O Sindicato dos Atores dos EUA vai se curvar a um dos maiores nomes de Hollywood de todos os tempos. Morgan Freeman vai receber o prêmio honorário da noite pela grandiosa carreira no cinema iniciada em 1964 com uma pequena participação em “O Homem do Prego”.

O Cine Set traz cinco bons motivos para Morgan Freeman receber esta justa homenagem:


1. Carreira marcada por filmaços

Poucos atores podem se orgulhar de ter participado de três dos filmes mais queridos do público cinéfilo como Morgan Freeman: “Os Imperdoáveis”, “Seven” e “Um Sonho de Liberdade”. Se isso já não bastasse, o ator ainda traz obras como “Conduzindo Miss Daisy”, “Tempo de Glória”, “Robin Hood”, “Amistad”, “Menina de Ouro”, a trilogia “Batman – O Cavaleiro das Trevas” e”Invictus”. Tem espaço também para blockbusters do naipe de “Beijos que Matam”, “Impacto Profundo”, “Todo Poderoso”, “Antes de Partir”, “O Procurado”, “Truque de Mestre” e “Lucy”. Com esse currículo, a gente até esquece que ele fez “O Apanhador de Sonhos”.


2. Astro discreto

Diferente de 99% das estrelas de Hollywood, Morgan Freeman se destacou pela discrição. O jeito pacato, calmo se tornou a marca dele como o contraponto de um mundo expansivo. Nenhum outro filme conseguiu captar tão bem a essência do ator como “Seven – Os Sete Pecados Capitais: mesmo com Brad Pitt no auge da beleza e a explosão juvenil de um agente policial rebelde, o detetive William Somerset criado por Freeman marca o espectador pela elegância e inteligência na construção de um ator brilhante.



3. Sucesso tardio

Morgan Freeman seguiu caminho oposto aos seus contemporâneos. Se Robert DeNiro, Dustin Hoffman, Al Pacino, Robert Redford, Clint Eastwood, Jack Nicholson atingiram a fama e o reconhecimento quando ainda eram jovens, o homenageado do SAG foi começar a fazer cinema com regularidade quase com meio século de vida. A primeira indicação ao Oscar veio por “Conduzindo Miss Daisy” em 1987 aos 53 anos de idade, enquanto o papel mais popular, Deus em “Todo Poderoso”, aconteceu aos 66. O ditado ‘antes tarde do que nunca’ cai como uma luva aqui.



4. Não se leva à sério

Duvida?

4.1 Morgan Freeman recita ‘Love Yourself’, de Justin Bieber:

4.2. Morgan Freeman e o gás hélio



5. Ele é o cara!

Facebook Comments