Roteiristas dos estados da Amazônia Legal terão a oportunidade de desenvolverem trabalhos e técnicas do ofício em 2019. Premiado no Edital Prêmio Conexões Culturais, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), o ‘Manaó Cinelab’ deve ser realizado no segundo semestre do ano que vem com o intuito de ser um ambiente de troca e estudo em todas as fases do roteiro.

Segundo a idealizadora do projeto, Flávia Abtibol, o evento terá quatro dias de imersão com atividades individuais e dinâmicas coletivas. Os roteiristas Iana Cossoy Paro (“Eu Te Levo”) e Fábio Baldo (“Antes o Tempo Não Acabava”) serão os consultores. Haverá também uma masterclass com convidado especial.

Para concorrer às vagas, os profissionais deverão enviar roteiros com temática regional. Serão entre 10 a 15 vagas com reserva de vagas para roteiristas mulheres (trans e cis), negros e indígenas. Uma comissão formada por Paro, Baldo e outros dois convidados ainda não definidos vão fazer a escolha dos trabalhos. De acordo com Flávia Abtibol, as inscrições serão abertas no início do ano com um prazo largo para que os profissionais tenham tempo para desenvolver as propostas.

Flávia Abtibol é a idealizadora do projeto ‘Manaó Cinelab’

“Selecionaremos histórias que proponham novos olhares sobre as expressões amazônicas para que possam emergir nas telas realidades mais complexas, indo além de estereótipos regionais costumeiramente reforçados por realizadores de fora que vêm filmar na região”, disse Abtibol.

Para a diretora de curtas como “Dom Kimura” e “Strip Solidão”, a carência de bons cursos de audiovisual na região atrapalha o desenvolvimento das produções locais. “Acredito que um dos maiores gargalos para o profissional da área audiovisual na Amazônia seja a falta de oportunidades de formação e de aprimoramento de seus trabalhos. Tudo é muito recente e muito sazonal aqui na região. Se você quer continuar se atualizando, precisa ir pra São Paulo, Rio de Janeiro, Cuba… São longas distâncias e com grandes custos para profissionais que não ainda não estão inseridos em um mercado dinâmico. O Manaó Cinelab vem suprir uma parte dessa demanda e esperamos que esse incentivo resulte em filmes mais competitivos no mercado e mais presentes nos festivais pelo Brasil e pelo mundo”, completa.

Facebook Comments