Com o mundo digital documentando cada passo da vida moderna, o passado está deixando de ser uma coisa difícil de revisitar – ao menos de um ponto de vista prático. Porém, dependendo da vida que você levou, esse processo pode ser doloroso, não importa o meio. 
 
O fantástico novo filme dos diretores libaneses Joana Hadjithomas e Khalil Joreige, “Memory Box”, é um caleidoscópio de recordações embalado por uma trilha oitentista impecável. Sensível e emocionante, o longa é um dos melhores da seleção do Festival de Berlim deste ano e merece ser descoberto pelo grande público. 
 
Em uma nevasca na véspera de Natal no Canadá, Maia (Rim Turki) recebe um pacote cheio de fotos e correspondências de sua adolescência no Líbano. Receosa de abrir essa verdadeira Caixa de Pandora, ela proíbe sua filha adolescente Alex (Paloma Vauthier) de espiar seu conteúdo. 
 
Claro, como nas fábulas antigas, não existe nada que desperte mais a curiosidade do que a proibição – e Alex, ressentida por conhecer muito pouco da mãe emocionalmente fechada, revira o pacote de Maia. Ela descobre as fortes amizades da matriarca, a grande paixão dela por Raja (Hassan Akil), tristes segredos de família e um Líbano libertário e progressista massacrado pela guerra civil. 

 DISTANTE DO HERMÉTICO

Livremente baseado nos diários e registros audiovisuais dos próprios diretores, o roteiro escrito por eles em colaboração com Gaëlle Macé é uma celebração das amizades adolescentes e uma ode à juventude sufocada por conflitos armados. Através do ponto de vista de Alex, “Memory Box” também compara as vidas inteiramente digitais da atualidade e as memórias físicas das gerações passadas, achando pontos de semelhança e contraste. 
 
O destaque do filme, no entanto, é a maneira inventiva de como as recordações de Maia ganham vida na tela, com sequências feitas inteiramente através de colagens – algumas estilizadas a ponto de parecer até mesmo um videoclipe. Em conjunto com a editora Tina Baz e o diretor de efeitos visuais Laurent Brett, eles criam uma colcha de retalhos em que recortes de imagens, desenhos, voz e música se misturam, emulando como esse material é interpretado na mente. 
 
Essa abordagem, diretamente ligada ao seu trabalho nas artes visuais e na pesquisa acadêmica, poderia ser hermética em outras mãos. No entanto, em “Memory Box”, forma e conteúdo se encaixam de maneira tão fluida que é impossível tirar os olhos da tela. O filme partilha certos temas com outro selecionado para a Berlinale deste ano – “Miguel’s War“, de Eliane Raheb – mas sua narrativa mais tradicional deverá torná-lo mais acessível a uma maior audiência. 
 
De fato, o triunfo de “Memory Box” é usar técnicas do cinema experimental em prol de um cinema narrativo emocionante e inteligente, que quer, na especificidade, falar de temas comuns: o abismo entre presente e passado, a permanência da memória e a busca por novas chances na vida. 

CRÍTICA | ‘O Cara da Piscina’: Chris Pine testa limite do carisma em comédia de piada única

Os sinais começam logo cedo: após a ensolarada sequência de créditos iniciais em tons pastéis de “O Cara da Piscina”, há uma cena em que Darren (Pine) e Susan (Jason Leigh) conversam na cama. Já vimos essa cena antes em um número incontável de filmes: deitados lado a...

CRÍTICA | ‘Motel Destino’: traumas e hipocrisia em exposição dentro de labirinto neon

Heraldo tem um alvo no peito. Ninguém sabe mais disso do que ele, que inclusive verbaliza essa angústia permanente em dado momento de “Motel Destino”. Diretor de filmes de estradas e de aeroportos, Karim Aïnouz traz em seu novo trabalho uma fuga que talvez seja mais...

CRÍTICA | ‘Grande Sertão’: o match errado de Guimarães Rosa e o favela movie

Não é pequeno o feito de Guel Arraes em “Grande Sertão”. Ele tomou como matéria-prima um dos maiores feitos artísticos da história da humanidade, a obra-prima de Guimarães Rosa, e realizou um filme que vai do irritante ao lugar-comum numa velocidade impressionante.  O...

CRÍTICA | ‘Reality’: drama político medíocre e em cima do muro

Sydney Sweeney mal tem tempo para estacionar e logo é saudada por dois oficiais do FBI. Logicamente, não se trata de Sydney Sweeney, a atriz, mas da personagem aqui encarnada pela intérprete, uma jovem ex-oficial com o pitoresco nome de Reality Winner. Os agentes têm...

Crítica | ‘Uma Ideia de Você’: comédia romântica ressentida de brilho próprio

Recentemente minha turma de Teoria da Literatura discutiu a possibilidade de considerarmos fanfics um gênero literário. O curioso é como o dispositivo tem servindo como base para muitas produções cinematográficas, sendo a mais recente dela “Uma ideia de você”, comédia...

Crítica | ‘Os Estranhos – Capítulo 1’: terror picareta da pior espécie

Os Estranhos, do diretor Bryan Bertino, lançado em 2008, não é nenhum clássico do terror, mas é um filme que faz razoavelmente bem aquilo que se propõe: contar uma história assustadora com poucos personagens e cenários, investindo em um clima de tensão pela...

Crítica | ‘Copa 71: A História que não foi Contada’: documentário abaixo da grandeza do evento

Com a narração da tenista norte-americana Serena Williams, “Copa 71: A História que não foi Contada” apresenta cronologicamente a história da primeira grande competição mundial de futebol feminino, realizada no México. Embora não tenha sido o pioneiro, o torneio foi o...

Crítica | ‘Às Vezes Quero Sumir’: estética deprê-chic em filme simpático

O título de “Às Vezes Quero Sumir” em inglês é mais cáustico: “Às Vezes Penso em Morrer” em tradução aproximada. Mas um título tão direto raramente vem acompanhado de um soco no estômago genuíno – é mais o caso de trazer à tona um distanciamento irônico que torne a...

Crítica | ‘Furiosa: Uma Saga Mad Max’: a espetacular construção de uma lenda

Que curiosa carreira tem George Miller: o australiano era médico, depois migrou para o cinema fazendo curtas na incipiente indústria de cinema do país e há 45 anos lançou Mad Max (1979), um filme de ação e vingança de baixo orçamento marcando a estreia em longas. A...

CRÍTICA | ‘Club Zero’: tudo dá errado em péssimo filme

Dirigido por Jessica Hausner, "Club Zero" se passa em uma escola de elite que recebe uma nova professora de nutrição. Ela ensina a um pequeno grupo de adolescentes um novo método de alimentação que promete melhorar não só o desempenho nos estudos e nos esportes dos...