Seguindo o estilo de ‘O Relatório’, a Amazon apresenta mais um longa baseado em fatos totalmente protocolar e com pouca originalidade. ‘Seberg Contra Todos’ até possui um forte e atrativo argumento, entretanto, a condução exagera em momentos óbvios e personagens superficiais. E, neste caso, nem todos os esforços de Kristen Stewart como protagonista conseguem retratar a história de forma interessante ao público.

“Seberg Contra Todos” reproduz o envolvimento de Jean Seberg (Kristen Stewart) com grupos ativistas de direitos civis na década de 1960. Como um dos rostos símbolos da Nouvelle Vague francesa, a atriz do clássico “Acossado”, de Jean-Luc Godard, desembarca nos Estados Unidos no auge de sua popularidade sendo cercada por polêmicas devido ao seu apoio a Hakim Jamal (Anthony Mackie) e os Panteras Negras. Logo, ela passa a ser monitorada pelo FBI por supostamente ajudar o financiamento dos ativistas, situação que interfere diretamente em sua vida pessoal e profissional.

Com uma história extremamente rica em mãos, o diretor Benedict Andrews (“Una”) adota vários caminhos óbvios ao mostrar a vida de Seberg. Para começar, pouco é mostrado sobre a carreira da atriz e sua importância no cinema francês. Tal oportunidade poderia inclusive render uma bela homenagem a Nouvelle Vague, mesmo não sendo o principal foco da produção.

Já no que seria o forte do filme, ou seja, o ativismo de Seberg, a protagonista é sufocada por diversos personagens clichês. Além de seu affair com Jamal, a existência do agente Jack Solomon (Jack O’Connell) extremamente dividido entre a ética e o dever de seu trabalho somente mostram a falta de originalidade em lidar com essa história.

Tanto no caso de Jamal quando de Solomon, suas respectivas esposas aparecem na trama primordialmente para demonstrar os ciúmes que sentem em relação a Seberg. Desta forma, Margaret Qualley e Zazie Beetz ficam restritas a posição de figurante de luxo.

Os contrapontos positivos

Se, por um lado, o longa falha em retratar a carreira e ativismo de Seberg, por outro, ele acerta ao focar na fragilidade mental da personagem após ser perseguida pelo FBI. Benedict Andrews realmente opta por seguir a protagonista como ponto central da narrativa e mostrar que, mesmo sendo uma figura pública, ela não está imune ao controle governamental.

Para coroar esta escolha, Kristen entrega uma grande atuação, sendo o principal mérito de “Seberg Contra Todos” já que ela consegue levar a história para frente quando aparentemente tudo já foi visto. Apesar deste não ser um glorioso longa em sua carreira, é um ótimo passo em sua consolidação como atriz.

No mais, a produção apresenta uma direção de fotografia que não é o melhor trabalho de Rachel Morrison (“Mudbound”) e fraca trilha sonora como outros pontos negativos. Mesmo com boas intenções e mais uma ótima atuação de Stewart, ‘Seberg Contra Todos’ fica refém de seu roteiro demasiadamente tradicional, parecendo a intenção do que seria um grande filme.

‘Flee’: a resiliência de um refugiado afegão em animação brilhante

A vida de um refugiado é o foco de "Flee", filme exibido no Festival de Londres deste ano depois de premiadas passagens nos festivais de Sundance (onde estreou) e Annecy. A produção norueguesa é uma tocante história de sobrevivência que transforma um passado...

‘Batman: O Cavaleiro das Trevas’, o filme que mudou Hollywood

Em 2008, dois filmes mudaram os rumos de Hollywood. Foi o ano em que o cinema de super-heróis passou para o próximo nível e espectadores pelo mundo todo sentiram esse abalo sísmico. O Marvel Studios surgiu com Homem de Ferro, um espetáculo divertido, ancorado por...

‘After the Winter’: drama imperfeito sobre amizades e os novos rumos de um país

"After the Winter", longa de estreia do cineasta Ivan Bakrač, é uma ode à amizade e ao amadurecimento. A co-produção Montenegro-Sérvia-Croácia, que teve sua première mundial na seção Leste do Oeste do Festival Internacional de Cinema de Karlovy Vary deste ano, retrata...

‘Batman Begins’ e o renascimento do Homem-Morcego

“Por que caímos? Para aprender a nos levantar”. Essa frase é dita algumas vezes pelos personagens de Batman Begins, inclusive pelo pai de Bruce Wayne. Ela se aplica dentro da história, mas também é possível enxergar aí um comentário sutil a respeito da franquia Batman...

‘O Marinheiro das Montanhas’: Ainouz em viagem intimista e modesta

"O Marinheiro das Montanhas", novo filme de Karim Aïnouz, é uma mistura de diário de viagem e tributo familiar que leva o espectador para o coração da Argélia - e do diretor também. O documentário, exibido na seção Horizontes do Festival Internacional de Cinema de...

‘O Espião Inglês’: cumpre missão mesmo sem inovar

Filmes de espionagem quase sempre ostentam um ar noir, como uma ode aos filmes antigos da Era de Ouro de Hollywood. Com clima denso, a tensão toma conta, as intrigas são o plot principal nesses enredos frios e sem espaço para o humor e, via de regra, quase sempre...

‘Mirrors in the Dark’: drama de demasiados passos em falso

Uma dançarina à beira do abismo é o foco de "Mirrors in the Dark", filme tcheco que teve sua estreia mundial no Festival Internacional de Cinema de Karlovy Vary deste ano. O longa de estreia de Šimon Holý, exibido na mostra Leste do Oeste do evento, capricha no visual...

‘The Card Counter’: Oscar Isaac simboliza a paranoia de um país

“The Card Counter”, novo filme do diretor Paul Schrader (roteirista de clássicos como “Taxi Driver” e “Touro Indomável”), possui certas semelhanças com seu último filme, “No coração da escuridão”. Ambos partem do estudo sobre um personagem masculino que se percebe...

‘Nö’: anticomédia romântica dos dilemas da geração millenium

O medo do fracasso, as pressões contemporâneas e as estruturas sociais colocam uma parede no meio de um casal em "Nö", nova produção alemã que teve sua estreia mundial no Festival Internacional de Cinema de Karlovy Vary deste ano. Premiado com o Globo de Cristal de...

‘O Culpado’: Jake Gyllenhaal caricato em remake desnecessário

O cinema é uma arte que permite constante reinvenção. E isso facilita a compreensão da prática comum de Hollywood que perdura até os dias de hoje. É natural vermos a indústria norte-americana reexplorar a ideia de uma produção audiovisual de outros países, seja ela...