A Disney demitiu o cineasta James Gunn da direção da série de filmes “Guardiões da Galáxia”, baseada nos quadrinhos da Marvel, nesta sexta-feira (20). A atitude foi motivada por comentários antigos feitos pelo diretor no Twitter sobre pedofilia e estupro, segundo o site Deadline.

Gunn se tornou alvo de muitas críticas nas redes sociais depois que publicações antigas suas voltaram à tona. “Eu gosto quando menininhos me tocam no meu lugar esquisito”, tuitou o diretor segundo a emissora americana Fox News. Os tuítes foram apagados.

“As atitudes e declarações ofensivas descobridas no Twitter de James são indefensáveis e inconsistentes com os valores do estúdio, e nós rompemos nossa relação de negócios com ele”, afirmou em nota o presidente da Walt Disney Studios, Alan Horn.

O diretor chegou a pedir desculpas pelas declarações e afirmou que é uma pessoa diferente. “Eu me via como um provocador, fazendo filmes e contando piadas que eram ultrajantes e tabu”, escreveu Gunn.

“No passado, eu me desculpei pelo meu humor que machucou pessoas. Realmente sinto muito e fui sincero em cada palavra das minhas desculpas.”

Gunn escreveu e dirigiu os dois primeiros “Guadiões da Galáxia”, cujo sucesso nas bilheterias foi uma grande surpresa, e estava confirmado para repetir seu papel na terceira produção, com estreia prevista para 2020.

do site G1

Facebook Comments