Com o fim do mandato de Cherly Boone Isaacs à frente da Academia de Ciências Cinematográficas de Hollywood em julho deste ano, a corrida para ocupar o cargo já começou a movimentar a indústria americana. Indicada duas vezes ao Oscar, Laura Dern é uma das cotadas para assumir o posto. A atriz iniciou conversas em um clima de campanha junto a membros do cinema americano. As informações são do site da Variety.

Em julho passado, Laura Dern entrou para o conselho da Academia. A atriz traz desde o berço uma forte ligação com a indústria: ela é filha dos atores Bruce Dern e Diane Ladd. Caso seja eleita, Dern seria a quarta mulher a ocupar o cargo juntando-se a Bette Davis e Fay Kanin, além de Isaacs.

Ajuda na campanha de Laura Dern o fato dela ser muito próximo ao CEO da Academia, Dawn Huston. Ele, aliás, já defende que a atriz se candidate ao posto. Segundo a Variety, o diretor Phil Alden Robinson, o diretor de casting David Rubin, o figurinista Jeffrey Kurland e um dos líderes do estúdio Lionsgate, Rob Friedman, também estão cotados para o pleito.

O prazo para submeter as candidaturas ao conselho da Academia termina nesta sexta-feira (28). A primeira avaliação dos candidatos acontece entre 15 a 19 de maio, enquanto a segunda etapa será de 19 a 23 de junho. Com todos os nomes da disputa definidos, Hollywood elege o próximo presidente da Academia no mês de julho.

Laura Dern estreou nos cinemas em 1973 com “Sob o Signo da Vingança”. Entre os principais trabalhos da carreira estão “Veludo Azul”, “Coração Selvagem”, “Jurassic Park”, “Ruth em Questão”, “Império dos Sonhos” e “A Culpa é das Estrelas”. A atriz foi indicada ao Oscar pelos desempenhos em “As Noites de Rose” e “Livre”.

Junto com o desafio de apagar a imagem arranhada após o fiasco da última edição com a troca de vencedores na categoria de Melhor Filme, o próximo ocupante do cargo de presidente da Academia terá que continuar com o processo de inclusão social na instituição. Promovida para alertar sobre a ausência de atores negros por dois anos consecutivos das indicações ao Oscar, a campanha #Oscarsowhite colocou uma alcunha de racista em Hollywood. A edição deste ano do maior evento do cinema americano tentou amenizar isso com as vitórias de “Moonlight – Sob a Luz do Luar”, Viola Davis e Mahershala Ali, além das indicações de “Estrelas Além do Tempo” e “Um Limite Entre Nós”.

Facebook Comments