Comemorando 40 anos neste ano, o Festival Guarnicê de Cinema, no Maranhão, divulgou a lista de selecionados nesta semana. E o Amazonas tem bons motivos para celebrar: o drama “O Tempo Passa”, de Diego Bauer, disputa na categoria de curtas-metragens nacionais. A produção da Artrupe Produção está ao lado de outras 17 produções de outros nove estados.

Em entrevista ao Cine Set, Diego Bauer não escondeu a felicidade pela indicação do filme para o festival maranhense. “Nossa, estou muito ansioso. Principalmente porque os filmes que estão selecionados são super interessantes, passaram nos principais festivais brasileiros. Então, vejo como uma chance fantástica de aprender, de ver o que está sendo visto nos principais festivais, além, claro, de uma chance incrível de ver como o filme vai ser visto por pessoas que não conhecem a cidade. Não faço ideia de como o filme vai ser recebido, então vou bem aberto”, disse.

“O Tempo Passa” é apenas o segundo curta-metragem da carreira de Diego Bauer como diretor – o primeiro foi “O Que Não Te Disse”. Segundo ele, a falta de dinheiro foi um desafio nos dois projetos, mas, considera que evoluiu como artista de um projeto para o outro. “Penso em filmes que desconfortem, então não posso pensar tanto no bem estar do público, mas sim em encontrar a maneira mais adequada de ser contundente naquilo que o filme propõe. Mas isso não é regra de nada. Num próximo trabalho posso fazer algo mais palatável sem problema nenhum”, disse, salientando que ainda há muito caminho para aprender na carreira.

Retrospecto positivo do Amazonas em Guarnicê

O Festival Guarnicê não é algo estranho para o cinema amazonense. Em 2014, Arnaldo Barreto venceu o prêmio de Melhor Ator pelo trabalho em “Até que a Última Luz se Apague”. Bauer considera que esta conquista contribuiu para abrir as portas para produção local no evento.

“Acho que é uma questão de tempo termos mais representantes em festivais nacionais. Temos produtos de diversos realizadores em produção, temos a mostra, temos artistas inteligentes, talentosos, conscientes do potencial que as nossas histórias possuem. Se tivermos uma participação maior na política municipal, e a volta do estado como parceiro da cultura, não tenho dúvida que podemos ser figura constante em festivais nacionais e internacionais”, afirma Bauer.

Prêmios

Selecionado para a Mostra do Cinema Amazonense de 2016, “O Tempo Passa” já rendeu prêmios para a Artrupe: Diego Bauer ganhou na categoria de Melhor Direção no Festival de Audiovisual de Belém – FAB 2016.

“O Tempo Passa” narra a trajetória de Jhone (Ítalo Rui), adolescente que mora com a mãe em um bairro da periferia de Manaus. Quando Ismael (Leonel Worton) começa um relacionamento com sua mãe e se torna uma figura presente na sua casa, a realidade de Jhone é alterada. O filme foi contemplado em 2014 pelo Edital do Audiovisual da Manauscult/Prefeitura de Manaus.

Facebook Comments