Ambientado nos anos 80 durante o período de transformações sociais no Brasil e com a descoberta do vírus HIV, a produção amazonense “Até Que a Última Luz se Apague” será lançada nesta sexta-feira (20) em Manaus. Sessão do curta-metragem de 18 minutos está programada para começar às 19h no Teatro da Instalação, no Centro da capital. Entrada será gratuita.

Dirigido por Williams Ferry, curta-metragem rodado em Manaus no ano de 2013 traz a história da personagem Leka (Arnaldo Barreto) que decide se isolar do mundo até sua morte após descobrir ser portadora do vírus da Aids, e passa a viver em dejá-vus. Produção foi gravada no casarão onde funcionava a antiga casa noturna Clube Jet Set, na Rua 10 de Julho, Centro da capital amazonense.

“De tempos em tempos, a AIDS, ou o HIV volta a pautar a mídia internacional. Nos últimos dois anos, temos acompanhado a perda do medo, vendo de uma forma generalizada em se contaminar com o vírus, muito disso por causa do avanço das pesquisas para a cura desta doença e pela maior eficácia dos medicamentos. A AIDS hoje é uma doença banalizada e, com o filme, queremos voltar ao início disso tudo como forma de alerta e conscientização. O filme não tem o objetivo de ensinar ou passar alguma mensagem social. Trata-se apenas de um recorte construído baseado com fatos reais, para fins artísticos”, afirma o responsável pela direção de arte do projeto, Wallace Abreu.

“Até Que a Última Luz se Apague” estreou nacionalmente no 37º Festival Cine Guarnicê, em São Luís, no Maranhão. O filme venceu a categoria de Melhor Ator do evento pela atuação de Arnaldo Barreto.

SERVIÇO

O quê: Estreia de “Até Que a Última Luz se Apague”
Quando: 18/03 (sexta-feira), às 19h
Onde: Teatro da Instalação, Rua Fr. José dos Inocentes, Centro de Manaus
Quanto: Entrada gratuita

Facebook Comments