Marcando mais uma parceria entre Kumail Nanjiani (“Doentes de Amor”) e o diretor Michael Showalter, ‘Um Crime Para Dois’ torna-se mais uma comédia mediana no currículo de ambos. Apesar de Najiani fazer um excelente trabalho ao lado de Issa Rae, a história batida – basicamente copiada de ‘Uma Noite Fora de Série’ – não é suficiente para tornar o filme uma grande comédia, mas sim um bom candidato a guilty pleasure. 

O longa apresenta a crise no relacionamento do casal Leilani (Rae) e Jibran (Nanjiani). Quando ambos decidem seguir caminhos separados, um assassinato os une para solucionar o crime, salvar seus nomes e a relação dos dois. 

Como a trama voltada unicamente em desenvolver o casal protagonista, sem outros personagens relevantes, Leilani e Jibran possuem uma apresentação exemplar. Entre discussões e piadas do casal, conhecemos suas profissões e outras características de forma prática e dinâmica. Afinal, o público invade uma relação que já está acontecendo há anos e fica a par de suas problemáticas facilmente, como se tivesse vivido também todo o desgaste na relação. 

Além do roteiro facilitar esta familiarização com diálogos práticos e um bom alívio cômico, a química entre Issa Era e Nanjiani é o elemento essencial para que isto dê certo. Ambos conseguem dar toda vivacidade para um término de relacionamento e alternar entre esses momentos mais sérios e as piadas. 

Defeitos escondidos 

Falando do humor, este claramente marca presença, apesar de nem sempre pontuar. Existem boas piadas e ótimos momentos criados unicamente para serem aproveitados com este fim – principal exemplo disto é a orgia mascarada como referência a ‘De Olhos Bem Fechados’. Entretanto, como qualquer comédia, ‘Um Crime Para Dois’ perde a mão e exagera alongando algumas piadas que não tinham graça desde seu início. 

Além disso, a motivação para a trama é uma história já conhecida que o roteiro não se dá o trabalho de criar algo novo nem mesmo em seu desfecho. As reviravoltas são previsíveis e só fazem sentido pelo humor envolvido nas situações, ou seja, apesar do filme envolver um mistério sobre o assassinato, sua narrativa não é nada intrigante e fica totalmente omitida pela química do casal. 

No geral, ‘Um Crime Para Dois’ é um ótimo passatempo, um filme curto para ser aproveitado de forma despretensiosa pelo humor prometido. É claro que os inconvenientes e furos na história desanimam, porém, com uma dupla de atores tão competente, sempre pode-se tentar esquecer os problemas na trama. 

CRÍTICA | ‘Back to Black’: desserviço à imagem de Amy Winehouse

Já na época em que foi anunciada a morte da cantora britânica Amy Winehouse (1983-2011), se falava em um filme sobre ela, tamanho o frenesi midiático que essa artista despertou no mundo neste começo do século XXI. Agora o filme finalmente chegou às telas e... bem, Amy...

CRÍTICA | ‘Fúria Primitiva’: um inevitável sub-John Wick

Independente se você gosta ou não da John Wick, hoje qualquer filme de ação contemporâneo que se preze tem como principal parâmetro a saga estrelada por Keanu Reeves. Mais da metade dos trabalhos lançados nos últimos anos no gênero como um todo seguem a cartilha da...

Crítica | ‘Foram Os Sussurros que Me Mataram’: Tuoto mistura novela das 20h com Lynch em filme inusitado

"Os erros ou excessos na administração do mundo das imagens produzem consequências políticas imediatas". Esse é o tipo de tagarelice canastrona pretensiosa que talvez encontrássemos numa review de Arthur Tuoto – e que não surpreende, portanto, que dê as caras neste...

Crítica | ‘Planeta dos Macacos – O Reinado’: filme mantém marca pessimista da série

De certa forma, a franquia Planeta dos Macacos é perfeita para os nossos tempos: vivemos em um mundo com guerras, desastres climáticos e pandemias. Diante disso, imaginar que a raça humana seja extinta ou que perca o domínio sobre a Terra não parece assim tão distante...

Crítica | ‘Vermelho Monet’ – entre o fazer artístico e o desejo

Há uma plasticidade visual que conduz todo o trabalho de Halder Gomes (“Cine Holliúdy”) em “Vermelho Monet”. O filme protagonizado por Chico Diaz, Maria Fernanda Cândido e Samantha Müller nos conduz pelo submundo do mercado de artes plásticas apresentando um visual...

Crítica | ‘Transe’: o velho espetáculo da juventude progressista classe A

Pode ser tentador para o público, diante da repercussão memética negativa que o trailer de “Transe” recebeu, ir ao cinema com o intuito de chutar cachorro morto. Os que compram seus ingressos planejando tiradas mordazes para o final da sessão irão se decepcionar. Não...

Crítica | ‘Imaculada’: Sydney Sweeny sobra em terror indeciso

Na história do cinema, terror e religião sempre caminharam de mãos dadas por mais que isso pareça contraditório. O fato de termos a batalha do bem e do mal interligada pelo maior medo humano - a morte - permitiu que a religião com seus dogmas e valores fosse...

Crítica | ‘Abigail’: montanha-russa vampírica divertida e esquecível

Desde que chamaram a atenção com o divertido Casamento Sangrento em 2019, a dupla de diretores Matt Bettinelli-Olpin e Tyler Gillett vem sedimentando uma carreira cinematográfica que mescla o terror sangrento do slasher movie com a sátira social cômica para...

Crítica | ‘O Dublê’ – cinema de piscadela funciona desta vez

David Leitch: sintoma do irritante filão contemporâneo do cinema de piscadela, espertinho, de piadinhas meta e afins. A novidade no seu caso são as doses nada homeopáticas de humor adolescente masculino. Dê uma olhada em sua filmografia e você entenderá do que falo:...

‘Rivais’: a partida debochada e sensual de Luca Guadagnino

Luca Guadagnino dá o recado nos primeiros segundos de “Rivais”: cada gota de suor, cada cicatriz, cada olhar e cada feixe de luz carregam bem mais do que aparentam. O que parece uma partida qualquer entre um dos melhores tenistas do mundo e outro que não consegue...