O Cine PE 2017 virou motivo de polêmica: a edição 2017 foi adiada após sete diretores desistirem de exibir filmes selecionados para o evento. O protesto do grupo foi em relação ao anúncio das exibições de “Jardim das Aflições”, documentário sobre o pensador de direita, Olavo de Carvalho, e “Real: o plano por trás da História”, longa sobre a criação do Plano Real.

Os filmes desistentes são os seguintes: Abissal (CE), A menina só (SC), Baunilha (PE), Iluminadas (PE), Não me prometa nada (RJ), O silêncio da noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras (PE) e Vênus: Filó, a fadinha lésbica (MG). “Constatamos que a escolha de alguns filmes para esta edição favorece um discurso partidário alinhado à direita conservadora e grupos que compactuaram e financiaram o golpe ao Estado democrático de direito ocorrido no Brasil em 2016. Para nós, isso deixa claro o posicionamento desta edição, ao o qual não queremos estar atrelados”, declarou o grupo de diretores em comunicado à imprensa na quarta-feira (10).

No dia seguinte, o Cine PE decidiu por adiar o evento previsto para começar em 23 de maio. Em nota, a diretora do festival, Sandra Bandeira, negou qualquer tentativa de politização com a inclusão dos filmes questionados. Segundo ela, a necessidade de escolher novas produções para substituir os curtas e longas desistentes levou ao adiamento.

VEJA A NOTA DA DIRETORA DO CINE PE:

Cine PE 2017
Nota Oficial

A Direção do Cine PE, em função das manifestações contrárias à programação do evento, que proporcionaram a retirada de alguns dos filmes selecionados, dirige-se ao público em geral, para esclarecer os pontos e comunicar as seguintes decisões:

1. Que ao longo de 20 anos de realizações, que tornaram o Festival uma das referências nacionais do setor, todas suas programações, indistintamente, foram pautadas pelo respeito aos valores básicos da liberdade, quais sejam o direito de expressão, o respeito à pluralidade e o combate ao instrumento da censura;

2. Que, por isso mesmo, jamais houve quaisquer formas de politização das programações, pois uma simples pesquisa sobre as edições passadas, facilmente será revelado que o Festival sempre se pautou em mostrar tendências, linguagens, estéticas e ideologias, da forma mais coerente possível, por entender e evidenciar que o conceito da diversidade dever ser de todos e para todos;

3. Que apesar dessas manifestações se colocarem em tempo impróprio da pré-produção do evento, posto que a surpresa por essa represália, evidentemente, proporcionou um ônus fora do planejamento, torna-se cabível, pelo verdadeiro princípio democrático, respeitar-se as decisões tomadas;

4. Que essa situação implica na substituição dos títulos por outros que também fizeram suas inscrições de modo espontâneo, que estejam em ordem classificatória da Curadoria e que ainda se revelem dispostos a entenderem os valores que são a essência de quem faz arte e cultura – a liberdade de produzir e o sentimento de consideração pelas obras realizadas, na maioria das vezes, com enormes esforços;

5. Que essa adequação da situação à nova grade de programação, por razões técnicas e burocráticas, demanda por um tempo superior ao prazo do período de realização agendado, de tal modo que, pelo dever da prudência que sempre inspirou o Festival, será necessária postergar a execução do evento, cuja nova data será divulgada oportunamente;

6. Que, por fim, destacamos e enaltecemos o papel da Curadoria, a quem foi confiada a árdua missão do processo seletivo dos filmes, justo por ela reconhecer a importância do respeito à pluralidade, desde a criação à difusão, enquanto princípio basilar a ser perseguido, irrevogável e indistintamente, quaisquer que sejam os produtos artístico-culturais.

Recife, 11 de maio de 2017.

Sandra Maria Ramos Bertini Bandeira
Diretora do Cine PE

VEJA A NOTA DOS DIRETORES DOS FILMES DESISTENTES:

“10 de maio de 2017

Decidimos tornar pública a decisão, conjunta, de retirar nossas obras da seleção do XXI Cine PE Festival Audiovisual, a ser realizado entre os dia 23 e 29 de maio de 2017, na cidade de Recife. Apenas no dia 08 de maio, através de veículos de imprensa, tomamos conhecimento da grade completa dos filmes que foram selecionados para o festival.

Constatamos que a escolha de alguns filmes para esta edição favorece um discurso partidário alinhado à direita conservadora e grupos que compactuaram e financiaram o golpe ao Estado democrático de direito ocorrido no Brasil em 2016. Para nós, isso deixa claro o posicionamento desta edição, ao o qual não queremos estar atrelados.

Reconhecemos a importância do Cine PE Festival Audiovisual, do qual muitos de nós já participaram em edições anteriores. Esperamos poder participar de edições futuras e mais conscientes, condizentes com sua grandeza histórica e relevância para a formação de público do cinema brasileiro.

Assinam os representantes dos filmes abaixo listados:

“Abissal” – Ceará
“A Menina Só” – Santa Catarina
“Baunilha” – Pernambuco
“Iluminadas” – Pernambuco
“Não me Prometa Nada” – Rio de Janeiro
“O silêncio da Noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras” – Pernambuco
“Vênus – Filó a fadinha lésbica”  – Minas Gerais”

Facebook Comments