Tanto em números quanto em popularidade, ‘Friends’ continua sendo uma das maiores séries na história da televisão mundial: se em 2004, a produção obteve o recorde de episódio final com maior público, 17 anos depois, um único episódio especial foi capaz de atrair massivamente o público para o novo streaming da HBO Max. 

Dentre boas piadas e um grande elenco, ‘Friends’ continuou como um grande sucesso por sua reconfortante proposta em apresentar “amigos que se tornam família”, conforme explica da criadora Marta Kauffman no especial. Por isso, foi apenas uma questão de tempo e logística para reunir os seis protagonistas e ser mais uma produção a entrar na moda dos remakes, reboots e continuações desnecessárias. 

Entretanto, ao invés dos criadores Kevin S. Bright, Marta Kauffman e David Crane escreverem novos roteiros para Rachel, Ross, Joey, Chandler, Monica e Phoebe bagunçando seus finais perfeitos, o reencontro foi para ver aqueles que deram vida a personagens tão carismáticos e amados: os atores Jennifer Aniston, David Schwimmer, Matt LeBlanc, Matthew Perry, Courteney Cox, Lisa Kudrow.  

Como fã, confesso que essa escolha não foi totalmente satisfatória, pois existe a curiosidade em saber como os personagens evoluíram desde 2004. Mas, ao mesmo tempo, é bem mais prático e lógico deixar ‘Friends’ como uma obra finalizada e apenas honrar seus feitos. Nesse aspecto, ‘Friends: The Reunion’ consegue reviver a popularidade da série, seus antigos cenários e momentos icônicos, e, embalada pela nostalgia, a produção de quase duas horas tem alguns acertos e erros dignos de nota:  

Acerto 1: O que foi ‘Friends’ 

Claro que “I´ll Be There For You” e a simples moldura amarela na porta roxa despertaria imediatamente o gatilho nostálgico em qualquer fã. Então é dessa forma que o especial decide começar: mostrando ao público e elenco principal as memórias visuais e sonoras mais aparentes de ‘Friends’ com os cenários sendo visitados por seus antigos protagonistas. Imediatamente, os atores recordam vários momentos das gravações em uma conversa descontraída e emocionada. Afinal, a reunião é na realidade uma experiência de reencontro entre o elenco e de contato com a antiga rotina de gravações. 

Assim, como quase um invasor, o espectador também se sente fazendo parte das mesmas emoções de revisitar o cenário e descobrir pequenas histórias nas falas do elenco. Esse sentimento de aproximação é ressaltado posteriormente com a participação de fãs de diversas partes do mundo (com pouquíssima participação da América Latina, fique registrado) falando sobre o sentimento que o seriado traz à tona em cada um. No final das contas a resposta é sempre muito parecida: ‘Friends’ continua sendo uma comfort série perfeita para rir e esquecer os problemas cotidianos, mas, ao mesmo tempo, é uma forma de refletir as relações da vida real e aproveitá-las ao máximo. 

Erro 1: Má administração do tempo 

Apesar de cumprirem um papel importante ao deixar o público respirar, os momentos que não são focados no elenco soam como uma grande enrolação. Sim, existem partes boas como os relatos de fãs, mas, algo como um desfile de alguns figurinos já citados é uma redundância visual tremenda e transmite a impressão de não existir mais nada a ser explorado pela série após tantos anos (cadê as curiosidades dos bastidores? A construção visual de cada personagem? Os maiores improvisos?), o que claramente não é o caso. 

 Acerto 2: Matthew Perry 

De todo elenco, Matthew Perry sempre foi apontado como um dos motivos para uma continuação ou reunião da série não ter ocorrido ainda devido a vida reclusa adotada por ele nos últimos anos. Isso porque no auge de ‘Friends’, Matthew sofreu com vício em Vicodin (sim, o mesmo remédio querido pelo protagonista de ‘House’), algo que lhe acarretou depressão e diversas recaídas no processo de reabilitação. Se tratando do ator e personagem masculino mais adorado por mim na série, é realmente doloroso saber que ‘Friends’ não foi uma experiência positiva para ele, por isso, é louvável ver Matthew novamente na televisão e ainda se propor a relembrar uma fase conturbada em sua vida. 

Logo, tudo acerca do ator tornou-se motivo de especulação e títulos de manchetes sobre o reencontro: suas falas, aparência e piadas, sendo um risco para a repercussão do especial ser apenas sobre seu retorno. De qualquer forma, a escolha por não esconder Matthew é positiva, assim como lhe dar espaço (ainda que pouco) para falar sobre as lembranças negativas na época da produção. Apesar de ser um personagem complexo, Chandler se encaixava no estereótipo do amigo piadista, e pela primeira vez Matthew conseguiu falar sobre a pressão negativa em estar nessa posição, em fazer suas piadas funcionarem. Sim, são momentos tristes ver o ator admitir que não lembra de várias cenas memoráveis da série, mas, ao mesmo tempo, é corajoso da produção mostrar ao público que mesmo o ator ter passado por problemas ele continua sendo a essência da série. 

Erro 2: Falta dos atores e excesso de convidados 

Se Matthew teve pouco tempo de tela, o que falar dos atores recorrentes na série? Janice, Gunther, Richard e os Geller. Personagens presentes em tantas temporadas ficaram limitados a participações especiais de seus intérpretes na reunião com pouco tempo até para cumprimentar o elenco principal. Mesmo não se tratando dos protagonistas, são parte de ‘Friends’ e têm lembranças sobre o seriado, as gravações e vivenciaram o auge da série. 

Ao final do reencontro esse é o erro que continua me irritando bastante, porque eu não quero ver celebridades aleatórias falando sobre os episódios ou cenas favoritas, eu quero ouvir de quem esteve há 27 anos atrás atuando na série. Tudo bem, entendo que existe uma necessidade de deixar a reunião mais acessível ao público geral, porém sua proposta já deixa claro ser algo feito para os fãs, então, não existe necessidade de colocar David Beckham, Justin Bieber, Malala Yousafzai e até mesmo o Kit Harington como convidados (por mais que a voz do Jon Snow sempre seja uma boa surpresa). 

 Acerto 3: Um ponto final? 

Sim, pode ser desapontador saber que as histórias de Rachel, Ross, Monica, Chandler, Phoebe e Joey não ganharão uma continuação mesmo com seus criadores e elenco disponíveis para trabalhar. Mas, como é frisado na própria reunião: para continuar ‘Friends’ seria preciso mexer numa história encerrada há muitos anos, algo que pode dar muito errado como ‘MIB: Internacional’ ou até dar certo como ‘Doutor Sono’. Aqui vale lembrar também que ‘Friends’ passa longe do politicamente correto conforme a atualização de conceitos e costumes atuais, então, muito das histórias e até personalidade dos personagens seriam modificados para caber na aceitação do público. Afinal, já é difícil aturar as piadas sexistas da série com a desculpa que é uma produção antiga, agora, imperdoável seria repetir as mesmas narrativas em pleno 2021. 

Sem arriscar, ‘Friends: The Reunion’ entrega aos fãs muita nostalgia e bastante fanservice, mas, deixa claro que uma continuação não faz parte dos planos de ninguém ali, e isso é um grande exemplo a ser seguido em Hollywood. Afinal, todos ganharam um bom cachê e agradaram ao público revivendo momentos marcantes, mas, não existe a necessidade em mexer em algo já encerrado há tantos anos atrás e que pode acabar sendo uma decepção. Agora é só seguir essa promessa à risca…  

Erro 3: Coragem 

Por fim, mesmo se tratando de uma reunião nostálgica, é importante notar a falta de conflito ou contraste na produção, para o seu próprio bem. Toda vez que algum ator se aproxima em falar de uma ferida, ou algo mais triste, isso é refreado, voltando a narrativa linear e positiva. Porém, nem mesmo a série sempre apresentou histórias positivas através de seus protagonistas, nem tudo arrancava risadas na época, existindo sim assuntos mais sérios e complexos tratados. 

Aqui eu não falo sobre explorar Matthew Perry, mas sim perguntar outras situações desagradáveis que a série gerou para o elenco, ou até mesmo a falta de contato entre os atores após o fim do seriado. A reunião é anunciada como um momento único entre o elenco após a série ser finalizada, é o reencontro entre pessoas que se consideravam família, mas aparentemente perderam contato como Matthew brinca (só que não) sobre ele nunca ter recebido ligação dos outros companheiros de elenco. 

— 

Basicamente, ‘Friends: The Reunion’ traz de volta o que a série tinha de melhor e pior: o brilhantismo da união entre amigos e a falta de comprometimento com questões mais sérias. É claro que mesmo com os incômodos, basta surgir mais uma cena do elenco fazendo a leitura de cenas marcantes para que os erros fiquem de lado. A reunião nem um pouco despretensiosa consegue fazer uma bela e merecida homenagem a seu elenco e criadores, sendo uma grande risada com um pouco de saudosas lágrimas, como ‘Friends’ não poderia deixar de ser.

HBO Max lança ‘Os Ausentes’, primeira série brasileira do streaming

Grande novidade do streaming no país em 2021, a HBO Max prepara a estreia da primeira série brasileira da plataforma. “Os Ausentes” traz a rotina de uma agência homônima especializada em investigar desaparecimentos. Criada pelo ex-policial Raul Fagnani (Erom...

Festival de Cannes 2021: 10 Filmes para Ficar de Olho

Chegou a hora do Festival de Cannes 2021: de 6 até 17 de julho, o foco do mundo do cinema estará na Riveira Francesa. Por isso, Caio Pimenta traz, agora, 10 filmes que disputam a Palma de Ouro para você ficar atento.  https://www.youtube.com/watch?v=OOpbBQQghTg...

‘Colônia’ resgata macabra história brasileira de pessoas abandonadas pela sociedade

O desejo de trazer uma história que nunca foi contada na ficção brasileira. Com esse sentimento, a equipe da série “Colônia” participou de uma coletiva de imprensa relatando as suas experiências durante a produção do projeto. A obra lançada no Canal Brasil retrata a...

‘Dont Look Back’, ‘Monterey Pop’, ‘101’: o legado de D. A. Pennebaker para o cinema – e para a música

https://open.spotify.com/album/0o1uFxZ1VTviqvNaYkTJek?si=Q1Okrf-AQ3uXPZ5Z67nEWQ&dl_branch=1 Poucos fãs de cinema, e menos ainda de música, parecem conhecer o nome de Donn Alan Pennebaker, o que é uma lástima. Como D. A., ele deu ao cinema alguns de seus momentos...

Em ‘Veneza’, Miguel Falabella defende a sensibilidade contra a barbárie

Resistência e a defesa da importância de se sonhar. Estes dois sentimentos dominaram a coletiva de imprensa online do filme “Veneza” com participação do Cine Set. Transmitida via YouTube, o evento contou com as presenças do diretor/roteirista do filme Miguel Falabella...

‘Faz de Conta que NY é uma Cidade’: um pequeno tesouro na Netflix

Muitos cineastas mais antigos, formados pela tela grande das salas de cinema, veem com maus olhos a ascensão da Netflix. Para esses nomes, que incluem até Steven Spielberg, defensor eloquente da tecnologia como forma de ampliar a experiência cinematográfica (e,...

‘A Voz Suprema do Blues’ e o legado do racismo na indústria musical

Um dos indicados ao Oscar 2021, A Voz Suprema do Blues, pode não estar entre os mais prestigiados da premiação (são só duas indicações nas categorias principais – Melhor Ator para Chadwick Boseman, em sua última e sublime aparição nas telas, e Atriz para Viola Davis,...

Oscar 2021: A Harmonia da Desigualdade em ‘Opera’

Intrigados. É assim que podemos descrever nosso sentimento ao terminar os oito minutos e meio do curta de animação Opera, indicado ao Oscar deste ano nessa categoria. Apostamos fortemente que este é superior aos seus concorrentes e com um alto índice de levar a...

Cine Set no Festival de Berlim 2021: a história do cinema brasileiro no evento

Ver essa foto no Instagram   Uma publicação compartilhada por Cine Set (@cineset) Se tem um evento que gosta do cinema brasileiro, este é a Berlinale. A primeira vez que o Brasil participou da Berlinale em 1953 com dois filmes na mostra competitiva de...

Cine Set no Festival de Berlim 2021: conheça os detalhes do evento alemão

Direto do sofá da minha casa, eu, Lucas Pistilli, correspondente internacional do Cine Set aqui na Europa, irei cobrir o Festival de Berlim 2021. A Berlinale é um dos maiores eventos cinematográficos do mundo e o primeiro da grande tríade - composta por ele, Cannes e...