Tradicional evento do cinema nordestino, o Festival Guarnicê 2017, realizado no Maranhão, consagrou “Lamparina da Aurora” e “Para Ter Onde Ir”. Os dois filmes receberam quatro prêmios na noite de encerramento ocorrida no último sábado (9). O troféu principal, porém, acabou ficando com “Ridículos”, de Paula Lice, Rodrigo Luna e Ronei Jorge. As informações são do site Adoro Cinema.

Por “Para Ter Onde Ir”, Jorane Castro ganhou o prêmio de Melhor Direção, enquanto Buda Lira pelo trabalho “Lamparina da Aurora” foi o Melhor Ator do Guarnicê 2017. Conhecida por interpretar a Bebel da série da Globo “A Grande Família”, Guta Strasser recebeu a estatueta de Melhor Atriz por “O Tempo Feliz que Passou”.

O paulista “Demônia” dominou entre os curtas-metragens nacionais. A produção baseada em um meme de São Luiz ganhou como Melhor Filme da categoria, Direção com Cainan Baladez e Fernanda Chicolet, Ator com Henrique Schafer, Atriz com Fernanda Chicolet, Ator Coadjuvante com Vinícius de Oliveira e Melhor Roteiro. O amazonense “O Tempo Passa”, de Diego Bauer, ficou sem prêmios.

VEJA A LISTA DE GANHADORES:

Melhor longa: Ridículos, de Paula Lice, Rodrigo Luna e Ronei Jorge
Melhor direção: Jorane Castro, por Para Ter Onde Ir
Melhor atriz: Guta Stresser, por O Tempo Feliz que Passou
Melhor ator: Buda Lira, por Lamparina da Aurora
Melhor atriz coadjuvante: Keila Gentil, por Para Ter Onde Ir
Melhor ator coadjuvante: Antonio Saboia, por Lamparina da Aurora
Melhor roteiro: Paula Lice, Rodrigo Luna e Ronei Jorge, por Ridículos
Melhor direção de arte: Alunos da Escola Lume de Cinema, por Lamparina da Aurora
Melhor direção de fotografia: Frederico Machado, por Lamparina da Aurora
Melhor montagem/edição: Amanda Pontes e Michelline Helena, por Topofilia
Melhor trilha sonora original: Gang do Eletro, por Para Ter Onde Ir
Melhor desenho de som: Edson Secco, por Para Ter Onde Ir

Troféu Guarnicê – Curtas-metragens
Melhor curta nacional: Demônia – Melodrama em 3 Atos, de Cainan Baladez e Fernanda Chicolet
Melhor direção: Cainan Baladez e Fernanda Chicolet, por Demônia
Melhor ator: Henrique Schafer, por Demônia
Melhor atriz: Fernanda Chicolet, por Demônia
Melhor atriz coadjuvante: Julia Katharine, por Os Cuidados que se Tem com o Cuidado que os Outros Devem Ter Consigo Mesmos
Melhor ator coadjuvante: Vinícius de Oliveira, por Demônia
Melhor roteiro: Fernanda Chicolet, por Demônia
Melhor direção de fotografia: Alexandre Baxter, por O Quebra Cabeça de Tarik
Melhor montagem/edição: Irmãos Carvalho, por Boa Noite, Charles
Melhor trilha sonora original: Filipe Machado Junqueira e Thiago Ricarte, por Demônia
Melhor desenho de som: Ricardo Reis, por Quando os Dias Eram Eternos
Melhor direção de arte: Daniel Herthel, por O Quebra Cabeça de Tarik

Menções honrosas do júri
Ao projecionista José Luiz de Almeida
Ao curta Luiza, de Caio Baú

Júri Popular
Melhor longa: Lamparina da Aurora
Melhor curta: O Quebra Cabeça de Tarik
Melhor documentário maranhense: Timbuba – A Vida No Shopping, de Andriolli Araújo
Melhor curta maranhense: Traçado, de Arturo Sabóia

Mostra Maranhense
Prêmio Assembleia Legislativa do Maranhão Bernardo Almeida (Melhor ficção curta ou longa): Traçado, de Arturo Sabóia
Prêmio Assembleia Legislativa do Maranhão Mauro Bezerra (Melhor documentário): Timbuba – A Vida No Shopping, de Andriolli Araújo
Prêmio Assembleia Legislativa do Maranhão Erasmo Dias (Melhor produção maranhense escolhida por júri popular): Angústia, de Frederico Machado
Melhor direção: Arturo Sabóia, por Traçado
Melhor roteiro: Arturo Sabóia, por Traçado
Melhor ator: Jhonata Matos, por Traçado
Melhor atriz: Áurea Maranhão, por Carnavalha
Melhor direção de fotografia: Elden Canedo e Marcos Ponts, por Traçado
Melhor montagem/edição: Andre Garros, por Angústia
Melhor direção de arte: Áurea Maranhão, por Carnavalha

Prêmio da Associação Brasileira de Documentaristas – seção Maranhão
Troféu ABD de melhor filme da competição nacional: Lamparina da Aurora, de Frederico Machado
Menção honrosa nacional: O Tempo Feliz que Passou, de André da Costa Pinto
Troféu ABD de melhor filme da competição maranhense: Carnavalha, de Áurea Maranhão e Ramusyo Brasil
Menção honrosa maranhense: O Império de um Navegador, de Edson Fogaça

Facebook Comments