Pai e filha se unem para uma dose de espionagem familiar em “On the Rocks”, novo filme de Sofia Coppola (“Encontros e Desencontros”, “O Estranho que Nós Amamos”). Depois de estrear no Festival de Nova York no mês passado, o filme agora é lançado mundialmente na Apple TV – e com seu tom leve e bem-humorado, parece feito sob medida para sessões pipoca no sofá.

Laura (Rashida Jones, da série “Parks and Recreation”) é uma nova-iorquina que está tentando tirar um livro do papel num momento incerto da vida. Certa noite, seu marido David (Marlon Wayans, de “As Branquelas”) chega em casa, um pouco alto, e começa a beijá-la animadamente na cama. Quando ela chama a atenção dele, ele para e resolve dormir.

Nervosa com a possibilidade de que ele tenha confundido-a com outra e esteja tendo um caso, ela resolve encontrar-se com seu pai ausente – o playboy milionário Felix (Bill Murray) – para um papo-cabeça sobre o comportamento masculino. Ele, por sua vez, tem um plano mais mirabolante: seguir David para pegá-lo no ato. Relutantemente, Laura compra a ideia e os dois começam a procurar pistas pela cidade como uma dupla de detetives particulares e, o que poderia ser uma simples trama de infidelidade, vira um filme de espionagem com muito ternura.

ECOS DE ‘ENCONTROS E DESENCONTROS’

O roteiro de Coppola vê a diretora abraçar abertamente a comédia, contendo o material mais engraçado e leve já escrito por ela e uma trama impressionante em sua simplicidade. Ela continua interessada nos dramas do 1%, mas de todos os seus filmes, a história de “On the Rocks” é que mais parece um causo que poderia acontecer com você ou seu vizinho.

O visual que não chama a atenção para si reforça esse teor comum. O diretor de fotografia Philippe Le Sourd, que encheu “O Estranho Que Nós Amamos”, filme anterior da diretora, com uma luz difusa e asfixiante, opta aqui por tomadas e cores práticas que permitem ao público focar-se completamente na trama.

A presença de Murray traz ecos de “Encontros e Desencontros”, uma conexão com a qual a cineasta flerta em algumas cenas (como na aparição do robô aspirador aos 16 minutos). É irônico que os papeis do ator em ambos os filmes não possam ser mais diferentes: enquanto Bob, seu personagem em “Encontros”, era um tímido peixe fora d’água, Felix é um bon vivant expansivo em pleno habitat natural.

Murray consegue não só trazê-lo à vida como fazer com que isso pareça extremamente fácil, roubando com facilidade todas as cenas em que aparece. Em suas mãos, um mulherengo incurável e cartunesco ganha outras dimensões, com sua alma e seu histórico de más decisões aparecendo em fragmentos de falas.

Apesar de ser um coadjuvante, suas ações, no afã de passar mais tempo e se reconectar com a filha distante, guiam a história. É esse cerne singelo que torna “On the Rocks” um prazer de ser visto, ainda que não figure entre as grandes obras da diretora. Arriscando-se em um novo tom, Sofia Coppola produziu um ótimo filme Sessão da Tarde para os cults de plantão – só faltam os intervalos comerciais.

‘Lupin’: Omar Sy supera narrativa previsível em série mediana

Apresentando Arséne Lupin para o restante do mundo, a nova produção francesa da Netflix, ‘Lupin’ é baseada nos romances policiais de Maurice Leblanc contando com a responsabilidade de atualizar suas histórias para os dias atuais. Apesar de possuir uma narrativa pouco...

‘Minari’: naturalismo e honestidade dão o tom de belo filme

Minari, do diretor Lee Isaac Chung, é uma obra delicada e que tem um carinho muito perceptível pelos seus personagens e a história que conta. É uma trama comum no cinema - imigrantes lutando para sobreviver e prosperar numa terra nova - e parcialmente baseada na...

‘Miss Juneteenth’: a busca pela construção do sonho americano negro

Durante uma conversa, o dono do bar em que Turquoise Jones (Nicole Beharie) trabalha afirma que o sonho americano existe, menos para os negros. Esse é um resumo do que aborda “Miss Juneteenth”, longa de Channing Godfrey Peoples. A diretora, que também assina o...

‘Judas e o Messias Negro’: um decepcionante bom filme

Digam o que quiserem do Judas Iscariotes, mas ele é o personagem mais interessante da Bíblia -  do ponto de vista dramático, claro. Porque drama é conflito, e Judas vivia em conflito, e isso faz dele a figura interessante já dramatizada e analisada várias vezes em...

‘Eu Me Importo’: o melhor trabalho de Rosamund Pike desde ‘Garota Exemplar’

Rosamund Pike é uma atriz interessante. Ela tem o talento, a competência como intérprete e a beleza, o pacote completo para virar mega-estrela. A inglesa fez papel de mocinha, esteve até em alguns filmes de ação, mas nunca chegou a dar aquele grande salto para o...

‘O Amor de Sylvie’: Tessa Thompson brilha em romance clichê

“A maioria das pessoas nunca encontra esse tipo de amor. Nem por um verão” Uma protagonista negra segura de si e disposta a lutar pelos seus interesses. Um amor que ultrapassa os anos e a distância. Por mais que isso soe piegas, tinha esperança que esse não fosse o...

‘Adú’: tramas demais prejudicam foco central de drama espanhol

Adú, produção espanhola da Netflix, é um tipo de obra audiovisual que o cinema sempre lançou, mas que vemos com certa frequência hoje em dia: o filme sobre um tópico social importante da atualidade, bem-produzido e bem fotografado, que visa, além de entreter, educar o...

‘A Escavação’: duas metades desequilibradas atrapalham drama

No drama A Escavação, da Netflix, tudo gira em torno de trazer coisas e emoções à superfície. A trama é baseada em fatos reais e reconstitui uma das mais importantes descobertas arqueológicas já feitas no Reino Unido, o “achado de Sutton Hoo”. Tudo começa quando a...

‘Palmer’: Justin Timberlake emociona em drama de fórmula infalível

Em Palmer, drama da Apple TV+ dirigido pelo ator e diretor Fisher Stevens, a proposta é lançar um olhar sensível sobre questões de gênero e de masculinidade. É a história de um homem endurecido de uma geração anterior confrontado pelo mundo moderno, e aprendendo a...

‘Wolfwalkers’: ótima animação sem medo de abordar a morte

Uma animação em 2D de um pequeno estúdio e com baixo orçamento. Essas não parecem ser as características de um filme premiado ou notório na temporada de premiações, mas ‘Wolfwalkers’ atende a todos esses requisitos com benefício de abordar temáticas mais adultas assim...