zoar com Jimmy Kimmel durante a cerimônia do Oscar: os dois possuem uma falsa rivalidade. Tudo começou após o apresentador se desculpar, a cada programa, de nunca ter tido tempo para entrevistar o astro. Com isso, a ideia de que eles teriam uma rixa cresceu ao longo do tempo e, hoje, rendem boas troladas de ambas as partes.

Veja a última delas:


Tapete Vermelho do Oscar 2017
Mahershala Ali, Halle Berry e Casey Affleck

Resultado de imagem para celine dion titanic
Cine Set no Spotify

Aumente o som e curta três playlists especiais do Cine Set relacionadas ao Oscar.

Vamos para à terceira:

As Últimas 20 Vencedoras do Oscar de Melhor Canção Original


BASTIDORES DO OSCAR DO CINE SET
Gabriel Oliveira, Camila Henriques e Susy Freitas

Susy Freitas Cine Set intercomApostas – Susy Freitas

“La la land” deve ganhar filme e diretor, embora “Moonlight” seja meu favorito para a primeira, no mínimo. Em atuação, minha aposta é o quarteto Denzel/ Emma/ Mahershala/ Viola, ainda que eu continue torcendo (em vão) por Isabelle Huppert, e ainda que Caseu Affleck esteja forte na disputa. Dentre os documentários, “A 13ª emenda” ou “Eu não sou seu negro” podem até empatar, se depender de mim! Já nas categorias de roteiro, talvez “Manchester à beira-mar” e “Moonlight”, que devem ser eclipsados nos resultados finais da premiação. Minha torcida total para Melhor Fotografia é para “Moonlight”, e em melhor canção, não é possível que “Audition (the fools Who dream”, de “La la land” não ganhe! Dentre os filmes de língua estrangeira, “Toni Erdmann” provavelmente perderá para “O apartamento”, até mesmo como voto de protesto.

Tapete Vermelho – Oscar 2017
Nicole Kidman, Emma Stone e Michelle Williams

OSCAR 2016 – Momentos Inesquecíveis
 “Spotlight” surpreende “O Regresso” e vence Melhor Filme

Leonardo DiCaprioLista de Apresentadores do Oscar 2017

Um batalhão de estrelas do cinema americano vai apresentar os prêmios e atrações da cerimônia do Oscar 2017. Veja quem serão os principais nomes:

Meryl Streep, Matt Damon, Halle Berry, Scarlett Johansson, Chris Evans, Samuel L. Jackson, Dakota Johnson, Jamie Dornan, Kate McNinnon, Haille Steinfeld, Shirley MacLaine, Faye Dunaway, Warren Beatty, Octavia Spencer, Ryan Gosling, Salma Hayek, Dev Patel, Taraji P. Henson, Jason Bateman, Vince Vaughn, Jennifer Aniston e Sofia Boutella.

Ganhador do tão sonhado Oscar de Melhor Ator por “O Regresso”, Leonardo DiCaprio irá anunciar a vencedora de Melhor Atriz. Neste ano, a favorita é Emma Stone, por “La La Land – Cantando Estações”. Já Brie Larson, eleita Melhor Atriz em 2016 por “O Quarto de Jack”, vai divulgar o Melhor Ator. A briga está entre Denzel Washington, por “Um Limite Entre Nós”, e Casey Affleck, de “Manchester à Beira-Mar”.

Mark Rylance foi o vencedor do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por “Ponte dos Espiões” e irá revelar a ganhadora de Melhor Atriz Coadjuvante. A favorita é Viola Davis, por “Um Limite Entre Nós”. Já a ganhadora de Melhor Atriz Coadjuvante por “A Garota Dinamarquesa”, Alicia Vikander, deve entregar a estatueta para Mahershala Ali. O integrante do elenco de “Moonlight – Sob a Luz do Luar” é o mais forte concorrente para o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante.

Já Faye Dunaway e Warren Beatty devem anunciar o prêmio de Melhor Filme do Oscar 2017. A escolha seria uma homenagem da Academia de Ciências Cinematográficas de Hollywood para celebrar os 50 anos de lançamento de “Bonnie e Clyde – Uma Rajada de Balas”.


Tapete Vermelho do Oscar 2017
AvaDuVernay, Dev Patel e Octavia Spencer

Isabel Wittmann fala sobre a questão de gênero no cinema na mesa-redonda Mulheres no CinemaQuem Leva o Oscar de Melhor Filme?

Acredito que La La Land leve o prêmio de melhor filme no Oscar desse ano, já que além do bom desempenho em outras premiações e da quantidade recorde de indicações, ainda tem como pano de fundo uma homenagem ao próprio cinema, temática que costuma agradar aos votantes da Academia. Meu preferido seria A Chegada, que conta com direção sólida de Denis Villeneuve, construindo uma atmosfera intensa por meio de uma direção de arte competente e também da atuação forte de Amy Adams, injustamente esnobada na categoria de atuação. De qualquer forma, também fico satisfeita se Moonlight (belíssimas atuações e fotografia), Estrelas Além do Tempo (um drama convencional mas necessário, com um elenco de grande talento e belo figurino), A Qualquer Custo (faroeste com roteiro inteligente e cenas marcantes) ou mesmo La La Land levarem a estatueta.

por Isabel Wittman, do site “Estante da Sala” e colunista do site “Cinema em Cena”

Hell-Or-High-WaterCRÍTICAS DO CINE SET

Leia as críticas de todos os 9 indicados ao Oscar de Melhor Filme:

‘La La Land’: http://ow.ly/gE3k309mBJQ
‘Moonlight’ – http://ow.ly/bpRH309mBKA
‘Estrelas Além do Tempo’ – http://ow.ly/jFfp309mBLM
‘Manchester à Beira-Mar’ – http://ow.ly/GtFQ309mBML
‘Lion – Uma Jornada Para Casa’ – http://ow.ly/sWBj309mBOu
‘A Qualquer Custo’ – http://ow.ly/oF05309mBPG
‘A Chegada’ – http://ow.ly/Lgiy309mBQU
‘Um Limite Entre Nós’ – http://ow.ly/KNCf309mBRM
‘Até o Último Homem’ – http://ow.ly/Mj7Q309mBSt

Tapete Vermelho do Oscar 2017
Barry Jenkins, Sunny Pawar e Andrew Garfield

The New York Times promete anúncio contra Trump no Oscar 2017

O jornal “The New York Times” vai exibir durante a premiação do Oscar neste domingo (26) um anúncio ressaltando a importância da verdade e do jornalismo de qualidade. Chamada “The truth is hard” (a verdade é difícil), a campanha vem no momento em que o presidente Donald Trump desqualifica a mídia como desonesta, dizendo que veicula mentiras, e apresenta suas versões dos fatos como “fatos alternativos”.

De acordo com a publicação especializada em publicidade Ad Age, é a primeira vez que o “New York Times” veiculará um anúncio nesse evento.

O vídeo, de 30 segundos, mostra vozes de várias pessoas proclamando suas próprias noções do que é a verdade, acompanhadas de textos que começam com a frase “The truth is…” (a verdade é). Por exemplo: “A verdade é que uma mulher deve se vestir como uma mulher” e em seguida “A verdade é que os direitos das mulheres são direitos humanos”.

O anúncio também fala sobre os “fatos alternativos”, com uma voz que diz que se trata de mentiras e em seguida outra voz dizendo que “a mídia é desonesta”.

No final, aparecem as frases “A verdade é difícil/a verdade é difícil de encontrar/a verdade é mais importante do que nunca”.

A campanha também aparecerá em anúncios digitais, impressos e em outdoors de várias cidades dos EUA.

De acordo com a Ad Age, a versão para o Oscar trará uma frase adicional: “A verdade é que as celebridades devem manter a boca fechada. A verdade é que todo mundo tem o direito de se manifestar”.

Um executivo do jornal disse à publicação que o objetivo da campanha é inserir o “New York Times” no debate que está em andamento no país. “Há um diálogo nacional acontecendo agora sobre fatos e verdade e sobre como alguém sabe o que é a verdade”, disse, acrescentando que quando as pessoas entendem o papel dos jornalistas, ficam mais interessadas em apoiá-lo.

Segundo a imprensa americana, a veiculação de um anúncio de 30 segundos durante a transmissão do Oscar pela rede ABC custa entre US$ 2 milhões e US$ 2,5 milhões.

No domingo (26), o presidente Donald Trump escreveu sobre o anúncio no Twitter: “Pela primeira vez o fracassado @nytimes vai veicular um anúncio (ruim) para ajudar a salvar sua fracassada reputação. Tente fazer reportagens corretas e justas!”.

do site G1

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé
Quem Leva o Oscar de Melhor Filme?

Eu não vi todos os indicados infelizmente, mas do que vi minha torcida vai para Moonlight. O filme tem planos poderosos, uma câmera que ama os atores e a expressividade no olhar das personagens. Mas eu acho que vai dar La La Land pelo tributo a Hollywood, o tom “up” e o bom resultado nas bilheterias.

por Emerson Medina, diretor dos curtas “Et Set Era” e “Nascer, Crescer e Negar”

SAG 2017Os Ganhadores da Temporada de Premiações 2017

GLOBO DE OURO

Melhor Filme de Drama – “Moonlight – Sob a Luz do Luar”
Melhor Filme de Comédia/Musical – “La La Land”
Melhor Diretor – Damien Chazelle, por “La La Land”
Melhor Ator de Drama – Casey Affleck, por “Manchester à Beira-Mar”
Melhor Atriz de Drama – Isabelle Huppert, por “Elle”
Melhor Ator de Comédia/Musical – Ryan Gosling, por “La La Land”
Melhor Atriz de Comédia/Musical – Emma Stone, por “La La Land”

SAG 2017

Melhor Elenco – “Estrelas Além do Tempo”
Melhor Ator – Denzel Washington, por “Um Limite Entre Nós”
Melhor Atriz – Emma Stone, por “La La Land”
Melhor Ator Coadjuvante – Mahershala Ali, por “Moonlight – Sob a Luz do Luar”
Melhor Atriz – Viola Davis, por “Um Limite Entre Nós”

PGA 2017

Melhor Filme – “La La Land”

WGA 2017

Melhor Roteiro Original – “Moonlight – Sob a Luz do Luar”
Melhor Roteiro Adaptado – “A Chegada”

BAFTA 2017

Melhor Filme – “La La Land”
Melhor Diretor – Damien Chazelle, por “La La Land”
Melhor Ator – Casey Affleck, por “Manchester à Beira-Mar”
Melhor Atriz, Emma Stone, por “La La Land”
Melhor Ator Coadjuvante, Dev Patel, por “Lion – Uma Jornada Para Casa”
Melhor Atriz Coadjuvante – Viola Davis, por “Um Limite Entre Nós”

Camila Henriques e sua elegância

Camila Henriques e sua elegância

Apostas – Camila Henriques

Haters, se preparem: as palavras “La La Land” serão ouvidas durante toda a noite do Oscar, acompanhadas pela trilha de Justin Hurwitz. Sou admiradora do filme (alguns até me chamam de La La Lander), mas reconheço que ele não é o melhor dos indicados. Não vai ser nenhuma tragédia grega, no entanto, vê-lo premiado – as únicas categorias que não merece MESMO é melhor roteiro (oi?) e atriz – Emma Stone é apenas ‘fofa’ em comparação ao furacão Huppert e ao trabalho complexo de Portman, e sua estatueta vai ser lembrada com o mesmo desdém que hoje é dispensado a Gwyneth Paltrow, Jennifer Lawrence, Reese Witherspoon e outras ‘queridinhas da América’. O ano não é dos mais interessantes em termos de indicados, mas a cerimônia deve ferver com manifestações políticas – olho nos prêmios de filme estrangeiro e curta documentário.

Melhor filme:

Vai ganhar: La La Land

Deveria ganhar: Moonlight (mas nada contra La La Land)

Melhor diretor:

Vai ganhar: Damien Chazelle

Deveria ganhar: Barry Jenkins

Melhor ator:

Vai ganhar: Casey Affleck

Deveria ganhar: Casey Affleck (mas ô categoriazinha sem sal!)

Melhor atriz:

Vai ganhar: Emma Stone

Deveria ganhar: Isabelle Huppert ou Natalie Portman

Melhor ator coadjuvante:

Vai ganhar: Mahershala Ali

Deveria ganhar: Mahershala Ali

Melhor atriz coadjuvante:

Vai ganhar: Viola Davis

Deveria ganhar: Viola Davis (mas, como é fraude de categoria, seria bem legal ver a Naomie Harris vencendo)

Roteiro original:

Vai ganhar: La La Land (coragem, cremosa)

Deveria ganhar: Manchester à beira-mar

Roteiro adaptado:

Vai ganhar: A Chegada

Deveria ganhar: A Chegada

Longa de animação

Vai ganhar: Zootopia

Deveria ganhar: Zootopia

Melhor canção original

Vai ganhar: ‘City of Stars’, La La Land

Deveria ganhar: seria legal pra caramba ver a plateia indo abaixo com um Oscar pro cara mais boa-praça do show business, Lin-Manuel Miranda, pela canção de ‘Moana’

Melhor trilha original

Vai ganhar: La La Land

Deveria ganhar: Jackie (Mica Levi, né, mores)

Fotografia

Vai ganhar: pode até ter dado ‘Lion’ no guild, mas a noite vai ser do La La Land

Deveria ganhar: Moonlight

Figurino

Vai ganhar: Animais Fantásticos e Onde Habitam

Deveria ganhar: Jackie

Maquiagem e cabelo

Vai ganhar: Star Trek Beyond

Documentário, longa

Vai ganhar: OJ: Made in America

Documentário, curta

Vai ganhar: Os Capacetes Brancos

Montagem

Vai ganhar: La La Land

Deveria ganhar: La La Land, A Chegada ou Moonlight

Filme estrangeiro

Vai ganhar: The Salesman #choramaisTrump

Design de produção

Vai ganhar: la La Land

Deveria ganhar: La La Land ou A Chegada

Mixagem de som:

Vai ganhar: Hacksaw Ridge (mas não duvido de La La Land…)

Deveria ganhar: Hacksaw Ridge

Som:

Vai ganhar: Hacksaw Ridge

Deveria ganhar: Hacksaw Ridge ou A Chegada

Efeitos visuais

Vai ganhar: Mogli

Deveria ganhar: Mogli

OSCAR 2016 – Momentos Inesquecíveis
Alicia Vikander emociona o público ao vencer o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante

antônio carlos júniorQuem Leva o Oscar de Melhor Filme?

La la Land deve levar… mas não quer dizer que seja o melhor filme. Pelo contrário, é um filme completamente super estimado. Aliás, para mim, é ‘Rede Social’ de 2017. Um filme que em pouquíssimo tempo vai ser esquecido pela história. ‘Lion’, ‘Moonlight’ e ‘Estrelas além do tempo’ contribuem muito mais para relevância estética e excelência do que o oba a oba de La La Land. Mas infelizmente é uma premiação que você faz um parâmetro com o ideal e o que de fato leva. Esse ano vai ser mais para o segundo. Diferente do ano passado, que tínhamos filmes muito bons e com premiações merecidas.

por Antônio Carlos Jr., diretor dos curtas “O Cuspe” e “O Terrorista”


Tapete Vermelho – OSCAR 2017
Isabelle Huppert, Ruth Negga e Felicity Jones

Casey Affleck x Denzel WashingtonCasey Affleck x Denzel Washington: disputa de estilos de atuação e personalidades diferentes

Denzel Washington interpreta um personagem falante, bombástico e dominador cuja personalidade salta da tela.

Casey Affleck, por contraste, vive um personagem introvertido, taciturno, rabugento e depressivo.

Os dois estão competindo pela estatueta de melhor ator no Oscar do próximo domingo (26), o que comentaristas da cerimônia dizem ser o prêmio mais disputado depois de semanas de campanhas e elogios do meio artístico.

Embora o musical “La La Land” seja o franco favorito para vencer a principal categoria, a de melhor filme, a atuação de Denzel em “Um Limite Entre Nós”, um drama sobre os dilemas de uma família negra, e o papel de Casey no devastador “Manchester À Beira-Mar” geraram uma competição acirrada.

“Há muito carinho por Denzel Washington e também há a polêmica do #OscarTãoBranco do ano passado, que têm que estar na cabeça dos eleitores do Oscar”, disse Matt Atchity, editor-chefe do site agregador de resenhas RottenTomatoes.com.

Se tudo der certo para Denzel, de 62 anos, ele irá se juntar a nomes como Meryl Streep e Jack Nicholson, membros de um grupo raro de atores que conquistaram três Oscars.

Casey, de 41 anos, irmão caçula do também ator Ben Affleck, cobiça sua primeira estatueta. Ele conquistou 90 por cento das honrarias anteriores e dos louvores da crítica até perder o prêmio do Sindicato dos Atores dos Estados Unidos para um Denzel Washington surpreso em janeiro.

Casey conseguiu estas vitórias apesar das alegações de assédio sexual de 2010 que ressurgiram bem no momento em que suas perspectivas para o Oscar ganhavam fôlego. Duas colegas de elenco de um filme anterior de Casey iniciaram ações civis alegando insinuações indesejadas que foram encerradas por acordos fechados fora dos tribunais por somas desconhecidas. À época o advogado do ator negou as acusações.

“Não ajuda, mas não acho que será um fator crucial no Oscar”, opinou Tim Gray, que cobre cerimônias de Hollywood para a revista especializada Variety.

Gray comparou o caso de Casey com o do cineasta Roman Polanski, que recebeu um Oscar de melhor direção em 2002 apesar de um caso de estupro de 1977.

Os outros concorrentes ao prêmio de melhor ator ? Andrew Garfield (“Até o Último Homem”), Viggo Mortensen (“Capitão Fantástico”) e Ryan Gosling (“La La Land”) ? são vistos como azarões na votação dos 6.600 membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que se encerrou na terça-feira.

da Agência Reuters

A imagem pode conter: 1 pessoa, óculos
Quem leva o Oscar de Melhor Filme?

Acredito que quem leva o Oscar de Melhor Filme é La La Land, pelo andar dessa temporada de premiações. Apesar de ter gostado muito do filme, meu coração fica quase dividido com Moonlight. Não ficaria triste se LLL perdesse pra Moonlight, é um belo filme e bem tocante.

por Roger Lima, do canal amazonense “X-Salada”

OSCAR 2016 – Momentos Inesquecíveis

Alejandro González Iñarritu recebe o segundo Oscar consecutivo da carreira.


Apostas – Ivanildo Pereira

Este ano deveremos ver uma “La La Lavada”. O filme de Damien Chazelle traz uma mensagem positiva (mesmo que termine agridoce) para os nossos tempos sombrios. E, além disso, fala sobre Hollywood, não é? Quantos votantes da Academia não vão se identificar com as trajetórias de Mia e Seb? Por tudo isso, acho que o musical deve fazer história este ano e sairá da cerimônia com algo entre 7 a 10 Oscars. Sinceramente, os indicados este ano não me empolgaram muito – mesmo tendo gostado da maioria, não vejo nenhuma obra-prima entre eles. E La La Land ficou no meio do caminho para mim: não entre os melhores (Moonlight, A Chegada e A Qualquer Custo), nem perto dos piores (Lion e Até o Último Homem). Vai ganhar porque é o filme certo na hora certa, e o tempo dirá se daqui a uns 5 ou 10 anos as pessoas vão se lembrar dele com carinho ou com embaraço.

MELHOR FILME

Quem vai ganhar: La La Land

Quem deveria ganhar: Moonlight

MELHOR DIRETOR

Quem vai ganhar: Damien Chazelle, por La La Land

Quem deveria ganhar: Barry Jenkins, por Moonlight

MELHOR ATRIZ

Quem vai ganhar: Emma Stone, por La La Land

Quem deveria ganhar: Isabelle Huppert, por Elle

MELHOR ATOR

Quem vai ganhar: Denzel Washington, por Um Limite Entre Nós

Quem deveria ganhar: Denzel Washington

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Quem vai ganhar: Viola Davis, por Um Limite Entre Nós

Quem deveria ganhar: Viola Davis

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Quem vai ganhar: Mahershala Ali, por Moonlight

Quem deveria ganhar: Mahershala Ali

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

Quem vai ganhar: Moonlight

Quem deveria ganhar: Moonlight

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

Quem vai ganhar: Manchester à Beira-Mar

Quem deveria ganhar: A Qualquer Custo

MELHOR FILME ESTRANGEIRO

Quem vai ganhar: O Apartamento

Quem deveria ganhar: Elle… Brincadeira, Toni Erdmann

MELHORES EFEITOS VISUAIS

Quem vai ganhar: Mogli, o Menino Lobo

Quem deveria ganhar: Mogli

MELHOR TRILHA SONORA

Quem vai ganhar: La La Land

Quem deveria ganhar: La La Land

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO

Quem vai ganhar: La La Land

Quem deveria ganhar: Ave, César!

MELHOR MONTAGEM

Quem vai ganhar: A Chegada

Quem deveria ganhar: A Chegada

MELHOR ANIMAÇÃO

Quem vai ganhar: Zootopia

Quem deveria ganhar: Só vi Zootopia, então apelo à Gloria Pires e não posso opinar.

MELHOR FOTOGRAFIA

Quem vai ganhar: La La Land

Quem deveria ganhar: A Chegada, mas La La Land está de bom tamanho.

MELHOR FIGURINO

Quem vai ganhar: La La Land

Quem deveria ganhar: Animais Fantásticos e Onde Habitam

MELHOR DOCUMENTÁRIO

Quem vai ganhar: O.J.: Made in America

Quem deveria ganhar: Todos são bons e interessantes. Meu favorito é a 13ª. Emenda.

MELHOR MAQUIAGEM

Quem vai ganhar: Star Trek: Sem Fronteiras

Quem deveria ganhar: Star Trek: Sem Fronteiras

MELHOR CANÇÃO

Quem vai ganhar: City of Stars, La La Land

Quem deveria ganhar: City of Stars

MELHOR EDIÇÃO DE SOM

Quem vai ganhar: Até o Último Homem

Quem deveria ganhar: Até o Último Homem

MELHOR MIXAGEM DE SOM

Quem vai ganhar: La La Land

Quem deveria ganhar: Até o Último Homem

MELHOR CURTA ANIMADO

Quem vai ganhar: Piper

Quem deveria ganhar: Não poso opinar, pois só vi Piper. Mas ele é muito bonitinho.

MELHOR DOCUMENTÁRIO EM CURTA-METRAGEM

Quem vai ganhar: Watani my Homeland

MELHOR CURTA-METRAGEM

Quem vai ganhar: La Femm et le TGV

natalie-portman-jackie-kennedyCine Set no Spotify

Aumente o som e curta três playlists especiais do Cine Set relacionadas ao Oscar.

Vamos para à segunda:

Os Rivais de “La La Land” na briga pelo Oscar de Melhor Trilha Sonora

trumpwin1Críticas a Donald Trump devem prevalecer nos discursos do Oscar

Ele não foi indicado e nem comparecerá à festa de premiação, apesar de sua notável experiência no mundo dos espetáculos, mas o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deve ser um dos protagonistas destacados de um Oscar que promete ser muito político.

A 89ª edição dos prêmios da Academia de Hollywood ocorrerá um mês depois de Trump tomar posse como presidente, e a controvérsia em torno de muitas de suas decisões, especialmente as que se referem a temas migratórios, não passou despercebida no mundo do cinema.

Assim foi possível observar no almoço anual da Academia em honra aos indicados, no qual a presidente da instituição, Cheryl Boone Isaacs, abordou às claras a atualidade política.

“Todos sabemos que há algumas cadeiras vazias hoje nesta sala, e isso transforma todos em ativistas”, disse ela em referência à ausência do cineasta iraniano Asghar Farhadi, candidato por “O Apartamento”, e que recentemente anunciou que não irá à cerimônia como protesto pelas medidas migratórias de Trump.

“A arte não tem fronteiras. As sociedades fortes não censuram a arte, mas a celebram. Não podemos permitir que as fronteiras detenham nenhum de nós”, assegurou.

Hollywood e Trump não têm, claro, uma relação muito fluente. As estrelas do cinema fizeram campanha eleitoral contra o polêmico magnata republicano e, durante as primeiras semanas de seu mandato, as críticas vindas do mundo do espetáculo não só não pararam, mas endureceram.

Uma atriz tão respeitada e admirada como Meryl Streep marcou o tom no Globo de Ouro com um apaixonado discurso em defesa dos estrangeiros, da criação artística e da imprensa livre.

“O único trabalho de um ator é mostrar a vida de pessoas diferentes (…) Se expulsam os estrangeiros, só veremos futebol americano e artes marciais”, afirmou a atriz, que acrescentou que “a falta de respeito provoca mais falta de respeito, e violência gera violência”.

Em resposta, Trump postou uma mensagem no Twitter afirmando que a artista é uma “lacaia” da ex-candidata presidencial democrata Hillary Clinton, e opinou que é “uma das atrizes mais supervalorizadas de Hollywood”, apesar de, entre outros méritos, Streep colecionar 20 indicações ao Oscar.

A habitual temporada de prêmios coincidiu com a aterrissagem de Trump na Casa Branca. Os profissionais do mundo do cinema, tradicionalmente inclinados a posições progressistas e liberais, não deixaram este fato passar despercebido diante de qualquer microfone.

Desta maneira, a cerimônia dos prêmios do Sindicato de Atores se transformou em uma noite na qual estrelas como Emma Stone, Taraji P. Henson, Mahershala Ali, Sarah Paulson e Julia Louis-Dreyfus defenderam a tolerância e o respeito além das diferenças.

Fora do campo estritamente artístico, vários atores apoiaram as grandes manifestações de mulheres que foram realizadas nos Estados Unidos um dia depois da posse de Trump para rejeitar as ideias machistas do dirigente.

Scarlett Johanson, Ashley Judd, América Ferrera, Joseph Gordon-Levitt, Jamie Lee Curtis e Miley Cirus foram alguns dos artistas que foram vistos nessas manifestações.

Com este ambiente prévio, o público espera para assistir aos discursos dos ganhadores do Oscar e os dardos que podem ser lançados contra Trump pelo apresentador da festa, Jimmy Kimmel, um comediante que em seu programa noturno “Jimmy Kimmel Live” costuma dedicar pérolas nada carinhosas ao magnata republicano.

E tudo isso sem perder de vista a conta no Twitter de Trump, na qual é provável que o presidente não perca a ocasião de criticar Hollywood.

da Agência EFE

OSCAR 2016 – Momentos Inesquecíveis

Brie Larson conquista o Oscar de Melhor Atriz

Resultado de imagem para Martha Ruiz e Brian Cullinan
Dupla de executivos já sabe os resultados do Oscar 2017

Neste domingo (26), milhões de pessoas em todo o mundo estarão sob a expectativa do anúncio dos ganhadores do Oscar. Mas duas já sabem quem ganhou cada categoria do prêmio mais importante do cinema.

É bastante provável que quase ninguém tenha ouvido falar de Martha Ruiz e Brian Cullinan. Eles nunca estiveram em filmes ou capas de revistas. Mas serão as mais importantes pessoas na cerimônia do Dolby Theatre. Ruiz e Cullinan são as únicas pessoas no mundo que sabem o resultado antes que cada apresentador de prêmios abra o envelope e diga a famosa frase: “E o Oscar vai para…”.

Sócios da empresa de auditoria PriceWaterhouseCoopers, eles são responsáveis pela contagem –e recontagem– dos votos dos mais de 7.000 membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (Ampas, na sigla em inglês) que escolhem os ganhadores das estatuetas douradas a cada ano.

Na noite da cerimônia, entregarão pessoalmente os envelopes para cada apresentador, apenas momentos antes destes subirem ao palco. “Já me perguntaram de qual parte eu mais gosto”, diz Ruiz. “É quando estou indo de carro para o teatro e, enquanto todo mundo especula sobre os vencedores, eu sei exatamente quem eles são”.

Este ano, Ruiz e Cullinan iniciaram a contagem assim que a votação terminou, na terça-feira. Os votos podem ser eletrônicos ou postais. Segundo Ruiz, que falou à BBC antes da realização do processo, a maioria dos integrantes da academia vota eletronicamente. Ainda assim, a contagem nas 24 categorias do Oscar é feita manualmente.

“O processo é manual por uma série de razões. Primeiro, porque não queremos que os resultados estejam armazenados em um computador. Segundo, porque queremos usar uma série de mecanismos para que o processo e os resultados sejam seguros”, explica Ruiz.

Ruiz e Cullinan têm a ajuda de três ou quatro colegas na contagem dos votos, mas sem acesso à totalidade dos resultados. “Eu e Brian contamos tudo juntos, às vezes repetidamente, para termos certeza de que tudo está correto”.

Além do trabalho da contagem, que costuma terminar apenas na sexta-feira antes da cerimônia, a dupla precisa memorizar o nome de todos os vencedores para o caso de algo acontecer com os envelopes. Uma estratégia que faz parte de uma lista de precauções.

Escolta policial

“Passamos um bom tempo testando um a outro para assegurar que decoramos tudo”, conta Ruiz. “É quando também preparamos os envelopes, que eu e Brian selamos. Temos dois lotes de envelopes, que guardamos em locais secretos”.

“No dia da cerimônia, pegamos os lotes. Brian e eu vamos para o teatro em percursos diferentes, para que, se algo acontecer com um de nós, o outro possa estar na cerimônia a tempo. Contamos ainda com escolta policial o tempo todo. Sabemos que estão protegendo as maletas que carregamos com os envelopes, não a gente”.

“No teatro, estamos em locais diferentes. Brian fica à direita do palco. Eu, à esquerda”.

Tapete vermelho

A exemplo das celebridades hollywoodianas, a dupla também caminha pelo tapete vermelho a caminho da cerimônia. E está bastante a par da atenção que desperta. “Há algumas celebridades que notam o que estamos carregando e querem nos cumprimentar”, diz Ruiz. “Houve um ano em que Brian estava no tapete e [a atriz australiana] Cate Blanchett tentou, de brincadeira fazer um cabo de guerra com a maleta”.

O sistema tem funcionado muito bem nos últimos 83 anos, desde que a PriceWaterhouseCoopers começou a trabalhar na contagem. Em todo este tempo, apenas 12 pessoas estiveram envolvidas na contagem e na entrega dos resultados.

Ruiz participa do processo pela terceira vez. “É algo que valorizo e faço com a maior responsabilidade”. E ela garante não se sentir tentada a dar dicas sobre o resultado. “Algumas pessoas gostam de brincar, mas as pessoas ao nosso redor, incluindo nossas famílias, sabem que isso não é algo que fazemos. Na minha casa, isso está bem claro”.

da BBC Brasil


Cine Set no Spotify

Aumente o som e curta três playlists especiais do Cine Set relacionadas ao Oscar.

Vamos para a primeira:

A Trilha Sonora de “La La Land”

OSCAR 2016 – Momentos Inesquecíveis

Leonardo DiCaprio, finalmente, vence o Oscar


Apostas Danilo Areosa

O Oscar 2017 que acontece neste domingo de Carnaval com certeza seguirá a previsibilidade dos “termômetros” das premiações que o antecederam: La La Land como grande vencedor da noite, abocanhando vários prêmios, varrendo por completo, os adversários. Qualquer situação fora desta realidade, será uma surpresa, o que vale ressaltar, seria ótima afinal, temos outros belos exemplares concorrentes que merecem serem agraciados com o careca dourado.  Mesmo pelo caminho do previsível, a cerimônia deve render boas expectativas em saber se a Academia vai coroar e colocar o filme de Chazelle, no Hall de grandes ganhadores de estatuetas como “Ben Hur” (1960), “Titanic” (1998) e “O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei” (2004). Alinhado a isso, não vou negar que dois pontos me chamam mais a atenção: 1) será divertido acompanhar o comportamento nas redes sociais, entre os  La La Landers e os La La Haters quando o evento começar; 2) Estou ansioso pelos discursos e comentários políticos direcionados ao nosso “queridão” Trump. Por isso, espero que vocês se divirtam com a transmissão do Oscar 2017 neste domingo no Cine Set.

Melhor filme: La La Land

Melhor Diretor: Damien Chazelle

Melhor Atriz: Emma Stone

Melhor Ator: Casey Affleck

Melhor   Ator Coadjuvante: Mahershala Ali

Melhor Atriz Coadjuvante: Viola Davis

Melhor Roteiro Original: La La Land

Melhor Roteiro Adaptado: Moonlight


‘La La Land’ vai em busca de recordes no Oscar 2017

“La La Land: Cantando Estações” tem a chance de conseguir o chamado “Big Five” (“Cinco Grandes”), ou seja, quando um filme vence as cinco principais categorias do Oscar (melhor filme, ator, atriz, diretor e roteiro), uma conquista que apenas três longas conseguiram até hoje.

Ao longo da história, 43 produções foram indicadas nestas cinco categorias, mas somente “Aconteceu Naquela Noite” (1934), “Um Estranho no Ninho” (1975) e “O Silêncio dos Inocentes” (1991) conseguiram a proeza de levar essas estatuetas. Agora, o musical de Damien Chazelle, uma declaração de amor à cidade de Los Angeles, parte como o grande favorito na 89ª edição do Oscar, com 14 indicações, mesma quantidade recorde que “Titanic” (1997) e “A Malvada” (1950).

O filme poderia, inclusive, igualar ou superar o número histórico de 11 estatuetas douradas, marca de “Ben-Hur” (1959), “Titanic” e “O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei” (2003).

da Agência EFE

COMEÇOU!

O Cine Set inicia a cobertura do Oscar 2017!

São QUATRO formas de saber tudo sobre a cerimônia: aqui no site, no Facebook, Twitter e Instagram.

Venha para a folia do cinema conosco!

Será imperdível!

cINESET BAILEA TRANSMISSÃO DO OSCAR 2017 COMEÇA ÀS 21H (horário de Brasília)!

ACOMPANHE TUDO POR AQUI!

NÃO PERCA!

Facebook Comments