Kathryn Bigelow gosta mesmo de filmes de guerra. Depois dos premiados “Guerra ao Terror” e “A Hora Mais Escura”, a diretora vai comandar mais uma produção do gênero.

Dessa vez, o foco será na história de Bowe Bergdahl, soldado americano capturado, torturado e mantido como refém do Talibã durante os anos de 2009 e 2014. O drama dele somente terminou com a troca de prisioneiros detidos em Guantánamo. Ele abandonou a unidade militar dos EUA desiludido com a presença do país no Afeganistão.

Roteiro fica por conta de Mark Boal, parceiro habitual de Bigelow, enquanto a produção será de Megan Ellison.

Facebook Comments