A divulgação de um pornô caseiro desencadeia uma tragicômica sequência de eventos na vida de uma professora no novo longa do celebrado diretor romeno Radu Jude (“Eu Não me Importo se Entrarmos para a História como Bárbaros”). “Bad Luck Banging… or Loony Porn” é uma comédia ácida, deliciosamente sem vergonha e nem um pouco preocupada com o politicamente correto. Vencedor do Urso de Ouro no Festival de Berlim deste ano, ele confirma o cineasta romeno como um dos mais vitais de sua geração.

O filme acompanha Emi (Katia Pascariu) dias depois de um vídeo de sexo entre ela e seu marido ter sido veiculado na internet. A imprensa e a opinião pública transformam o infortúnio privado em um pesadelo público – agravado pelo fato dela ser mulher e professora de uma escola respeitada. Eventualmente, uma reunião com os pais dos alunos acontece para decidir o futuro da magistrada.

O cinema de Jude é muito preocupado com representações – para ele, a forma de um filme é tão importante quanto seu conteúdo. Em “Bad Luck Banging… or Loony Porn”, ele opta pelo tríptico, dividindo o filme em três partes distintas e construindo o significado através do todo.

A primeira segue Emi lidando com o resultado do incidente em meio aos afazeres da sua vida cotidiana, com uma câmera na mão distante e observacional vista em documentários. A terceira representa dramaticamente a reunião entre ela e os pais. E entre essas duas partes narrativas, o diretor inclui uma espécie de glossário em forma de vídeo-ensaio, dando definições irreverentes para vários termos como “Cinema”, “Igreja” e “Pênis”.

CATARSE IRRESÍSTIVEL

O roteiro, assinado por Jude, está realmente interessado em usar a história de Emi como um retrato de uma sociedade que deu terrivelmente errado. A violência de motoristas contra pedestres – uma potente alegoria do abuso de poder dos mais fortes em relação aos mais fracos – aparece repetidas vezes na primeira parte do filme, bem como diversas formas de disfunção social que a professora encontra em um dia como outro qualquer.

O realizador tampouco perde a oportunidade de levantar o dedo do meio para a hipocrisia da sociedade romena, ilustrando como o tribunal das redes sociais dá voz a todo tipo de desumanidade, estupidez e preconceitos. E como criticar sem mostrar não adianta muita coisa, isso significa sujeitar o espectador aos impropérios da web 2.0 através de seus personagens – especialmente na terceira parte do longa.

O humor de “Bad Luck Banging… or Loony Porn” vem justamente das contradições e do constrangimento advindo do moralismo religioso e sociopolítico. Por mais que se passe na Romênia, as agruras de Emi poderiam acontecer praticamente em qualquer lugar do mundo – e certamente no Brasil. A universalidade e originalidade do longa o tornam super recomendável e, quando ele chega a um ambíguo clímax, a catarse é irresistível.

‘Caros Camaradas’: a desintegração do comunismo soviético

A primeira coisa que você deve saber acerca de “Caros Camaradas” é que estamos diante de um filme forte, necessário e que ainda se apropria de causas hoje presentes estruturados em uma sociedade desigual. Dito isso, vamos ao filme. “Caros Camaradas” narra um momento...

Trilogia ‘Rua do Medo’: diversão rasa, nostálgica e descartável

Séries de TV têm sido um dos pilares fundamentais na consolidação global da Netflix como o maior serviço de streaming do mundo. Boas, ótimas ou ruins, vindas de diversas partes do mundo, não importa: sempre podemos contar com a produção serializada de TV como parte...

‘Viúva Negra’: o pior filme da Marvel em muitos anos

Durante muito tempo, os fãs das produções da Marvel Studios pediam por um filme solo da heroína Viúva Negra. A estrela Scarlett Johansson também queria fazer. Para quem deseja entender um pouco dos meandros de Hollywood e esclarecer porque o filme da Viúva não saiu,...

‘Nem Um Passo em Falso’: Soderbergh perdido no próprio estilo

Steven Soderbergh é um cineasta, no mínimo, curioso. Seu primeiro filme, Sexo, Mentiras e Videotape (1989) mudou os rumos do cinema independente norte-americano quando saiu – e é, de fato, um grande filme. Ao longo dos anos, ele ganhou Oscar de direção por Traffic...

‘Um Lugar Silencioso 2’: ponte com dias atuais mirando futuro da franquia

“Um Lugar Silencioso” foi um dos meus filmes favoritos de 2018. A ambientação, o uso de recursos sonoros e a narrativa capaz de gerar tantas leituras e interpretações foram aspectos determinantes para a catarse causada e suscitar indagações quanto a necessidade de uma...

‘A Guerra do Amanhã’: estupidez eleva à potência máxima

A certa altura de A Guerra do Amanhã, o herói do filme se vê segurando pela mão outra personagem que está prestes a cair num abismo em chamas. Ela cai, ele grita “Nãããoo!” em câmera lenta, e aí eu dei risada e joguei minhas mãos para o ar. Tem certas coisas que não...

‘Four Good Days’: Glenn Close em novelão sobre recomeços

Glenn Close é uma das maiores atrizes de todos os tempos. Um fato indiscutível. Mas também é uma das mais injustiçadas se pensarmos em premiações. E o Oscar é o maior deles. Bem verdade que, ao longo dos anos, a Academia perdeu grande parte de sua relevância, mas...

‘Shiva Baby’: crônica do amadurecimento na era do excesso de informações

“Shiva Baby” é o trabalho de estreia da diretora canadense Emma Seligman e retrata um dia na vida de Danielle (Rachel Sennott), jovem universitária que encontra seu sugar daddy (pessoa mais velha que banca financeiramente alguém, em troca de companhia ou de favores...

‘Em um Bairro de Nova York’: sobre ‘suañitos’ e fazer a diferença

É preciso dizer que Jon M. Chu e Lin-Manuel Miranda são os artistas atuais mais populares no quesito representatividade em Hollywood. Chu é responsável por trazer o primeiro filme norte-americano em 25 anos com um elenco totalmente asiático e asiático-americano –...

‘Noites de Alface’: riqueza da rotina duela contra mistérios vazios

Apesar de “Noites de Alface” estar envolto em situações misteriosas, elas não têm tanta importância quando o mais interessante são as reflexões sobre envelhecer e das trivialidades da rotina cotidiana.  O grande trunfo do filme é ouvir os protagonistas dessa trama...