Estudo produzido pela escola de comunicação e jornalismo USC Annenberg, nos EUA, revelou dados preocupantes para a crítica de cinema. Os dados apontam que 82% das críticas dos 100 principais filmes de 2018 foram escritas por homens brancos. O estudo levou em consideração 19.559 textos agregados no site Rotten Tomatoes. As informações são do site da Variety.

Intitulada ‘Critic’s Choice?’a pesquisa ainda mostra que os homens escreveram 77,8% das críticas contra 22,2% das mulheres. Isso dá uma média de 3,5 críticos de cinema masculinos para cada representante feminina.

“Os próprios indivíduos que estão sintonizados com a sub-representação e a deturpação das mulheres na tela e atrás das câmeras são frequentemente deixados de fora das conversas e críticas. As equipes de publicidade, marketing e distribuição na produção cinematográfica têm a oportunidade de mudar isso rapidamente, aumentando o acesso e as oportunidades dadas às mulheres de cor como críticas de cinema”, declarou Dr. Smith, fundador e diretor da Annenberg Inclusion Initiative.

Os EUA contam com importantes críticas de cinema na atualidade, entre elas, Manohla Dargis (New York Times), Dana Stevens (Slate) e Allison Wilmore (BuzzFeed). Isso sem falar de Pauleen Kael, referência mundial do setor. Mesmo assim, o estudo da USC conclui que as vozes masculinas continuam prevalecendo dentro do segmento nos EUA.

No Brasil, o coletivo Elviras reúne mulheres críticas de cinema no Brasil. O Cine Set conta com cinco representantes femininas na equipe: Susy Freitas, Natasha Moura, Camila Henriques, Pâmela Eurídice e Rebeca Almeida.

Facebook Comments