Atenção: Esse texto contém SPOILERS

O importante é nunca deixar de acreditar”.

Para começar a falar sobre ‘Samantha!’, é importante apresentar seu principal artifício: a ironia. Uma frase passada e clichê surge como uma grande ironia para os momentos inoportunos pelos quais a ex-celebridade Samantha (Emanuelle Araújo) vivencia em sua trama. Assim, o humor ocorre sem arrancar grandes risadas, mas, por vezes, chega a ser aquela cutucada que o espectador, assim como sua protagonista, não gostaria de ouvir.

Samantha!’ apresenta a história da personagem-título que luta para se manter nos holofotes após ter sido sucesso em um programa infantil dos anos 1980. Acompanhada de um marido ex-jogador de futebol e ex-presidiário, dois filhos e uma fama nem tão positiva assim, a protagonista insiste na sua permanência em programas televisivos. 

Mesmo com uma proposta aparentemente fácil de ser interpretada, a série inclui um grande elenco para protagonizar sua trama. As próprias participações limitadas de Rodrigo Pandolfo e Daniel Furlan conseguem ir além do tempo de apresentação em cena e permanecer com o espectador no decorrer da série.

Apesar da grande influência oitentista e do formato tradicional de uma sitcom, a trama apresenta uma grande correspondência com tempos de geração XYZ. Samantha e Dodói (Douglas Silva), seu marido, são o tradicional exemplo de subcelebridades nacionais que buscam aparecer na grande mídia para reafirmar seu status social como relevante.

Essa comparação se reforça com os próprios filhos de Samantha: Brandon (Cauã Gonçalvez), aos nove anos escreve sua autobiografia e Cindy (Sabrina Nonata) explica sobre feminismo para os pais. Ambos trazem elementos novos para a trama que poderia ficar restrita a flashbacks e ao saudosismo da mãe. Afinal, os filhos crescem embalados pela onda cibernética que os pais tentam acompanhar, característica aproveitada para ironizar a cultura do imediatismo trazida pelos smartphones e plataformas sociais. 

Com essa mistura entre presente e passado, ‘Samantha!’ aproveita para dar continuidade a sua história com pequenas criticas e bom humor. Antes, o programa de auditório apresentado por Samantha se mostrava um ambiente competitivo e totalmente problemático para crianças e até mesmo adultos; com o passar do tempo, percebe-se que este tipo de cenário ainda não mudou. Nesse caso, a Netflix aproveita sua condição de streaming para mostrar as deficiências da produção na TV aberta.

Apesar dos dramas mais atuais, a série não esquece seu pezinho no passado. Além de se apoiar em flashbacks e comparações com a vida atual de Samantha, a trilha sonora típica da época cria um ótimo clima para os espectadores mais nostálgicos. A própria personagem se mantém conectada ao passado por meio dos figurinos que ostentam brilhos e referências à antiga vestimenta de seu show.

Ao deixar de lado esses aspectos que acompanham seu público-alvo, a série tropeça em deixar narrativas conhecidas virem à tona. A reaproximação entre Samantha e Dodói, por exemplo, é sofrível. O casal mantém o clima despretensioso em sua reaproximação com instabilidades de ambos os lados, claramente, os dois ainda possuem sentimentos em relação ao casamento, mas inúmeras circunstâncias atuam para segurar esse desenrolar até o final da série.

No geral, a mesma lógica utilizada para o casal também é experimentada com o restante da trama. A cada episódio, novas situações e pessoas surgem em cena, mas Samantha e sua busca pela redenção no show business continua na mesma, ou seja, em todos episódios, a série anda em círculos e acaba no mesmo lugar.

Infelizmente essa sensação deve acompanhar os espectadores do seriado já que este termina com uma nova possibilidade que não tem chances de um meio termo: ou segue o ritmo da primeira temporada e entretém minimamente seu público ou se compromete ao falar da área política sem consegue acompanhar esse novo território.

Com algumas adaptações, ‘Samantha!’ acaba se tornando uma grande renovação de tramas já conhecidas no streaming. Apesar de não oferecer um conteúdo exatamente novo, ‘Samatha!’ mostra um grande esforço para inserir novas produções nacionais na Netflix, apresentando o bom humor com aliado. Após produções mais densas como ‘3%’ e polêmicas como ‘O Mecanismo’, ‘Samantha!’ apresenta um grande respiro de alívio e humor para o público.

Facebook Comments