Mais um nome forte do cinema mundial se voltou contra Woody Allen. Ganhador do Oscar por “O Discurso do Rei”, Colin Firth afirmou que pretende não fazer mais filmes com o diretor novaiorquino. “Não vou trabalhar mais com ele novamente”, declarou para o jornal inglês The Guardian. Os dois fizeram juntos “Magia ao Luar”, em 2014. As informações são do site da Variety.

O ator se junta a nomes como Rebecca Hall, Greta Gerwig, Mia Sorvino, Rachel Brosnahan e Timothée Chalamet que também afirmaram se arrepender de atuar em filmes de Woody Allen. No caso do jovem protagonista de “Me Chame Pelo Seu Nome”, ele decidiu doar o cachê pago em “A Rainy Day in New York” a “Time´s Up” e outras três instituições solidárias de Hollywood. Apenas Alec Baldwin partiu em defesa do cineasta nos últimos dias.

Woody Allen é acusado por Dylan Farrow de abuso sexual quando ela tinha 7 anos de idade. A vítima é filha adotiva de Mia Farrow com que o diretor teve um relacionamento com término conturbado no final dos anos 1990. Ele nega ter cometido o crime. A denúncia voltou a ganhar mais força com os escândalos envolvendo nomes como Harvey Weinstein, Kevin Spacey e Dustin Hoffman, além da ascensão do movimento feminista em Hollywood.

Facebook Comments