Adorado por cinéfilos do mundo inteiro, “Kill Bill” marcou um dos maiores sucesso da carreira de Quentin Tarantino e imortalizou Uma Thurman com uma das grandes personagens da história do cinema. Um episódio grave ocorrido nos bastidores do longa ocorrido no México, porém, somente veio à tona neste sábado (3) no artigo bombástico da atriz revelado pelo jornal The New York Times.

Faltando apenas quatro dias de um desgastante processo de nove meses de gravação, Quentin Tarantino exigiu que Uma Thurman fizesse a cena em que a personagem da Noiva dirige em alta velocidade para ir matar Bill. A gravação seria em uma pequena estrada em uma área de mata. Ao saber sobre possíveis problemas no carro, a atriz afirmou que não estava se sentindo confortável para conduzir o veículo e sugeriu a utilização de uma dublê para a sequência.

“Tarantino entrou no meu trailer e não queria ouvir não, como qualquer outro diretor. Ele estava furioso porque iria custar mais tempo, mas, estava com medo. Ele disse: ‘eu prometo a você que o carro está bem. É uma estrada em linha reta'”, relembrou Thurman. Segundo a atriz, o caminho era, na verdade, uma estrada de areia. O resultado foi um grave acidente que você confere clicando aqui.

“O volante estava na minha barriga e minhas pernas estavam presas debaixo de mim. Eu senti essa dor terrível e pensei: ‘Oh meu Deus, nunca mais vou andar’. Quando voltei do hospital com uma cinta de pescoço, os joelhos danificados, um grande machucado na minha cabeça e uma concussão, eu queria ver o carro, estava muito chateada. Quentin e eu tivemos uma luta enorme, e eu o acusei de tentar me matar. E ele estava muito irritado com isso, acho, compreensivelmente, porque ele não sentiu que ele tentara me matar “, recordou.

Casado com Uma Thurman na época, Ethan Hawke lembrou que cobrou Tarantino sobre o acidente. “Falei com o Quentin de forma muito séria e disse que ele havia deixado Uma como diretor e como amigo. Ressaltei que ela era uma ótima atriz e não uma motorista de dublês. Quentin pediu perdão e afirmou que estava muito chateado consigo mesmo”, disse o ator de “Antes da Meia-Noite”.

Complicações com a Miramax

Duas semanas após o acidente, depois de tentar ver o carro e as filmagens do incidente, Uma Thurman mandou uma carta a Miramax, resumindo o evento e reservando o direito de processar. O estúdio ofereceu as imagens, mas, para tanto, ela teria de assinar um documento que liberava a empresa de qualquer compromisso com as consequências de futuras dores ou problemas decorrentes do acidente. O trato foi recusado pela atriz.

Após isso, Tarantino e Thurman entraram em conflito por diversas vezes, especialmente, durante a divulgação de “Kill Bill”. “Tivemos uma briga terrível no Soho House, em Nova York, em 2004. Estávamos brigando um contra o outro porque ele não me deixava ver as imagens do acidente, enquanto Quentin dizia que era o que o estúdio tinha decidido”, afirmou.

A atriz revelou que procurou a polícia para investigar o caso do acidente após Tarantino ter entregue as imagens após 15 anos e também as acusações de assédio e ataque sexual cometidas por Harvey Weinstein contra ela ocorridas na década de 1990.

Facebook Comments