Marco do cinema pernambucano, “Vendo/Ouvindo”, de 1972, teve uma exibição histórica na noite deste domingo (25) na  12ª Mostra de Cinema de Ouro Preto (Minas Gerais). A produção dirigida por Lula Gonzaga em parceria com Fernando Spencer e Firmo Neto foi a primeira animação do Estado nordestino e um dos primeiros filmes do ciclo do Super-8 em Pernambuco.

“Vendo/Ouvindo” passou mais de 40 anos no acervo pessoal do diretor sem exibições públicas. O processo de digitalização foi coordenado por André Dib (pesquisador e crítico) e Tiago Delácio (realizador e filho de Lula Gonzaga) e incluiu eliminação de riscos, restauração de som e correção de cor no sistema Da Vinci.

De acordo com o Lula Gonzaga, Vendo/Ouvindo” é uma crítica simbólica à censura imposta pelo regime militar. “O cara podia ver e ouvir, mas não podia falar. Tem gente que entendeu, tem gente que não entendeu. Disseram que era um filme ‘udigrudi’, mas funcionou bem”, diz Lula. “É uma animação simples e direta, com todas as características de um filme underground”, escreveu o pesquisador e animador Marcos Buccini, no artigo A Saga de Lula Gonzaga: pioneiro da animação pernambucana. “Sua natureza experimental começa pelo processo de criação: material reaproveitado, poucos recursos e pouco tempo de feitura; passa pela animação e grafismos minimalistas; e chega ao resultado que preza muito mais pela ideia de contestação do que pelo primor técnico”.

Facebook Comments