Já são 38 anos e Stephen King segue sem aceitar a versão de “O Iluminado” feita por Stanley Kubrick. Em um trecho do novo livro da carreira, “The Outsider”, o mestre do terror dá uma cutucada na obra cultuada por cinéfilos do mundo inteiro. As informações são do site Indiewire.

Durante uma passagem, uma personagem feminina está assistindo “Glória Feita de Sangue”, segundo longa-metragem da carreira de Stanley Kubrick. Ela explica o motivo: “é melhor que “O Iluminado”. Este é apenas mais um capítulo da rixa de Stephen King com o cineasta britânico em relação ao projeto.

Para o escritor, a personagem de  Shelley Duvall é uma das mais misóginas já vista nos cinemas, Kubrick é um sujeito que “pensa demais e sente de menos” e comparou o filme a um grande e bonito Cadillac sem um motor dentro. Nem mesmo Jack Nicholson escapou: “Quando o vemos pela primeira vez, ele está no escritório de Mr. Ullman, o gerente do hotel, e você sabe, ele é louco como um rato da casa de merda. Tudo o que ele faz é ficar mais louco. No livro, ele é um cara que está lutando com sua sanidade e, finalmente, perde isso. Para mim, isso é uma tragédia. No filme, não há tragédia porque não há uma mudança real”, afirmou.

Facebook Comments