Narciso Lobo é um dos pesquisadores essenciais para compreender o cinema no Amazonas. Versado em letras, literatura, poesia, música, cinema e política, sua contribuição é tão pertinente, que, mesmo após 10 anos de seu falecimento, ele permanece sendo imprescindível para a cultura audiovisual local.

Por isso, o Cine Set foi atrás de críticos, pesquisadores e diretores de cinema para saber qual o legado de Narciso Lobo ao nosso cinema.

“Narciso é um ser transdisciplinar. As intervenções feitas por ele tiveram essa marca da sala de aula à rua, nos espaços por onde andou, experimentou e protagonizou acontecimentos.

Precisamos colher as contribuições de Narciso Lobo nas várias áreas. No rádio, criou, em parceria com outros professores, o Programa Radiofônico Universidade Livre de Manaós, apresentado por mais de dez anos na Rio Mar e, mais tarde, transformado em projeto de extensão com participação direta dos estudantes de jornalismo da Ufam. No Encontro de Ideias, projeto realizado entre o final de 1989 até 1992, impulsionou grandes debates com foco em temas de relevância para a Amazônia e o Amazonas. Conectou esta região com o Brasil a partir dos diálogos entre universidades e múltiplas áreas do conhecimento. Nos jornais, onde atuou como articulista e repórter, qualificou a abordagem cultural; seguiu na problematização das séries para a televisão e o lugar da Amazônia nessas narrativas.

No cinema, havia uma luta local, para manter salas de cinemas abertas e ampliação desses espaços. É nesse ritmo de “Hoje tem Guarany”, livro produzido por ele e pela Profª Selda Vale, que noções de direitos humanos e do acesso a bens culturais são lançadas e ganham as ruas, as discussões nos botecos, nos encontros dos intelectuais e dos artistas, nas sala de aula. Esse rosto da luta travada naquele momento engloba questões pelas quais lutamos hoje e espalhou sementes de resistência; a outra face está na determinação do Prof. Narciso em conhecer a história do cinema local, produzir pesquisas, estimular o debate e os estudantes a se interessarem por essa temática.

Como árvore, Narciso Lobo tinha galhos longos e em cada um deles estava abrigada uma proposta cultural-acadêmica. Organizar os eixos de atuação de Narciso é uma tarefa que se coloca menos pela homenagem a ele e mais por necessidade nossa, a fim de, na memória, nos reencontrarmos e encontrarmos as razões para resistir ao tempo da selvageria de agora. O cinema, e o cinema na Amazônia, é um dos territórios da cidadania defendida por Narciso”.

“Acho que Narciso não tem apenas um legado, ele tem legados. Quanto mais leio e procuro saber sobre a trajetória dele mais me surpreendo. As atividades enquanto militante, as inquietações enquanto pesquisador, e sobretudo a dedicação ao ensino como professor da Ufam.

Certamente Narciso é uma referência para nós como Centro Popular do Audiovisual, por mostrar que o cinema vai além dos filmes, e se desdobra em atividades outras”.

“O professor Narciso Lobo foi alguém de uma influência tremenda em diversas áreas. Para o Cinema amazonense ele foi alguém que deu complexidade aos estudos do cinema, por um lado, pois discutiu cinema em relação a cultura, a política, a sociedade e etc. Por outro lado, ele aproximou o cinema de muitas gerações, inclusive gerações de jornalistas que foram formados por ele na Ufam e mais tarde, como no meu caso, formado pela Ufam, mas depois de sua ida.

Eu conheci a obra do Narciso pelo seu livro ” A tônica da descontinuidade: cinema e política em Manaus na década de 60″ uma obra riquíssima, fruto de um pesquisador maduro e dedicado, mas que por outro lado é prazeroso de ler e acompanhar. Foi um livro que me ajudou muito a abrir a mente para estudar o cinema em Parintins, no meu mestrado. Lembro também do livro “Hoje Tem Guarany” escrito junto a professora Selda Vale, onde além do intelectual, aparece de forma muito forte o militante, algo que ele fazia muito bem e da melhor forma possível, ser um intelectual denso, mas também um militante popular e presente”.

“O professor Narciso será sempre lembrado por sua contribuição para os estudos do cinema no Amazonas por ser basicamente um dos indivíduos que trouxeram à tona essa história. Simplesmente não há pesquisa séria sobre a temática que não o cite. O afinco e olhar crítico do professor também marcaram sua atuação como docente consciente, politizado e envolvido com a democratização da informação,  além de seus estudos na área de ficção seriada, usualmente menos lembrado.

Pensando estritamente em termos de cinema, a trajetória do professor Narciso é uma das razões da história do cinema amazonense continuar a ser contada hoje, pois além de sua produção própria, ele esteve diretamente envolvido na formação de vários diretores, pesquisadores, jornalistas e críticos de cinema no estado”.

 “O legado de Narciso para o cinema foi ser um dos precursores na pesquisa sobre a produção e exibição de filmes no Amazonas, além de refletir a importância do movimento cineclubista em Manaus a partir dos anos 1960.

Junto com a Selda, foi quem desenvolveu estudos e levantamentos acerca dessa historiografia do cinema na região, contribuindo para que o Amazonas ocupe um lugar histórico no cenário nacional, na identificação de um de seus pioneiros (Silvino Santos)”.

Com Will Smith favorito ao Oscar, ‘King Richard’ chega aos cinemas de Manaus

Filme: King Richard – Criando Campeãs  Direção: Reinaldo Marcus Green  Elenco: Will Smith, Aunjanue Ellis, Saniyya Sidney, Jon Bernthal  Sinopse: A história da jornada ao estrelato das celebradas tenistas Venus e Serena Williams, que possuem mais de 30 prêmios em...

Guia Festival Varilux de Cinema Francês 2021 em Manaus – Primeira Semana

Pelo quinto ano consecutivo, os cinemas de Manaus recebe o Festival Varilux de Cinema Francês previsto para ocorrer entre os dias 25 de novembro a 8 de dezembro. As sessões serão realizadas em dois cinemas da capital amazonense: no Casarão de Ideias, localizado no...

‘Casa Gucci’ e ‘Encanto’ são as novidades nos cinemas de Manaus

Filme: Casa Gucci Direção: Ridley Scott Elenco: Adam Driver, Lady Gaga, Jared Leto, Salma Hayek, Al Pacino Sinopse: Abrangendo três décadas de amor, traição, decadência, vingança e em última instância, assassinato, vemos o que um nome significa, o que vale e quão...

‘Noite Passada em Soho” e ‘Ghostbusters’ são as novidades nos cinemas de Manaus

Filme: Noite Passada em Soho Direção: Edgar Wright Elenco: Anya Taylor-Joy, Thomasin McKenzie, Matt Smith, Diana Rigg Sinopse: Uma jovem apaixonada a design de moda chamada Eloise é misteriosamente capaz de entrar na década de 1960, onde encontra uma deslumbrante...

Cine Set e Casarão de Ideias trazem retrospectiva do cinema amazonense em 2021

O cinema amazonense teve um ano histórico em 2021: curtas-metragens do Estado circularam pelos principais eventos brasileiros – festivais de Gramado, Brasília, Cine PE, Mostra de Tiradentes – e chegaram em países como EUA, Canadá, México, Irã, Israel, Turquia. Para...

‘Querido Evan Hansen’ e ‘Bob Cuspe’ são as novidades nos cinemas de Manaus

Filme: Querido Evan Hansen Direção: Stephen Chbosky Elenco: Ben Platt, Julianne Moore, Kaitlyn Dever, Amy Adams Sinopse: História gira ao redor de Evan Hansen (Ben Platt), jovem ansioso e com dificuldades de se conectar com os outros, que acaba envolvido numa mentira...

‘Eternos’ e ‘Marighella’ dominam circuito dos cinemas de Manaus

Filme: Eternos Direção: Chloe Zhao Elenco: Richard Madden, Angelina Jolie, Salma Hayek, Kumail Nanjiani, Lia McHugh, Brian Tyree Henry, Dong-seok Ma HORÁRIOS Cine Araújo Shopping Manaus Via Norte – 13h00, 14h30, 16h00, 17h30, 19h00, 20h30, 22h00 (Dublado) Centerplex...

Com referências de novos nomes do terror, Deborah Haven lança primeiro longa da carreira

“Soror” é o primeiro longa-metragem de Deborah Haven, diretora amazonense que começou sua carreira em 2016, quando foi uma das criadoras a produtora audiovisual Dream House Pictures. Seu mais novo filme trata sobre uma investigação policial no ano de 1946, quando a...

Polêmico filme sobre o Curupira é a principal atração em fim de semana fraco nos cinemas de Manaus

Filme: Curupira - O Demônio da Floresta Direção: Erlanes Duarte Elenco: Di Ramalho, Myla Arau, Lary Mourão Sinopse: Seis jovens decidem fazer um passeio na floresta em um final de semana. Dentre eles são Beto, Marcos, Diana, Kauã, Carol e Jéssica que decidem se...

Cine Set abre inscrições para curso gratuito e online sobre mulheres no cinema

Compreender como a visão feminina se constrói e está presente no cinema é a proposta do novo curso promovido pelo Cine SET: “Elementos do Olhar no Cinema Feito por Mulheres”. A atividade acontecerá entre os dias 1 e 3 de novembro, de 15h às 18h (horário de Brasília),...