O estúdio que criou o programa de TV americano “Vila Sésamo” acionou na Justiça a produtora de uma comédia policial por causar danos à imagem do mítico programa infantil.

Em “The Happytime Murders”, a atriz Melissa McCarthy interpreta uma policial que precisa elucidar uma série de assassinatos. Suas investigações a levam a marionetes apresentadas como prostitutas e dependentes químicas.

O slogam do filme, “NO SESAME. ALL STREET” (Nada de Sésamo, só rua) é uma alusão direta a “Sesame Street”, nome original do programa, conhecido na América Latina como “Vila Sésamo”.

“Estamos surpresos e decepcionados de que ‘Vila Sésamo’, um programa destinado à educação das crianças, seja explorado para promover um filme proibida para menores desacompanhados”, manifestou-se, em um comunicado, o estúdio Sesame Workshop.

Na denúncia apresentada na quinta-feira perante uma corte federal de Nova York contra a produtora STX Entertainment, o Sesame Workshop argumenta que a associação que o espectador faz naturalmente com a série de animação para crianças “causa um dano irreparável” a “Vila Sésamo”.

“Cenas da sinopse mostram uma linguagem grosseira usada pelos humanos e pelas marionetes, o uso de drogas por parte de humanos e marionetes, marionetes que se prostituem ou oferecem seus serviços a humanos, armas e violência e relações sexuais entre marionetes, cujo ponto alto é uma cena em que se vê uma marionete ejacular copiosa e prolongadamente”, acrescenta o documento.

A denúncia contém capturas de tela de mensagens postadas nas redes sociais que confundem “Vila Sésamo” e “The Happytime Murders”.

“Embora nos sintamos decepcionados de que ‘Vila Sésamo’ não compartilhe do nosso humor, estamos convencidos de que temos o direito de fazê-lo”, respondeu a STX Entertainment em um comunicado citado pela imprensa americana.

Após ter pedido, sem sucesso, que o nome “Sesame” seja retirado do trailer, o Sesame Workshop pretende, agora, obrigar a produtora a modificar o slogan do filme, bem como o pagamento de perdas e danos por uma quantia não revelada.

da Agência France Press

Facebook Comments