Dirigido por Elen Linth, o curta-metragem amazonense “Maria” segue a trajetória vencedora em festivais de cinema Brasil afora. Na noite deste sábado (11), a produção conquistou dois prêmios e duas menções honrosa no 11º Festival de Cinema de Triunfo, em Pernambuco. O filme se sagrou Melhor Curta-Metragem da Mostra Competitiva Nacional tanto no júri popular quanto dos jurados.

“Maria” também recebeu duas menções honrosas: a primeira da Associação Brasileira de Documentaristas e Curtametragistas de Pernambuco e outra dentro da categoria Troféu Cineclubista de Melhor Filme para Reflexão. A carreira do curta traz participações no 11º FOR RAINBOW, Mostra Ela na Tela, Mostra Fronteiras Imaginárias do Festival Visões Periféricas, 3º Petit Pavé – Festival de Cinema Independente de Curitiba, 12º Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões (PI), Mostra Emponderadas, dois prêmios V Recifest: Festival de Cinema da Diversidade Sexual e de Gênero, entre outros.

Ganhador do júri popular da Mostra do Cinema Amazonense 2017 e do júri do Festival Olhar do Norte 2018, “Maria” retrata a história de Maria Moraes e seus processos de resistência enquanto travesti na cidade de Manaus. O documentário referenda as pesquisas em direito à cidade, conflitos urbanos e discriminação por endereço em abordagem conjunta à poética da personagem que também é roteirista junto com Elen Linth no projeto. A protagonista também recebeu um prêmio pela atuação dela no filme.

VEJA A LISTA COMPLETA DE VENCEDORES DO 11º FESTIVAL DE CINEMA DE TRIUNFO:

TROFÉU CINECLUBISTA DE MELHOR FILME PARA REFLEXÃO

11 Minutos, de Hilda Lopes Pontes 

Menções Honrosas:

Tempo Circular, de Graciela Guarani

Arara: Um filme sobre um Filme Sobrevivente, de Lipe Canêdo

Nome de Batismo – Alice, de Tila Chitunda

Maria, de Elen Linth e Riane Nascimento

PRÊMIO ABD-PE/APECI

11 Minutos, de Hilda Lopes Pontes

Menções Honrosas:

Òpára de Òsun: quando tudo nasce, de Pâmela Peregrino

Maria, de Elen Linth e Riane Nascimento

PREMIAÇÃO DO JURI POPULAR

– Melhor Curta-Metragem da Mostra Competitiva dos Sertões: Uma balada para Rocky Lane, de Djalma Galindo

– Melhor Curta-Metragem da Mostra Competitiva Pernambucana: Entre Pernas, de Ayla de Oliveira

– Melhor Curta-Metragem da Mostra Competitiva Infanto-Juvenil: A Formidável Fabriqueta de Sonhos Menina Betina, de Tiago Ribeiro

– Melhor Curta-Metragem da Mostra Competitiva Nacional: Maria, de Elen Linth e Riane Nascimento

– Melhor Longa Metragem da Mostra Competitiva Nacional: Organismo, de Jeorge Pereira

PREMIAÇÃO DO JÚRI OFICIAL DO FESTIVAL

CATEGORIA CURTA-METRAGEM:

– Melhor atriz: Arly Arnaud, pelo filme No fim de tudo

– Melhor ator: Silvério Pereira, pelo filme No fim de tudo

– Melhor Som: Richard Soares e William Tenório, pelo filme Cine São José

– Melhor Trilha Sonora: Henrique Macêdo, pelo filme Edney

– Melhor Direção de Arte: Chia Beloto, pelo filme Fazenda Rosa 

– Melhor produção: Alexandre Soares Taquary, pelo filme Repulsa

– Melhor Montagem: Amandine Goisbault, pelo filme Nome de Batismo – Alice

– Melhor Fotografia: Roberto Iuri, pelo filme Entre Pernas

– Melhor Roteiro: Hilda Lopes Pontes, pelo filme 11 Minutos

– Melhor Direção: Carlos Nigro, pelo filme Casa Cheia

– Melhor Filme da Categoria Curta-Metragem dos Sertões: Uma balada para Rocky Lane, de Djalma Galindo

– Melhor Filme Infanto Juvenil: Médico de Monstro, de Gustavo Teixeira

– Melhor Filme Pernambucano: Nome de Batismo – Alice, de Tila Chitunda

– Melhor Filme da Categoria Curta-Metragem Nacional: Maria, de Elen Linth e Riane Nascimento

CATEGORIA LONGA-METRAGEM NACIONAL

– Melhor Personagem de Longa-Metragem | Troféu Fernando Spencer: Cristiano Burlan, pelo filme Elegia de um crime

– Melhor ator: Guilherme Magnata, pelo filme Organismo

– Melhor Atriz: Bianca Joy Porte, pelo filme Organismo

– Melhor Som: Pablo Lopes, Chris Llemgrueber, Paulo Umbelino, Guga Rocha e Fernando Arroyo, pelo filme Organismo

– Melhor Trilha Sonora: Amores de chumbo

– Melhor Direção de Arte: Séphora Silva, pelo filme Amores de chumbo

– Melhor Produção: Carol Ferreira, Luiz Barbosa e Mannu Costa, do filme Em nome da América

– Melhor Roteiro: Tuca Siqueira, pelo filme Amores de chumbo

– Melhor Montagem: Caioz e João Maria, pelo filme Em nome da América

– Melhor Fotografia: Beto Martins, pelo filme Amores de chumbo

– Melhor Direção: Tuca Siqueira, pelo filme Amores de chumbo

– Melhor filme da categoria Longa Metragem: Organismo, de Jeorge Pereira

 – Menção Honrosa: Elegia de Um Crime, de Cristiano Burlan

Facebook Comments