Histórias de amor entre humanos e robôs não são exatamente novidade no cinema. Por sorte, “I’m Your Man” não é uma delas. O filme, que estreou no Festival de Berlim deste ano e rendeu o Urso de Prata de Atuação Principal para a atriz Maren Eggert, é uma divertida comédia sobre as contradições do ser humano e as expectativas de relacionamentos. 
 
Eggert é Alma, uma pesquisadora workaholic que está às vésperas da publicação de um importante artigo quando conhece Tom (Dan Stevens, das séries “Downton Abbey” e “Legion”). Charmoso, inteligente e romântico, Tom parece um partidão, mas, de fato, é um andróide desenhado e programado para atender ao gosto da pesquisadora. 
 
Para obter fundos para seu projeto, ela topa – a contragosto – viver com o robô pelo período experimental de três semanas para redigir um parecer e submetê-lo ao comitê de ética responsável por autorizar sua introdução no mercado. Claro, ter um androide gato pela casa super disposto a conquistar você não seria um problema para muitas pessoas. Mas como romance é a última coisa na cabeça de Alma, Tom se vê numa missão hercúlea para realizar a missão para a qual foi programado. Que comecem os jogos. 

MELHOR USO DE SIMPLES PREMISSA


 
O que poderia ser uma comédia romântica baseada em dois sujeitos duros na queda às voltas com a possibilidade de amor ganha contornos mais profundos nas mãos da diretora alemã Maria Schrader (a minissérie “Nada Ortodoxa”). O roteiro, escrito por ela juntamente com Jan Schomburg, aproveita a situação inusitada para fazer grandes perguntas sem perder de vista o humor. 
 
Além de cineasta, Schrader é uma celebrada atriz e claramente sabe a hora em que a interação entre dois atores é o suficiente para fazer uma cena funcionar. O momento em que Tom revela uma informação devastadora sobre a pesquisa de Alma, por exemplo, é um exercício de atuação: evitando spoilers, resta comentar que a forma como o robô confronta a reação da pesquisadora expõe muito das motivações egoístas que guiam inúmeros desejos humanos. 
 
Os dois intérpretes estão em seu melhor nível aqui: Stevens dá um ar quase zombeteiro ao robô e suas tentativas de entender Alma para além de seus algoritmos são o cerne cômico do filme. Mas Eggert explora habilmente ao máximo o sofrimento de uma mulher em um profundo estado de descrença e não à toa foi premiada pelo júri da Berlinale. 

I’m Your Man” constantemente brinca com as expectativas do público com relação aos personagens, com Tom apresentando comportamentos que parecem dotados de altruísmo, carinho e compaixão e Alma se atendo a pragmatismos quase robóticos. 

A produção argumenta que a grande tragédia aqui é o fato de que a pesquisadora perdeu a capacidade de relacionar-se consigo mesmo de uma maneira humana – e de que precisou de um robô para se dar conta disso. Evitando soluções fáceis, “I’m Your Man” faz o melhor uso de sua simples premissa. 

‘Pig’: Nicolas Cage em estado de graça em filme intrigante

Que filme curioso e interessante é este Pig, dirigido pelo estreante Michael Sarnoski. É aquele tipo de produção em que você realmente não sabe para onde a história vai, não sabe se ri ou se chora e sua abordagem minimalista o afasta de outros tipos de filmes com os...

‘Verão de 85’: agridoce romance gay cai em velhas armadilhas do gênero

Ah, o primeiro amor. Tem coisa mais fascinante, impulsiva e intensa que um primeiro amor? É um sentimento que toma conta da alma, da pele. Transborda sensações, energiza e ressignifica o que é viver.  Sempre haverá o antes e depois de um primeiro amor. Em uma...

‘Space Jam 2: Um Novo Legado’: perdido na nostalgia e sem saber seu público

Confesso que dificilmente consigo ser fisgada pela nostalgia. Dito isto, este elemento pode até ser o grande fator de atração de “Space Jam 2: Um Novo Legado” ao lado dos easter eggs, mas não é o suficiente para segurar a trama. Somos convidados a embarcar com LeBron...

‘A Última Carta de Amor’: Jojo Moyes em adaptação de altos e baixos

Lançamento da Netflix, “A última carta de amor” é um romance baseado no livro da escritora britânica Jojo Moyes, que já possui outro livro adaptado para os cinemas, “Como eu era antes de você", de 2016. A autora inclusive também é uma das produtoras do filme....

‘O Sétimo Dia’: policial com terror fica longe de combinar em filme fraco

Uma das belezas do cinema de gênero é perceber como, às vezes, roteiristas e cineastas espertos conseguem criar combinações que, à primeira vista, podem parecer impossíveis de funcionar em conjunto, mas funcionam. Ora, Todo Mundo Quase Morto (2004) é uma...

‘Caros Camaradas’: a desintegração do comunismo soviético

A primeira coisa que você deve saber acerca de “Caros Camaradas” é que estamos diante de um filme forte, necessário e que ainda se apropria de causas hoje presentes estruturados em uma sociedade desigual. Dito isso, vamos ao filme. “Caros Camaradas” narra um momento...

Trilogia ‘Rua do Medo’: diversão rasa, nostálgica e descartável

Séries de TV têm sido um dos pilares fundamentais na consolidação global da Netflix como o maior serviço de streaming do mundo. Boas, ótimas ou ruins, vindas de diversas partes do mundo, não importa: sempre podemos contar com a produção serializada de TV como parte...

‘Viúva Negra’: o pior filme da Marvel em muitos anos

Durante muito tempo, os fãs das produções da Marvel Studios pediam por um filme solo da heroína Viúva Negra. A estrela Scarlett Johansson também queria fazer. Para quem deseja entender um pouco dos meandros de Hollywood e esclarecer porque o filme da Viúva não saiu,...

‘Nem Um Passo em Falso’: Soderbergh perdido no próprio estilo

Steven Soderbergh é um cineasta, no mínimo, curioso. Seu primeiro filme, Sexo, Mentiras e Videotape (1989) mudou os rumos do cinema independente norte-americano quando saiu – e é, de fato, um grande filme. Ao longo dos anos, ele ganhou Oscar de direção por Traffic...

‘Um Lugar Silencioso 2’: ponte com dias atuais mirando futuro da franquia

“Um Lugar Silencioso” foi um dos meus filmes favoritos de 2018. A ambientação, o uso de recursos sonoros e a narrativa capaz de gerar tantas leituras e interpretações foram aspectos determinantes para a catarse causada e suscitar indagações quanto a necessidade de uma...