Cordisburgo ficou conhecida nacionalmente por ser a terra natal do escritor Guimarães Rosa. Recentemente, a cidade mineira, distante 96,9km em linha reta de Belo Horizonte, virou cenário de uma pentalogia de outra cria da terra, o diretor Marco Antônio Pereira. Com cinco Kikitos na estante pelos elogiados “A Retirada para um Coração Bruto” e “Teoria Sobre um Planeta Estranho”, o cineasta teve a honra de abrir os trabalhos da mostra competitiva de curtas-metragens do Festival de Gramado 2020 com o belo “4 Bilhões de Infinitos”. 

Homenagem ao lúdico e ao cinema, o curta de quase 15 minutos acompanha uma família pobre formada por uma mãe (Aparecida Gomes) e os dois filhos (Adalberto e Ana Júlia Gomes). Após a morte do patriarca, eles lutam para sobreviver em uma casa sem luz elétrica. Ao mesmo tempo, os irmãos seguem sonhadores e com desejos de um futuro melhor. 

Por mais que tudo o que cerca os personagens seja um prato cheio para um discurso sociopolítico direto e contestador tamanha a situação de miséria daquela família, Marco Antônio segue a linha dos filmes anteriores ao colocar o foco no naturalismo intimista daquelas pessoas. São as pequenas falas, os pequenos gestos, os olhares perdidos, os agradecimentos repletos de pureza e gratidão que catalisam e movem o universo de “4 Bilhões de Infinitos”.  

E é justamente daí que brota a riqueza do curta, pois, residem, simultaneamente, a melancolia proporcionada pela consciência da situação e a falta de perspectiva de avanços sociais reais em contraste com o afeto e a esperança de dias melhores, armas cruciais para se seguir adiante. Dentro deste cenário, “4 Bilhões de Infinitos” observa na arte, no lúdico e, consequentemente, no cinema, uma forma de resistência, um espaço de criação, imaginação e senso de coletividade. Como diz Adalberto, “televisão e celular é um negócio solitário; no cinema, a gente ri, chora e se diverte juntos”. 

Em um mundo cada diz mais individualizado, fechado em suas bolhas, em que até o cinema busca caminhos cada vez mais solitários de consumo, “4 Bilhões de Infinitos” demonstra com muita singeleza o quanto necessitamos uns dos outros para manter nossos sonhos e esperanças vivos e, quem sabe, mudar a chave de um mundo doente. 

‘Mulher Maravilha 1984’: DC regride com bomba vergonhosa

A história se repete, certo? Passamos a vida ouvindo esse ditado, e parece que é verdade mesmo. No panteão dos quadrinhos super-heróicos da DC Comics, Superman, Batman e Mulher Maravilha são conhecidos entre os fãs como “a trindade” da editora. São reconhecidamente os...

‘Soul’: brilhante animação sobre quem realmente somos

“Editor-chefe do Cine Set. Exerce o cargo de diretor de programas na TV Ufam. Formado em jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas com curso de pós-graduação na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo”.  Você encontra este texto na parte ‘Sobre o Autor’ desta...

‘O Céu da Meia-Noite’: George Clooney testa paciência em sci-fi sofrível

Galã charmoso dos moldes da Hollywood nos anos 1950, George Clooney construiu gradualmente uma trajetória para além deste rótulo. Depois de aprender com o fracasso de “Batman & Robin”, ele começou a selecionar melhor os projetos em que se meteria – até venceu o...

‘The Nest’: elegante jogo das aparências mistura drama e terror

Depois de surpreender com uma narrativa envolvente no longa de estreia em “Martha Marcy Mae Marlene”, Sean Durkin retorna nove anos depois com “The Nest” (“O Ninho”, em tradução literal). Acompanhado de atuações excelentes de Carrie Coon e Jude Law, ele traz o...

‘Let Them All Talk’: Soderbergh entre Bergman e Allen sem ser incisivo

'Galera, é o seguinte: estou pensando em fazer um filme todo gravado em um transatlântico. Vocês topam?’.  Se receber um convite destes seria tentador por si só, imagine vindo de Steven Soderbergh, diretor ganhador da Palma de Ouro do Festival de Cannes em 1989 por...

‘A Voz Suprema do Blues’: estado puro dos talentos de Viola Davis e Chadwick Boseman

"A Voz Suprema do Blues” reúne a mesma trinca de “Um Limite Entre Nós”: Viola Davis de protagonista em um filme produzido por Denzel Washington baseado em uma peça do dramaturgo August Wilson. Além dos nomes envolvidos, o projeto da Netflix guarda as qualidades – um...

‘First Cow’: uma lembrança sobre a necessidade da solidariedade

Não me surpreendo caso muitos perguntem os motivos de “First Cow” ser tão badalado e elogiado pela crítica internacional. Muito menos de uma possível insatisfação generalizada caso o longa dirigido, roteirizado e montado por Kelly Reichardt (“Certas Mulheres”) chegue...

‘À Luz do Sol’: potência de protagonistas ilumina a tela em documentário paraense

Documentário paraense selecionado para a mostra competitiva do Festival Olhar do Norte 2020, “À Luz do Sol” segue o caminho de produções como o amazonense “Maria”, de Elen Linth, e o longa alagoano “Cavalo”, da dupla Rafhael Barbosa e Werner Salles, marcados pela...

‘Raimundo Quintela – O Caçador Vira Porco’: Sherlock amazônico em aventura agradável

Misturar elementos da cultura pop e do cinema hollywoodiano com as lendas e crenças da Amazônia formam a base de “Raimundo Quintela – O Caçador Vira Porco”, curta-metragem paraense dirigido por Robson Fonseca. Vencedor de três categorias da mostra competitiva do...

‘O Som do Silêncio’: aflição e desespero de Riz Ahmed comovem em bom drama

A deficiência auditiva foi retratada nos cinemas com diferentes abordagens, mas, quase sempre a partir de uma situação já estabelecida. Em “O Milagre de Anne Sullivan” (1962), por exemplo, a professora interpretada pela vencedora do Oscar, Anne Bancroft, precisa...