Selecionado para a Mostra do Cinema Amazonense 2017 e para a primeira edição do Festival Olhar do Norte, “Leco” marcou a estreia de Augustto Gomes em dramas sociais ao mostrar a trajetória de um jovem negro da periferia de Manaus dentro do mundo do crime. Agora, o realizador audiovisual retorna ao mundo infantil na aventura amazônica “Zana – A Filha da Mata”.

Com gravações previstas para terem início no dia 19 de março em um cenário a ser criado no quilômetro 10 da BR-174 (Manaus-Boa Vista), “Zana – A Filha da Mata” acompanha a história de uma pequena índia que terá a missão de salvar as crianças da tribo do Mamulengo, um artista plástico que captura os jovens da região para transformá-los em bonecos. A heroína contará com a ajuda de uma fada para conseguir derrotar o vilão.

O curta orçado em R$ 100 mil a partir do edital da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) com a Agência Nacional do Cinema (Ancine) pretende ser um trabalho ainda mais profissional do que já visto em “Leco”. Para tanto, Augustto terá nomes já conhecidos da produção local como Reginaldo Tyson na direção de fotografia e Marinho Belo na trilha sonora. “Vou contar também com profissionais do Rio de Janeiro para ficarem responsáveis pela maquiagem e efeitos visuais”, disse em entrevista ao Cine Set. O elenco será formado por crianças a serem escolhidas após testes em fevereiro, enquanto Lilian Machado, Aline Cassiano e José Gomes compõe o time de adultos.

Augustto Gomes não é novato ao falar com o público infantil: desde 2015, ele está em processo de conclusão do média-metragem “Vila Mamulengo” – o lançamento, segundo ele, deve acontecer neste ano. Para “Zana – A Filha da Mata”, o realizador amazonense pretende uma forma inteligente de falar com as crianças. “Quero abordar a atmosfera lúdica sem ser bobo. Estou buscando inspirações em longas como “O Labirinto do Fauno” e “Malévola”. Sou muito fiel ao que eu gosto de fazer e sou apaixonado por ficção. Esta questão do filme de gênero veio por ser apaixonado por isso, adoro trabalhar com crianças. Levar o infantil e o lúdico é juntar as duas coisas que me deixam feliz”, declarou.

“Zana – A Filha da Mata” ainda não tem data de previsão para ser lançado ao público.

Facebook Comments