Um docudrama que explora a autoficção até às últimas consequências, “Miguel’s War” é uma revelação. Com estilo de sobra e uma abordagem corajosa, o longa da cineasta libanesa Eliane Raheb foi um dos melhores do Festival de Berlim deste ano, onde foi exibido como parte da mostra Panorama. O filme tem tudo para fazer sucesso em festivais de temáticas LGBTQ, mas sua potente história o faz necessário para muito além dessa audiência. 
 
O Miguel do título é Michel Jelelaty, intérprete e tradutor libanês que Raheb conheceu na Espanha durante a divulgação de seu último filme. Homossexual buscando escapar da intolerância de seu país, bem como da guerra que o assolava, ele foge para a Espanha pós-franquista, onde se reinventa como Miguel Alonso e se joga numa vida de excessos almodavarianos. O passado, no entanto, se recusa a ficar para trás e o encontro com a diretora lhe dá a chance de revisitá-lo. 
 
A obra de Raheb é bastante focada na Guerra do Líbano – um conflito devastador ocorrido entre 1975 e 1990 que inspira muito do cinema atualmente feito por seus conterrâneos. Através de Miguel, no entanto, ela encontra uma forma de colocá-la como pano de fundo e explorar a capacidade de alguém de inventar uma nova vida para si em meio a ela – bem como o custo disso.

ATRITO DE VERSÕES

A realidade multifacetada de uma história como a de Miguel encontra uma realização arrojada que faz uso de diversos elementos. Raheb inclui animações, colagens, gravuras, montagens e reencenações para fazer a vida dupla de Miguel surgir pulsante em cena. A diretora aparece em cena guiando “Miguel’s War” junto com seu personagem, abraçando suas falhas, mas, confrontando seus relatos. 
 
Ao se reinventar como Miguel, Michel confessa que almeja apagar toda a sua vida pregressa e tudo que o ligava ao Líbano. Quando ele regressa ao país pela primeira vez em décadas, a câmera de Raheb é certeira ao mostrar que, para o bem ou para o mal, certas coisas permanecem dentro das pessoas para sempre – um tema que percorre todo o filme. 
 
Miguel – engraçado, inteligente e com mais de 50 anos muito bem vividos nas costas – é um dos grandes narradores não confiáveis do cinema recente. Várias de suas afirmações são postas em cheque por Raheb, várias de suas memórias beiram a invenção. Ele exagera em pontos e esconde em outros, em plena consciência – e exercício – da edição de sua própria vida. De certa forma, ele parecia já estar vivendo seu filme muito antes da cineasta entrar em sua vida. 
 
É nesse atrito de versões que “Miguel’s War” encontra seu material mais rico. Através dele, é como se o público assiste em tempo real alguém que passou boa parte da vida se anulando e odiando revertendo o processo e procurando se encontrar. Há muita tentativa e erro nessa busca – algo que a produção não faz nenhuma questão de esconder – mas também há uma beleza inerente nela. 

‘As Verdades’: elenco hábil ancora thriller competente

Está confirmado: é o ano do thriller policial no cinema brasileiro. Só no primeiro semestre de 2022, tivemos "Águas Selvagens", "A Suspeita" e agora este "As Verdades", sem dúvidas o mais regular entre todos dessa leva. A trama tem início com a volta do delegado Josué...

‘X: A Marca da Morte’: slasher entre a subversão e a tradição

“Grupo de jovens vai a um lugar isolado e começa a ser morto, um a um, por um assassino misterioso”. Quantos filmes já não vimos usando essa fórmula, não é mesmo? É a base do subgênero slasher, aquele filme de terror de matança, cujo caso mais popular é o bom e velho...

Olhar de Cinema 2022: ‘A Censora’, de Peter Kerekes

Dirigido por Peter Kerekes, “A Censora” aborda o dia a dia de uma penitenciária feminina em Odessa, cidade ucraniana. Misturando documentário e ficção, o filme tem como personagem principal Lesya (Maryna Klimova), jovem que recentemente deu à luz ao primeiro filho,...

Olhar de Cinema 2022: ‘O Trio em Mi Bemol’, de Rita Azevedo Gomes

Um casal de ex-amantes discute o passado e futuro de sua relação. A amizade e companheirismo que restaram sustentam os incômodos e ciúmes que surgiram? Um diretor em crise com seu novo filme discute com seus atores quais rumos a obra deve tomar. Eles serão capazes de...

‘Spiderhead’: algoritmo da Netflix a todo vapor com filme esquecível

“Spiderhead” é o novo filme da Netflix e, do ponto de vista de marketing, possui elementos ótimos para a equipe de “Promos” do streaming vender aos seus assinantes: dois nomes em alta graças ao sucesso de “Top Gun: Maverick”, o ator Miles Teller e o diretor Joseph...

Olhar de Cinema 2022: ‘Garotos Ingleses’, de Marcus Curvelo

É preciso coragem para utilizar o humor para tratar de temas violentos. Primeiro porque a comédia em si é um gênero geralmente visto (de forma equivocada) com um pé atrás, fazendo-se necessário um uso exemplar de suas possibilidades. Segundo, porque a tentativa de...

‘Arremessando Alto’: carta de amor de Adam Sandler ao basquete

A parceria Adam Sandler/Netflix permanece intacta. Desde que o ator e comediante assinou contrato com a plataforma, a produtora Happy Madison concebeu uma considerável safra de comédias com boa audiência no streaming. “Arremessando Alto” é a aposta da vez.  No papel...

‘RRR’: épico indiano dá aulas em extravagância fílmica

Já virou certo clichê entre a parcela ocidental da crítica cinematográfica a comparação entre “RRR” e os blockbusters hollywoodianos. Hollywood, dizem os críticos, deveria voltar sua atenção às terras ao leste do globo, porque “RRR” os deixa no chinelo em termos de...

‘Aline – A Voz do Amor’: tudo o que ‘Bohemian Rhapsody’ não é

“Um ficção livremente inspirada na vida de Céline Dion”. A história da cantora imortalizada por ser a intérprete de "My Heart Will Go On", a canção-tema de "Titanic", chega aos cinemas pelas mãos e na figura de Valérie Lemecier, também canadense como a sua retratada....

‘Amigo Secreto’: a força do jornalismo investigativo contra os abusos da Lava-Jato

Uma frase convencional é de que toda arte é política. Embora seja um clichê para produtores culturais progressistas, é preciso concordar quando a mente por trás do projeto é Maria Augusta Ramos. Responsável por produções como “O Processo” e “Juízo”, a cineasta expõe...