Ao longo das décadas em Hollywood, vários filmes baseados em super-heróis de quadrinhos não chegaram a se tornar realidade – o mais célebre deles é o infame “Superman Lives” que seria dirigido por Tim Burton e estrelado por Nicolas Cage (!) nos anos 1990. Porém, alguns desses projetos abortados parecem interessantes a ponto de deixar os fãs imaginando o que teria acontecido se eles tivessem se tornado realidade. Um deles é o filme da Liga da Justiça que seria dirigido em meados da década passada por ninguém menos que o maluco australiano George Miller, criador da franquia “Mad Max”.

Pois agora, enquanto o cineasta Zack Snyder prepara o filme oficial da Liga para os próximos anos, poderemos dar uma olhada no projeto de Miller que não chegou a acontecer. Uma equipe capitaneada pelo diretor Ryan Unicomb e pelos produtores Aaron Cater e Steven Caldwell vai produzir um documentário sobre o projeto abortado, nos mesmos moldes do filme “The Death of Superman Lives”, que estreará em breve abordando o também malfadado filme do Superman Cage que não veio a existir. Uma campanha de crowdfunding, visando arrecadar recursos para a produção do documentário ainda sem título, deve ser iniciada em breve.

A história do filme da Liga da Justiça quase dirigido por George Miller é até recente. Em meados da década passada, o diretor estava desenvolvendo esse projeto dentro do estúdio Warner Bros., com roteiro de Kieran e Michelle Mulroney – mais tarde roteiristas de “Sherlock Holmes” (2009). Miller já tinha até escalado o elenco e estava desenvolvendo os uniformes dos heróis e o visual do filme junto à Weta, empresa de efeitos de Peter Jackson. Então veio a greve de roteiristas em 2007, o orçamento inchou e o estúdio decidiu cancelar o filme mais ou menos na mesma época em que saiu “Batman: O Cavaleiro das Trevas” (2008) de Christopher Nolan, optando assim por se concentrar na visão mais séria e sombria da trilogia do Homem Morcego.

No elenco de “Liga da Justiça” estavam Adam Brody como Flash, Scott Porter como Superman, o rapper Common como Lanterna Verde, Megan Gale como Mulher Maravilha e Armie Hammer, de “A Rede Social” (2010), como Batman.

Apesar do anúncio dos produtores do documentário, ainda não foi confirmado o envolvimento de George Miller no filme. É de se pensar como seria o mundo do cinema hoje se a Warner/DC tivesse feito esse filme antes da Marvel fazer “Os Vingadores” (2012). E ao vermos “Mad Max: Estrada da Fúria”, não conseguimos deixar de imaginar o que Miller poderia fazer com os heróis da DC Comics.

Ainda não há data para o lançamento deste documentário, mas este desde já é um projeto para se acompanhar. Aguardemos mais novidades.

Facebook Comments