O compositor James Horner, que ganhou dois Oscars pela trilha sonora de “Titanic” e também foi responsável pelas músicas de outros sucessos como “Avatar” e “Coração Valente”, desapareceu após acidente aéreo. Seu avião caiu nesta segunda-feira (22) na Califórnia, nos Estados Unidos.

Os rumores sobre a possível morte de Horner, de 61 anos, se multiplicaram durante a madrugada desta terça (23), após a confirmação de que a aeronave acidentada pertencia ao compositor, mas as autoridades locais ainda não confirmaram seu falecimento.

A publicação “The Hollywood Reporter” citou uma mensagem postada no Facebook pela assistente pessoal de Horner, Sylvia Patrycja, que relatava a morte do artista. “Perdemos uma pessoa maravilhosa, com um coração enorme e um talento incrível. Morreu fazendo o que amava. Obrigado por todo seu apoio”, escreveu Patrycja na rede social, segundo a publicação.

A revista “Variety” também informou que ele morreu.

“O brilhante compositor James Horner, amigo e colaborador em sete filmes, faleceu tragicamente em um acidente de avião. Meu coração sofre por seus parentes”, escreveu no Twitter o cineasta Ron Howard.

No entanto, o advogado de Horner, Jay Cooper, disse não poder confirmar se era Horner quem estava pilotando o avião, já que o premiado compositor possui várias aeronaves. “Não tivemos nenhuma notícia dele desde o acidente”, disse Cooper à rede de televisão “CNN”.

O pequeno avião caiu perto do Bosque Nacional de Los Padres, 96 km ao norte da cidade de Santa Bárbara, na Califórnia.

A Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA, sigla em inglês) confirmou em comunicado que a aeronave era um monomotor S312 Tucano e que o piloto morreu no acidente, mas indicou que as autoridades locais serão as responsáveis por identificar a vítima.

Ao longo de sua carreira, Horner recebeu dez indicações ao Oscar e ganhou dois pela trilha sonora de “Titanic”, em 1997, e pela canção desse filme, “My Heart Will Go On”, interpretada pela canadense Céline Dion. Ele também ganhou indicações pelas composições de “Aliens: O Resgate”, “Apollo 13”, “Uma Mente Brilhante”, “Avatar”, “Coração Valente”, “Field of Dreams” e “Casa de Areia e Névoa”, além da canção “Somewhere Out There”, do filme infantil “Fievel – Um Conto Americano”.

Entre as mais de 100 trilhas que compôs também estão sucessos como “A Máscara do Zorro”, “Lendas da Paixão”, “Gasparzinho: o Fantasminha Camarada”, “Jumanji” e “O Espetacular Homem-Aranha”.

Nascido em Los Angeles em 1953, Horner começou a tocar piano aos 5 anos e se formou em Londres, no Royal College of Music, segundo uma biografia publicada no site “Imdb”, especializado em cinema.

Na década de 1970, Horner retornou à Califórnia para continuar estudando música em duas universidades desse estado, até fazer doutorado em Teoria e Composição Musical na Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA).

Após um tempo compondo trilhas sonoras para projetos estudantis chegou ao seu primeiro trabalho de alto perfil, “Jornada nas Estrelas II – A Ira de Khan”, em 1982. Depois disso, Horner passou a receber ofertas de diretores de cinema com cada vez mais renome.

Durante sua carreira, Horner trabalhou para George Lucas, Steven Spielberg, James Cameron, Oliver Stone e Ron Howard, entre outros.

da Agência EFE

Facebook Comments